Mariana dos Países Baixos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mariana dos Países Baixos
Princesa da Prússia
Princesa dos Países Baixos
Cônjuge Alberto da Prússia
Descendência
Carlota
Alberto
Isabel
Alexandrina
João
Nome completo
Guilhermina Frederica Luísa Carlota Mariana
Casa Orange-Nassau
Pai Guilherme I dos Países Baixos
Mãe Guilhermina da Prússia
Nascimento 9 de Maio de 1810
Berlim, Prússia
Morte 29 de maio de 1883 (73 anos)
Schloss Kamenz, Silésia

A Princesa Mariana dos Países Baixos, princesa de Orange-Nassau (Guilhermina Frederica Luísa Carlota Mariana), (9 de Maio de 1810 - 29 de Maio de 1883) foi um membro da Casa de Orange-Nassau por nascimento e princesa do reino da Prússia por casamento.

Família[editar | editar código-fonte]

Nascida em Berlim, foi a segunda filha do rei Guilherme I dos Países Baixos e da sua esposa, a princesa Guilhermina da Prússia. A sua irmã mais velha, Paulina, tinha morrido em 1806, muito antes do seu nascimento, por isso tornou-se na única filha dos seus pais a chegar à idade adulta. Os seus dois irmãos mais velhos eram o futuro rei Guilherme II e o príncipe Frederico dos Países Baixos. Outros dois irmãos foram nados-mortos.

Vida[editar | editar código-fonte]

No dia 14 de Setembro de 1830, Mariana casou-se em Haia com o seu primo direito, o príncipe Alberto, quarto filho do irmão da sua mãe, o rei Frederico Guilherme III da Prússia. A união resultou em cinco filhos:

Mariana em 1850

Em 1845 deixou o seu marido infiel para começar a viver com o seu amante, o antigo cocheiro Johannes van Rossum. No dia 28 de Março de 1849, Mariana e Alberto divorciaram-se oficialmente. Sete meses depois, no dia 30 de Outubro, Mariana deu à luz o seu único filho com van Rossum em Cefalù, na Sicília, um rapaz chamado Johannes Wilhelm von Reinhartshausen. Depois disto, as cortes de Haia e Berlim cortaram todo o contacto com ela. Maria, Johannes e o filho passaram os anos seguintes entre a Itália e Erbach.

Em 1855, Mariana comprou o Castelo Reinhartshausen em Erbach. Sendo uma mulher invulgarmente progressista para o seu tempo, tornou Reinhartshausen num centro cultural do Reno. Mariana reconstruiu parte do castelo para o tornar num museu para a sua colecção pessoal de mais de 600 quadros. O museu ainda existe hoje em dia com o nome Festsäle. O castelo estava sempre pulsante com vários convidados e Mariana encorajava jovens artistas oferecendo-lhes alojamento. Entre os tesouros que sobreviveram até hoje encontram-se 180 quadros e 110 desenhos, incluindo aguarelas e guaches, bem como várias esculturas.

No dia de Natal de 1861, o seu filho Johannes Wilhelm morreu de pneumonia em Reinhartshausen com 12 anos de idade. Em sua memória, Mariana doou 60.000 florins aos habitantes de Erbacher para comprar um terreno onde seria construída uma igreja. