Indra Sistemas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Indra Company
Tipo sociedade anônima
Indústria Telecomunicações Tecnologia da Informação
Fundação 1993 (21 anos)
Sede Espanha Alcobendas, Madrid, Espanha
Filiais  Alemanha
 Argentina
 Austrália
 Brasil
 Bélgica
Cazaquistão
 Chile
 China
 Colômbia
Costa Rica
El Salvador
 Eslováquia
 Espanha
 Estados Unidos
Filipinas
 França
 Grécia
 Índia
Indonésia
 Itália
 Letônia
 Líbia
 Malásia
 Marrocos
 México
 Montenegro
 Panamá
 Peru
 Polónia
 Portugal
 Quênia
 Reino Unido
 Roménia
República Dominicana
 República Checa
 Ucrânia
Uruguai
 Venezuela
Pessoas-chave Javier Monzón, Presidente

Javier de Andrés, Conselheiro Delegado
Juan Carlos Baena, Diretor Geral Finanças e Desenvolvimento Corporativo
Emilio Díaz, Diretor Geral Operações e Presidente da Indra no Brasil
Emma Fernandez, Diretora Geral Talento, Inovação e Estratégia
Rafael Gallego, Diretor Geral Operações
Santiago Roura, Diretor Geral Operações
Carlos Suarez, Diretor Geral Operações
Juan Tinao, Diretor Geral Operações
José Antonio Fernández Ignacio, CEO Indra no Brasil para os mercados de TI
Horacio Manuel Alves Sabino, CEO Indra no Brasil para os mercados de Infraestrutura, Defesa e Segurança
Edenilson Fleischmann, Diretor Geral Indra no Brasil

Empregados 42.000
Produtos Líder em soluções e serviços de alto valor agregado para os setores da Segurança e Defesa, Transportes e Tráfego, Energia e Indústria, Serviços Financeiros, Saúde e Administração Pública, Telecomunicações e Média
Receita Aumento2.688 bilhões (2011)
Página oficial Página oficial de Indra

A Indra é a multinacional de Tecnologia de Informação número 1 da Espanha e uma das principais da Europa e América Latina. É a segunda empresa europeia em capitalização do seu setor e a segunda empresa espanhola que mais investe em P&D. Consolida-se como a segunda empresa espanhola que mais recursos destina a pesquisas e desenvolvimento, investindo 7% sobre o seu volume de vendas, muito acima da média das empresas espanholas (0,8%), europeias (2,7%) e norte-americanas (4,5%).[1]

Foi constituída em 1993, embora as suas sociedades fundadoras remontem a 1921. No Brasil, está presente desde 1996.

Em 2011, adquiriu a empresa de tecnologia brasileira, Politec por 100 milhões de euros.[2]

Em 2012, as vendas da Indra atingiram 7,4 bilhões de reais, dos quais mais da metade procede do mercado internacional. Conta com mais de 42.000 profissionais e clientes em mais de 128 países.

A empresa é líder em soluções e serviços de alto valor agregado para os setores de Segurança e Defesa, Transporte e Tráfego, Energia e Indústria, Serviços Financeiros, Saúde e Administração Pública, Telecomunicações e Mídia. Possui uma oferta que supõe um modelo de gestão global das necessidades do cliente, desde a concepção de uma solução, passando pelo seu desenvolvimento e implantação, até a sua gestão operacional.

Disponibiliza aos seus clientes serviços que inclui desde a consultoria, o desenvolvimento de projetos e a integração de sistemas e aplicações, até ao outsourcing de sistemas de informação e de processos de negócios. Esta oferta estrutura-se em dois segmentos principais: Soluções e Serviços.

Internacional[editar | editar código-fonte]

Mais de 50% das vendas da Indra procedem dos mercados internacionais, e em 2009 a empresa superou a centena de países onde tem alianças ou desenvolveu projetos. Possui filiais em 45 países.

