Hipóxia (ambiente)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
CrumpleEarth.jpg

A hipóxia é um fenómeno de baixa concentração de Oxigénio que ocorre em ambientes aquáticos. Ocorre quando a concentração de oxigénio dissolvido (OD) encontra-se a níveis reduzidos, ao ponto de causar danos nos organismos aquáticos presentes no ecossistema. A concentração de oxigénio dissolvido geralmente é expressa em quantidade de O2 dissolvido na água em mg.L−1, sendo que os valores normais situam-se a volta de 8 mg L−1 a 25oC entre 0 e 1.000 m de altitude.[1] [2]

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

O fenómeno da hipóxia pode ocorrer em toda a coluna de água, desde a camada mais superficial até junto dos sedimentos do fundo, embora ocorra mais facilmente ao longo de 20 a 25% da coluna de água, dependendo da profundidade e das mudanças súbitas da densidade da água com a profundidade. [3]

Causas da sua ocorrência[editar | editar código-fonte]

Para além dos efeitos naturais, a hipóxia resulta da eutrofização causada pela poluição por nutrientes vegetais como o amónio, nitratos e fosfatos. Na presença destes nutrientes, a concentração de algas aumenta com a saturação do oxigénio dissolvido, e após completarem o seu ciclo de vida, são decompostas por bactérias, o que causa uma redução de OD substancialmente superior a normal. Se esta diminuição de OD levara hipóxia, pode causar a morte de peixes e invertebrados, afectando assim o ecossistema aquático, o que pode causar igualmente danos nos seres vivos terrestres e nos pássaros cujo ecossistema depende do aquático.[4]

Soluções[editar | editar código-fonte]

Para evitar e controlar os problemas de hipóxia derivadas da actividade humana, é necessário reduzir a quantidade de nutrientes usados na agricultura, que entrando no ciclo da água, transportados pelos rios e canais subterrâneos acabam por ter como destino final os rios e lagos mais sensíveis. Para alem disso, melhorias nos sistemas de tratamento de águas residuais diminuiriam substancialmente a quantidade de nutrientes lançados nos ecossistemas, ou o restauro de sistemas ecológicos como sapais são particularmente eficazes na redução da quantidade de fósforo e azoto.

As tecnologias ambientais trazem igualmente novas soluções, através da injecção de ar comprimido em colunas de água. Em Inglaterra, esta técnica foi utilizada no canal marítimo de Manchester, a data com baixos níveis de OD resultantes de águas com baixa velocidade e recebendo várias contribuições de canais de águas residuais sem tratamento. Com a injecção de ar comprimido, o nível de OD chegou aos 300%, levando a um aumento do número de espécies de invertebrados, como o camarão de água doce. Aumentou assim a desova e as taxas de crescimento das espécies de peixes, como baratas e poleiro também aumentou de tal forma que eles actualmente encontram-se entre as mais elevadas na Inglaterra[5]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]