Lemony Snicket: The Unauthorized Autobiography

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox important.svg
Este artigo ou secção pode conter pesquisa inédita. Por favor, melhore-o, verificando o seu conteúdo e adicionando referências bibliográficas. Mais detalhes podem ser encontrados na página de discussão. Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Lemony Snicket: The Unauthorized Autobiography (no Brasil, Autobiografia não Autorizada) é, provavelmente, uns dos mais polêmicos livros escritos por Lemony Snicket (Daniel Handler). O livro é praticamente um dossiê (o dossiê Baudelaire) com fotografias, entrevistas, gravações e todo tipo de evidência sobre a história de Lemony Snicket, C.S.C., Beatrice, todos os voluntários e tutores dos Baudelaire. Logo no começo do livro, Lemony Snicket diz que não é preciso ler os capítulos na ordem, mas, na ordem ou não, a história fica tanto confusa para quem não prestar atenção em cada detalhe. Cada sílaba escrita é importante para compreender, enfim, as Desventuras em Série, às vezes tem de se analisar várias vezes uma mesma coisa para entender exatamente o que está ali. O índice ajuda muito a compreender algumas coisas que são enigmáticas no livro como Julie Blattberg, apesar de que o índice é às vezes meio confuso, se você entender como ele funciona para todas as palavras que estão ali, você entende muita coisa, como Beverly Cleary que é um marinheito do Próspero e também é o autor de Ramona Quimby, 8 anos.Os Segredos de C.S.C. são vários, mas o livro Lemony Snicket: Autobiografia não Autorizada é o que explica a maioria deles.

Anagramas[editar | editar código-fonte]

No livro Autobiografia não Autorizada possui muitos anagramas, eis aqui os principais.

  • Monty Kensicle: É o autor de "O mais pequenino dos Elfos", Monty Kensicle é um anagrama de Lemony Snicket
  • Tony "Mommy" Eggmonterror: É o autor do livro, "A mamba do mal: Uma serpente que nunca me matará" (que em C.S.C. se chama: Cobras e Serpentes Comestiveis), Tony "Mommy" Eggmonterror é um anagrama de Montgomery Montgomery.
  • Al Funcoot: É um dramaturgo, Al Funcoot é um anagrama de Count Olaf (Conde Olaf em inglês).
  • Lucafoont: É um disfarce de médico do homem com as mãos de gancho, Lucafoont também é um anagrama de Count Olaf.
  • Lena Pukalie: É autora do livro: "Perdi uma coisa no cinema" (que em C.S.C. se chama Cadernos Semiológicos de Cinema). Lena Pukalie é um anagrama de Pauline Kael.
  • Linda Rhaldeen: É a dramaturga que criou a peça "Aqui o mundo é sereno". O nome Linda Rhaldeen é um anagrama de Daniel Handler.
  • Loney M. Setnick: é o autor de 'A Pandega do Pônei', título da capa falsa que vem junto do livro. Anagrama de Lemony Snicket.
  • Shirley T. Sinoit-Pécer: É um disfarce de recepcionista do Conde Olaf. Na verdade esse nome não é um anagrama. Se você ler o sobrenome de Shirley de trás para frente, forma a palavra "receptionist" (que é recepcionista em inglês).

Os capítulos alterados[editar | editar código-fonte]

O autor riscou o nome original dos treze capítulos com carvão por acha que eles não eram adequados, mas os nomes dos capítulos são perfeitamente legiveis. Entre parênteses, os títulos que substituiram os originais. Ei-los:

Capítulo Um

  • Por que a morte do sr. Snicket foi publicada no jornal? (Quem tirou esta foto?)
    • Mostra um artigo do jornal d'O pundonor diário dizendo que Lemony Snicket está morto, mostra uma carta de Lemony Snicket para o enigmático Pecuário dizendo que viu seu próprio enterro e que a música que conta a história dele próprio tem muitos erros.

Obs: O sr. Snicket, diferente do que diz O Púndonor Diário, não está morto.

Capítulo Dois

  • Por que o sr. Snicket dedicou a vida ao caso Baudelaire? (Essa letra é autêntica?)
    • Capítulo curto que apresenta uma carta da Duquesa de Winnipeg para Lemony Snicket, que começa com a expressão Vivez l'esprit.

Capítulo Três

  • Por que o conde Olaf tem um olho tatuado no tornozelo? (Por que este edifício foi abandonado?)
    • Contêm uma longa transcrição de uma reunião de C.S.C., que revela inúmeros voluntários discutindo sobre mudar de base a organização e que na realidade, o voluntário O (Olaf) é um traidor.

Capítulo Quatro

  • Onde estão os trigêmeos Quagmire nesse momento? (Quem é apessoa mais alta da foto?)
    • Mostra parte do roteiro do filme Zumbis na Neve, de Gustav Sebald, e um código escondido nele, que começa e termina ao soar de um sino. Também tem uma carta de Sally Sebald para Lemony Snicket.