Além da sua reconhecida posição como líder global no controle do tráfego aéreo, a sua tecnologia para processos eleitorais permitiu a gestão de mais de 300 eleições em 18 países. A Indra, desenvolveu soluções para prestação de serviço a mais de 250 milhões de clientes de telefonia móvel em 20 países, vendeu sistemas de segurança e defesa de primeiro nível nos 5 continentes e converteu-se em referência internacional para a administração eletrônica e serviços de saúde.

Dispõe de uma rede de centros de excelência e de centros de desenvolvimento de software distribuídos por toda a geografia mundial: Leste da Europa (Moldávia, Bratislava na Eslováquia), América Latina (México, Argentina, Colômbia, Brasil e Panamá), Sudeste Asiático (Filipinas) e Austrália, além da Espanha. Tem acordos com mais de 200 universidades e centros de investigação, com os quais desenvolve projetos de P&D, e promove cátedras e acordos para integrar profissionais interessados nas novas tecnologias.

Visão[editar | editar código-fonte]

A Indra entende que a sua principal responsabilidade como empresa é a geração de riqueza através da inovação, traduzida na criação de soluções e serviços. A capacidade de inovação da Indra é o eixo central da sua responsabilidade corporativa, sendo assim a sua principal contribuição para o desenvolvimento sustentável, tanto a nível local como global.

Os títulos da Indra são cotados nos índices Dow Jones Sustainability World Index (DJSWI) e Dow Jones STOXX Sustainability Index (DJSI STOXX), que selecionam as empresas que demonstram maior esforço para ajustar a sua atividade a critérios de sustentabilidade, no grupo das maiores empresas do mundo e do continente europeu, respectivamente. A empresa foi reconhecida como "Líder do Setor" pelo Relatório Anual de Sustentabilidade de 2008, elaborado pela agência de avaliação SAM, em colaboração com a PriceWaterHouseCooper.

Tecnologias Acessíveis[editar | editar código-fonte]

A tecnologia é eficaz e útil para a sociedade na medida em que pode ser utilizada de uma maneira simples por todos. A Indra quer contribuir a atingir este objetivo, fomentando a pesquisa e o desenvolvimento de projetos com um fim social: fazer a tecnologia acessível a todos.

Cátedras Indra

Sob o nome Cátedras Indra de Tecnologia Acessível, denomina-se o conjunto de ações da Indra com as instituições do conhecimento, para desenvolver soluções e serviços inovadores na área de acessibilidade e inclusão digital. O mouse virtual - Headmouse, o projeto GANAS (que converte dinamicamente um texto na linguagem de sinais para pessoas com deficiência auditiva) ou o desenho de um rosto virtual, em três dimensões, como primeiro passo para a criação de um treinador virtual (Virtual Coach), são apenas alguns dos projetos que a empresa desenvolveu neste setor.

[1]

Grandezas Econômicas[editar | editar código-fonte]

Nos últimos cinco anos, a Indra manteve a sua tendência de progresso, com um crescimento orgânico médio no seu volume de vendas perto dos 10%, substancialmente acima da indústria e dos principais concorrentes.

[2]

A Indra na bolsa[editar | editar código-fonte]

A Indra pertence ao índice seletivo espanhol IBEX 35 desde 1º de Julho de 1999. Está presente em alguns dos principais índices bolsistas internacionais, como o FTSE eTX , o Dow Jones Global Index e o MSCI. Além disso, as ações da Indra começaram a ser negociadas em 2006 dentro dos índices Dow Jones Sustainability World Index (DJSWI) e Dow Jones STOXX Sustainability Index (DJSI STOXX), que selecionam as empresas que demonstram maior esforço para ajustar a sua atividade a critérios de sustentabilidade no grupo das maiores empresas do mundo e do continente europeu, respectivamente.

Principais accionistas[editar | editar código-fonte]

Os seus acionistas principais, com participação superior a 5%, são: Banco Financiero y de Ahorros S.A. com 20,12%, Corporación Financiera Alba com 10,02%, Casa Grande de Cartagena com 5% e Liberbank com 5,01%.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. "Indra Sistemas SA" Reuters. Página visitada em 10 de março de 2014.
  2. "Indra compra brasileira Politec por 100 mi de euros" Exame. Página visitada em 10 de março de 2014.