Katyayana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Kātyāyana (3o século a.C.), foi um gramático sânscrito, matemático e sacerdote védico que viveu na Índia antiga.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • O Varttika, um tratado sobre a gramática de Panini. Junto com o Mahābhāsya de Patanjali, este texto se tornou um elemento cânico da gramática (vyākarana) sânscrita. Esta foi uma das seis Vedangas, e constituía o ensino obrigatório para alunos do culto à Brahma no século doze.
  • O Sulba Sutras, que ele compôs mais tarde, uma série de nove textos sobre a geometria das construções de altares, lidando com retângulos, triângulos retângulos, losangos, etc.


Filosofia[editar | editar código-fonte]

O ponto de vista de Katyayana sobre o significado da palavra tem uma conexão com a sua tendência naturalista. Katyayana acreditava, como Platão, que a palavra não era um resultado de uma convenção humana. Para Katyayana, a palavra tinha uma relação com os Siddhas, dada a nós, pelo eterno. Embora o objeto seja descrito por uma palavra e este não é eterno, a essência do seu significado, como um nódulo de ouro utilizado para fazer diferentes ornamentos, permanece inerente, e é, portanto, eterno.

Percebendo que cada palavra representa uma categorização, ele chegou ao seguinte dilema Matilal):

Se a 'base' para o uso da palavra 'coisa' é raizcoisa(raiz universal) qual seria a "base" para o uso da palavra 'raizcoisa'?

Obviamente, isto conduz a regressão infinita. a solução de Katyayana para isto foi restringir a categorização da universalidade na propria palavra em si:

Base para o uso de qualquer palavra é a ela mesma - universal em si.

Esta opinião pode ter sido o núcleo da doutrina sphota enunciada por Bhartrihari no 5° século, na qual ele aponta que a palavra-universal e a sobreposição de duas estruturas, o significado universal ou a estrutura semântica (artha - jāti) é sobreposição pelo Som universal ou a estrutura fonológica(shabda - jāti).

Na tradição dos estudiosos como Pingala, Katyayana foi igualmente interessado pela matemática. Seu tratado sulvasutras sobre a geometria, ampliou o tratado do Teorema de Pitágoras apresentado pela primeira ver em 800 a.C. por Baudhayana.

Katyayana pertenceu na escola Aindra de gramáticos e pode ter vivido no norte ocidental do subcontinente indiano.

Veja também[editar | editar código-fonte]


Referências[editar | editar código-fonte]

  • O'Connor, John J; Edmund F. Robertson "Katyayana". MacTutor History of Mathematics archive.
  • Matilal, Bimal Krishna (1990/2001), The word and the world: India's contribution to the study of language, Oxford University Press, ISBN 0-19-565512-5.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]