Capítulo Cinco

  • Quem é Beatrice? (Por que essa atriz foi substituída depois de apenas três apresentações?)
    • Mostra a resenha teatral de Lemony Snicket sobre a peça Um Último Aviso aos que Tentam Atravessar Meu Caminho, o comunicado de Eleanora Poe sobre a demissão do sr. Snicket, uma outra carta da Duquesa de Winnipeg e uma mensagem do Vinhedo dos Cachos Sumarentos.
    • A foto do capítulo pode ser uma foto de Beatrice jovem. A assinatura no canto da foto bate com o nome "Beatrice Baudelaire", apesar da assinatura estar incompleta.

Capítulo Seis

  • O que é C.S.C.? (Por que este navio zarpou mais cedo?)
    • Tem um artigo d'O Pundonor Diário sobre o navio O Próspero (envolvido com C.S.C.) que zarpou mais cedo, treinamento de disfarces fase um e fase dois, uma planta do navio e duas passagens d'O Prospero.

Capítulo Sete

  • Porque há uma passagem secreta entre a mansão Baudelaire e a Avenida Sombria 667? (Do que é a mancha na jaqueta do homem?)
    • Contêm o artigo Assassinato na Serraria Alto-Astral modificado para Acidente na Serraria Alto-Astral e três cartas: Uma de Geraldine Juliene, outra de Jacques Snicket e a última de Jerome Squalor.

Capítulo Oito

  • Por que o sr. Poe não é tão prestativo quanto devia? (Por que essas crianças não vão fazer algo melhor do que se sentar do lado de fora e ficar olhando melancolicamente para a câmera?)
    • Uma carta do vice-diretor Nero para os Spats, uma carta anônima, uma gravação do sr. Poe e sua irmã, uma carta do sr. Poe e dois telegramas.

Capítulo Nove

Capítulo Dez

  • Quantos associados tem o conde Olaf? (O que pode ser escondido em um livro?)
    • Uma carta de Lemony Snicket, vários pedaços de livros que descrevem os associados do conde Olaf, uma carta da diretora de RH do hospital Heimlich para Hal e um papel com várias frases riscadas.

Capítulo Onze

  • Os pais dos Baudelaires estão realmente mortos? (Porque tantas coisas terminam em fogo?)
    • Uma carta do sr. Helquist e um artigo sobre o Corajoso Sodalício Campestre Pecuário.

Capítulo Doze

  • Existe alguma coisa que um cidadão preocupado possa fazer, caso queira ajudar os Baudelaire? (Se não há nada lá fora, o que foi aquele barulho?)

Capítulo Treze

A Árvore genealógica de Lemony Snicket.[editar | editar código-fonte]

A árvore genealógica de Lemony Snicket é muito confusa. Na árvore só possui a primeira letra do nome de cada pessoa da genealogia de Lemony Snicket. Além disso, também há um legenda na parte inferior da árvore genealógica que fala sobre os tios avós de Lemony Snicket e sobre o próprio avô dele, eles são A., B. e C.. Sendo que C. é o avô de Lemony Snicket. Além disso, também possui na legenda uma inicial V. que não possui na árvore genealógica de Lemony Snicket.

  • A.: É um tio avô ou tia avó de paradeiro desconhecido. O tronco da árvore genealógica que leva a ele possui um buraco que contém um ser que não podemos ver, ou seja, desconhecido. A criatura no tronco da árvore que leva a ele deve querer representar que ele é desconhecido, uma coisa que a própria legenda já diz.
  • B.: É um tio avô ou tia avó de paradeiro desinteressante. No tronco onde está a inicial contêm um pica-pau, querendo representar uma coisa desinteressante ou uma coisa ignorante. Nada que não diga na legenda.
  • C.: É o avô de Lemony Snicket e se chama Charles Snicket. Foi ele que fez com que todos da família Snicket existissem. Ele teve três filhos, que a primeira letra dos nomes são: D., E. e F.. D. teve G., H. e I. primos de Lemony. E. teve J., K. e L., como se sabe, eles são Jacques, Kit e Lemony. E por último, F. teve M., N. e O.. Alguns acreditam que O. seja Olaf, mas é difícil de saber. Aliás, ele beijou Kit, e se fosse sua parente iria soar muito estranho. No ramo que leva ao O., há uma forca, provavelmente significando que ele faleceu ou que ele traiu a família, o que ajuda a acreditar que era Olaf. No decorrer do livro, parece ter dois O.. No capítulo três, há um O. que diz que preferia ser chamado de T., e no capítulo sete, há um O. que preferia ser chamado S.. E S. pode significar Snicket.
  • V.: É a última letra da legenda, e ela significa voluntário. A letra V. não existe na árvore genealógica. Alguns acreditam que significa que na verdade a árvore genealógica significa que um homem chamado Charles Snicket chamou três pessoas para se tornarem voluntárias em C.S.C., e que essas três pessoas chamaram mais três pessoas o que levou a Jacques, Kit e Lemony a se tornarem voluntários. E isso é fortalecido porque o pai de Lemony se chama Jacob, e na árvore genealógica diz que seu nome começa com E., há não ser que o nome da sua mãe começar com E. E que o da mãe é que esteja na árvore genealógica.

Não dá para saber o que realmente a árvore genealógica significa, só se sabe que têm que se observar cada detalhe para descobrir.

A Series of Unfortunate Events (br: Desventuras em Série; pt: Uma Série de Desgraças)