Fauna da África

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hienas pintadas na carcaça de um Impala que eles haviam roubado de um Guepardo em Masai Mara National Park, Quénia.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Fauna da África, em seu sentido mais amplo, é de todos os animais que vivem no continente africano e seus mares adjacentes e ilhas. A fauna africana mais caracterizada é encontrada na ecorregião da região afro-tropical - anteriormente chamado etíope (a África subsariana).1 Mentir quase inteiramente dentro do trópicos, e igualmente para o norte e sul do equador cria condições favoráveis ​​para a rica vida selvagem.

Considerando que os primeiros vestígios de vida no registro fóssil da África data para os primeiros tempos,2 a formação de fauna africana, como a conhecemos hoje, começou com a divisão do supercontinente de Gondwana, em meados da era Mesozoica.

Durante o início Terciário, a África era coberta por uma vasta floresta sempre verde. No Plioceno o clima tornou-se seco e maior parte da floresta foi destruída, os animais da floresta se refugiam nas ilhas de florestas remanescentes.

Biodiversidade[editar | editar código-fonte]

A África, onde os seres humanos se originaram, mostra evidências talvez porque a coevolução de animais de grande porte juntamente com os primeiros seres humanos desde o tempo suficiente para que eles desenvolvam defesas eficazes.3 A sua situação nos trópicos poupou também a partir da Era Glacial e o clima não mudou muito.4

Há grandes lacunas de conhecimento humano sobre invertebrados africanos. África Oriental tem uma fauna de ricos corais,5 com cerca de 400 espécies conhecidas. Mais de 400 espécies de equinodermos e 500 espécies de Ectoproctos vivem lá também,6 bem como um especies de Cubozoa (Carybdea alata) De nematoides, o Onchocerca volvulus, Necator americanus, Wuchereria bancrofti e Dracunculus medinensis são parasitas humanos. Algumas importantes de plantas parasitas nematodes de colheitas os poucos Onychophora Peripatus, Peripatopsis e Opisthopatus vivem na África.7

Cerca de 100 mil espécies de insetos foram descritas a partir de sub-saariana, mas há muito poucas visões da fauna como um todo8 (estima-se que os insetos africanos fazem cerca de 10-20% das riquezas de espécies de insetos globais,9 e cerca de 15% das descrições de novas espécies vêm de trópicos africanos10 ). A única ordem de insetos endêmica africano é Mantophasmatodea[carece de fontes?].

Cerca de 875 espécies africanas de libélulas foram registrados.11

A África é o continente mais rico de peixes de água doce, com cerca de 3000 espécies.12

Os lugares mais ricos em espécies de camaleões é Madagascar[carece de fontes?]. As cobras encontradas na África são a Pythonidae (Pitão), Typhlopidae (Typhlops) e Leptotyphlopidae (Leptotyphlops, Rhinoleptus)[carece de fontes?].

Lá vivem (temporariamente ou permanentemente) mais de 2600 aves de espécies em África (cerca de 1500 deles são passeriformes).13 Alguns deles são 114 espécies ameaçadas de extinção.14

Referências

  1. R.W.Crosskey, G.B.White, The Afrotropical Region. A recommended term in zoogeography, Journal of Natural History, Vol.11, 5 (1977) Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  2. F. Westall et al., Implications of a 3.472-3.333Gyr-old subaerial microbial mat from the Barberton greenstone belt, South Africa for the UV environmental conditions on the early Earth, Philosophical Transactions of The Royal Society B, Vol.361, No.1474 (2006) Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  3. Owen-Smith,N.Pleistocene extinctions; the pivotal role of megaherbivores. Paleobiology; July 1987; v. 13; no. 3; p. 351-362 Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  4. P. Brinck.The Relations between the South African Fauna and the Terrestrial and Limnic Animal Life of the Southern Cold Temperate Zone.Proc. Royal Soc. of London. Series B, Vol. 152, No. 949 (1960) Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  5. M.H.Schleyer&L.Celliers. Modelling reef zonation in the Greater St Lucia Wetland Park, South Africa. Estuarine, Coastal and Shelf Science,Vol. 63, May 2005 Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  6. Richmond, M. D., 2001. The marine biodiversity of the western Indian Ocean and its biogeography. How much do we know? In: Marine Science Development in Eastern Africa. Proc. of the 20th Anniversary Conference on Marine Science in Tanzania. Institute of Marine Sciences/WIOMSA, Zanzibar Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  7. R.C.Brusca and G.J.Brusca, Invertebrates, Sinauer Associates; 2 ed.(2003) Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  8. S.E. Miller, & L.M.Rogo, Challenges and opportunities in understanding and utilisation of African insect diversity. Cimbebasia 17: 197-218, 2001
  9. K.J.Gaston and E.Hudson, Regional patterns of diversity and estimates of global insect species richness. Biodiversity and Conservation 3,493-500 (1994) Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  10. Gaston, K. J. 1991. The magnitude of global insect species richness. Conserv. Biol. 5:283-296. Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  11. Africa Dragonfly Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  12. N.Myers, The Rich Diversity of Biodiversity Issues. (In:Biodiversity II, ed. E.O.Wilson et al., National Academy Press, 1997) Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  13. ABC Checklist of African Birds Página visitada em 6 de setembro de 2012.
  14. De Klerk, H.M, Gaps in the protected area network for threatened Afrotropical birds. Biological Conservation 117 (2004) 529–537 Página visitada em 6 de setembro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre ecologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.