Línguas mixe-zoqueanas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Distribuição geográfica das línguas mixe-zoqueanas.

As línguas mixe-zoqueanas constituem uma família linguística cujos membros vivos são falados no istmo de Tehuantepec, México e sua vizinhança. O governo mexicano reconhece três línguas mixe-zoque como línguas oficiais: mixe ou ayook com 188 000 falantes, zoque ou o'de püt com 88 000 falantes, e as línguas de Popoluca, das quais algumas são mixeanas e outras zoqueanas, com 69 000 falantes. Porém, a diversidade interna de cada um destes três grupos é grande e o Ethnologue contabiliza dezasseis línguas diferentes e a actual classificação das línguas mixe-zoque de Wichmann (1995) contabiliza doze línguas e onze dialectos. Entre as línguas extintas da família mixe-zoqueana inclui-se o tapachulteco, que era falado na costa sudeste de Chiapas.

História[editar | editar código-fonte]

Historicamente a família mixe-zoque pode ter sido muito mais abrangente em termos geográficos, estendendo-se até à costa pacífica da Guatemala (i.e. a região de Soconusco). Terrence Kaufman e Lyle Campbell propuseram[1] , baseando-se em várias palavras emprestadas recorrentes em outras línguas mesoamericanas, ser possível que os olmecas, geralmente vistos como a mais antiga cultura dominante da Mesoamérica, falassem uma língua mixe-zoque. Kaufman, juntamente com John Justeson, reivindicou haver decifrado a escrita ístmica (também designada epi-olmeca), baseando-se no seu ponto de vista de que se encontrava escrita numa língua mixe-zoque.

Ambas as propostas acima têm sido criticadas: Michael D. Coe e David Stuart argumentam que o reduzido número de exemplares conhecidos de escrita ístmica é insuficiente para sustentar qualquer proposta de decifragem. A sua tentativa de aplicação das decifragens de Kaufman e Justeson a outros materiais de proveniência ístmica não obteve resultados significativos. Wichmann (1995) critica algumas das supostas palavras mixe-zoqueanas emprestadas às línguas mesoamericanas, por serem apenas zoqueanas, mas não mixeanas, o que significa o que significa que o período em que ocorreu o empréstimo é muito posterior ao período durante o qual a cultura olmeca se encontrava no seu auge, pois durante este período o proto-mixe-zoqueano era uma única língua.

Mais tarde em 2001 Kaufman, de novo baseando-se em empréstimos mixe-zoqueanos a outras línguas mesoamericanas, defendeu a existência de uma presença mixe-zoqueana em Teotihuacan, e atribui ao mixe-zoqueano um papel importante na disseminação das caracteríticas linguísticas que se tornaram definidoras da área linguística mesoamericana.

Pensa-se que as línguas mixe-zoque não estão relacionadas com qualquer outro grupo linguístico, apesar de no início do século XX Edward Sapir as haver incluído na superfamília das línguas penutianas.

Genealogia do mixe-zoque[editar | editar código-fonte]

A classificação das línguas mixe-zoqueanas de Søren Wichmann (1995):

Classificação das línguas mixe-zoqueanas
Família Grupos Língua Território
Línguas mixe-zoqueanas Mixeano Mixe de Oaxaca Variedades mixeanas da Sierra de Juárez Sierra de Juárez (Oaxaca)
Mixe do Golfo Popoluca de Sayula Veracruz
Popoluca de Oluta Veracruz
Zoqueano Zoque do Golfo Popoluca de Texistepec Veracruz
Popoluca de Soteapan Veracruz
Zoque dos Chimalapas Zoque de San Miguel Chimalapa Los Chimalapas (Oaxaca)
Zoque de Sta. María Chimalapa
Zoque de Chiapas Variedades zoques de Chiapas Ocidente de Chiapas

Fonologia das línguas mixe-zoqueanas[editar | editar código-fonte]

A lista de fonemas do proto-mixe-zoqueano conforme a reconstrução de Wichmann (1995) pode parecer relativamente simples, mas muitas das línguas modernas inovaram e algumas tornaram-se bastante ricas em vogais e algumas também introduziram o contraste do tipo fortis/lenis nas séries de oclusivas. O fonema lateral /l/ é encontrado em muito poucas palavras em algumas das línguas e a sua origem é provavelmente onomatopeica.

Anterior Central Posterior
Fechada
(alta)
*i *i: *ɨ *ɨ: *u *u:
Média *e *e: *o *o:
Aberta
(baixa)
*a *a:
Bilabial Alveolar Alveolo-Palatal Velar Glotal
Oclusivas *p *t *ts *k *ʔ
Fricativas *s *h
Nasais *m *n
Aproximantes *w *j

Sílabas[editar | editar código-fonte]

As línguas mixe-zoque são caracterizadas por núcleos silábicos complexos formados por combinações de vogais juntamente com paragem glotal e /h/ na protolíngua.

Os núcleos silábicos do proto-mixe-zoqueano podiam ser:

V - vogal curta
V' - vogal curta com paragem glotal
VV - vogal longa
V'V - vogal longa com paragem glotal média
VV' - vogal longa com paragem glotal final
Vh - vogal curta com h

Características gramaticais das línguas mixe-zoqueanas[editar | editar código-fonte]

As línguas mixe-zoque são caracterizadas pela marcação do núcleo das sentenças, são polissintéticas com verbos morfologicamente complexos e substantivos simples. Nelas são marcados tanto os sujeitos gramaticais como os objectos. Usam um alinhamento ergativo e apresentam sistemas do tipo directo/inverso originados pela animácia e topicalidade. Os verbos distinguem os afixos pessoais dependendo do tipo de cláusula em que ocorrem. Existem dois tipos de marcadores de aspecto, um utilizado em cláusulas dependentes e outro utilizado em cláusulas independentes. São distinguidos três aspectos em cada tipo de cláusula: incompletivo, completivo e irrealis.

Classificação do Ethnologue e códigos-ISO do SIL[editar | editar código-fonte]

O Ethnologue ainda utiliza a classificação anterior a Wichmann como base para o seu trabalho.

  1. Línguas mixe -- Estimados 90 0000 falantes nativos.
    • Mixe Oriental - Estimados 72,000 falantes nativos
    Dialectos:Coatlán (mco), Istmo(mir), Quetzaltepec(pxm),Juquila(mxq), e Mazatlán(mzl)
    • Mixe de Veracruz - Estimados 4 000 falantes nativos
    Dialectos: Oluta (plo) quase extinto - apenas 100 falantes, Sayula (pos)
    • Mixe Ocidental
    Estimados 10 000 falantes nativos
    Dialectos: Totontepec (mto), Tlahuitoltepec (mxp)
  2. Línguas zoque -- Estimam-se 60 000 falantes nativos
    • Zoque de Chiapas - Estimados 22 000 falantes nativos
    Dialects: Copainalá (zoc), Rayón (zor), Francisco León (zos)
    • Zoque de Oaxaca - Estimam-se 4 500 falantes nativos
    Dialecto: Chimalapa (zoh)
    • Zoque de Veracruz - Estimam-se 30 000 falantes nativos
    Dialectos: Terras altas (poi), Texistepec (poq) quase extinto - apenas 450 falantes, Tabasco (zoq) quase extinto - apenas 40 falantes

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Campbell and Kaufman (1976).

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]