Hans Sachs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hans Sachs, retrato em xilogravura atribuído a Hans Brosamer e a Michael Ostendorfer.

Hans Sachs (Nuremberga, 5 de novembro de 1494 - Nuremberga, 19 de janeiro de 1576) foi um poeta alemão.

Foi sapateiro de profissão, percorreu Alemanha em qualidade de mestre cantor. Foi amigo de Albrecht Dürer e de Willibald Pirckheimer (1470-1530). É autor a mais de seis mil poemas, escritos no estilo popular burgués do Meistersang (poesia que une canto religioso e poesia, cantada nas escolas gremiais do século XV). São notáveis também suas Farsas de Carnaval (1517-1563) e seu hino O rouxinol de Wittenberg (1523), dedicado a Lutero. Goethe engrandeceu-o e Richard Wagner fê-lo protagonista da ópera Die Meistersinger von Nürnberg (Os mestres cantores de Nuremberga). A famosa "Silberweise" (Hino áureo)foi transformada por Philipp Nicolai no hino religioso "Wachet auf, ruft uns die Stimme" e continua até hoje em muitos hinários, em português sob o título "Acordai, os guardas chamam". Também existem várias cantatas sobre esse hino, a mais famosa Wachet auf, ruft uns die Stimme de Johann Sebastian Bach.[1] Lhe foi erguido um monumento, uma estátua de corpo inteiro, em Nuremberga.

Referências

  1. Biografia de Hans Sachs no blogue sobre a Cantata 140 "Acordai, os guardas chamam" de Bach, subpâgina do blogue do "Coral Esperança Cariacica" (veja Discussão:Hans Sachs)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.