Lidia Gueiler Tejada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lidia Gueiler Tejada
Presidente da Bolívia Bolívia
Período de governo 16 de novembro de 1979
a 17 de julho de 1980
Antecessor(a) Alberto Natusch Busch
Sucessor(a) Luis García Meza Tejada
Vida
Nascimento 28 de agosto de 1921
Cochabamba Bolívia
Morte 9 de maio de 2011
La Paz Bolívia

Lidia Gueiler Tejada (Cochabamba, 28 de agosto de 1921La Paz, 9 de maio de 2011) é uma ex-política boliviana que foi presidente de seu país entre 16 de novembro de 1979 e 17 de julho de 1980.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi uma dirigente influente da revolução socialista de 1952. Assumiu a presidência da Bolívia em 1979 após o fracasso do golpe militar de Alberto Natusch Busch. Menos de um ano depois sofreu um golpe militar orquestrado por Luís García Meza e saiu do poder. Depois de ser exilada, tornou-se embaixadora na Venezuela e Colômbia. Saiu da política em 1993.[1]

Faleceu de causas naturais em 9 de maio de 2011.[1]

É parente da atriz estadunidense Raquel Welch, nascida Jo Raquel Tejada[carece de fontes?].

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Portal Vermelho. Morre Lidya Gueiler Tejada, única presidente mulher da Bolívia. Acesso em 9 de maio de 2011
Precedido por
Alberto Natusch Busch
Presidentes de Bolívia
1979 - 1980
Sucedido por
Luis García Meza Tejada




Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.