Joseph Dietzgen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Joseph Dietzgen (1828-1888) foi um filósofo alemão que emigrou para os EUA e dedicou-se ao estudo do materialismo dialético.

Nascido em Blankberg, nas cercanias de Colônia, foi um filósofo autodidata. Seguiu parcialmente o empiriocriticismo de Avenarius e também o mnarxismo, especialmente o materialismo histórico. De acordo com Dietzgen, a única coisa que pode ser considerada real é o que se dá como conteúdo de uma percepção direta. Não são, contudo, as sensações, mas as próprias coisas. Não se trata de "coisas em si", que sejam transcendentes ao sujeito cognoscente; toda coisa está, segundo Dietzgen, presente nos fenômenos. Portanto, o conhecimento do dado fenomenicamente na sensação e o das coisas reais são idênticos. Para que esse conhecimento seja completo, é preciso levar em conta as condições sociais em que se desenvolve. O que às vezes se denominou como "reísmo radical", ou também "empirismo reista", de Dietzgen, constitui para seu autor uma parte de uma concepção político-social do mundo, ou um socialismo filosófico. Tal como Marx, Dietzgen considera a tarefa da filosofia, não é apenas compreender o mundo, mas transformá-lo. Demonstra ser um seguidor da filosofia de Ludwig Feuerbach. Suas obras em português são: Cartas sobre a lógica, especialmente a lógica democrático-proletária; A religião da socialdemocracia.

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.