Ibitiúra de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ibitiúra de Minas
"A Princesinha das Montanhas"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 1 de março
Fundação 30 de dezembro de 1962
Gentílico ibitiurense
Prefeito(a) José Tarciso Raimundo (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Ibitiúra de Minas
Localização de Ibitiúra de Minas em Minas Gerais
Ibitiúra de Minas está localizado em: Brasil
Ibitiúra de Minas
Localização de Ibitiúra de Minas no Brasil
22° 03' 39" S 46° 26' 24" O22° 03' 39" S 46° 26' 24" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Poços de Caldas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Andradas, Caldas e Santa Rita de Caldas.
Distância até a capital 478 km
Características geográficas
Área 68,386 km² [2]
População 3 406 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 49,81 hab./km²
Altitude 930 m
Clima Tropical de Altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,775 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 30 442,629 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 700,38 IBGE/2008[5]
Página oficial

Ibitiúra de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2006 era de 3.753 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Uma das poucas cidades com o começo tão bem registrado, há documentos de até 100 anos antes da povoação do município. É uma pequena e pacata cidade que repousa entre as montanhas do Sul de Minas Gerais. No princípio, era Planalto da Pedra Branca onde os caiapós ocuparam até meados do século XVIII. As matas que rodeavam o Jaguari-Mirim, rio que nasce na cidade e desagua no Rio Moji-Guaçu, eram proibidas e o território do município não podia ser povoado para que fosse dificultado o contrabando de ouro nesta região. Todo o vale do Jaguari-Mirim, abrangia as cidades de Ibitiúra de Minas, passando por Andradas até chegar a São João da Boa Vista/SP, um território quase impossível de se transpor.

O Minicípio foi criado a trinta de dezembro de mil novecentos e sessenta e dois (1962) , pela Lei número dois mil setecentos e quatro, tendo seu território desmembrado do município de Caldas e sua instalação solene a primeiro de março de mil novecentos e sessenta e três (1 de Março de 1963).

Fundadores[editar | editar código-fonte]

O primeiro a povoar o Planalto foi, em 1759, Veríssimo João de Carvalho, o fundador, da cidade de Cabo Verde, se assentou na região de Santa Rita de Caldas. Em 1776 Antônio Gomes da Freitas, fundador de Caldas, começou a avançar em direção ao Jaguari-Mirim. Em 1785 o português de Braga Alferes Manuel Antônio Marques veio da Conceição do Rio Verde, se apossou de terras na Serra da Bocaina. Estes personagens são os primeiros desbravadores do futuro arraial de São Benedito. Em 1789 o Alferes Manuel Marques, obteve licença para violar a área proibida da região do Jaguari-Mirim. Então dobrou a serra e se estendeu montanha abaixo até o Jaguari. Para desbravar as terras ele enviou um filho, escravos e José Antônio Corrêa. O Alferes com a família e empregados foram os primeiros a se instalarem na região de Ibitiura de Minas. Em 1801 o Alferes faleceu, durante um viagem ao Rio de Janeiro, e as terras continuaram sendo desbravadas por seus filhos, genros e agregados.

Pertencia, inicialmente, à Freguesia de São Francisco de Paulo do Ouro Fino. Já 1813 passaria a fazer parte da Freguesia de Nossa Senhora do Patrocínio do Rio Verde de Caldas, onde iria permanecer por mais de um século, até a emancipação que ocorreu 1962.

Igreja Matriz em Construção

Em 1923, chegou a distrito dos mais progressistas da comarca de Caldas, com a denominação de Ibitiúra, que substituiu o antigo nome de São Benedito. O município foi criado em 1962, desmembrando-se de Caldas e passando a chamar-se Ibitiúra de Minas.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município está alicerçada na agropecuária. A Produção Agrícola Municipal (pesquisa do IBGE, relativa a 2006, divulgada em outubro de 2007) aponta Ibitiúra de Minas como um dos maiores produtores de café beneficiado de Minas Gerais (26º em quilogramas por hectare). Há também a extração do granito café nas pedreiras nos arredores da cidade.

A fabricação de iogurtes, também explorada, uma alternativa para agregar valor ao leite, também abundante na região.

A fabricação de Lingeries está começando com grande potencial e qualidade.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Praça Central de Ibitiúra de Minas

As montanhas favorecem a prática de esportes de aventura, como rapel e trekker a pé. Um rally com jeeps, gaiolas e motos faz parte do calendário anual de eventos.

As pousadas são refúgios para aqueles procuram por sossego, paisagens marcantes e o ar puro da região.

Festas religiosas também constituem uma atração, como a festa de São Benedito e de Nossa Senhora Aparecida, que contam com novenas, missas, procissões, barraquinhas, cavalhadas e desfile de carros de boi.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.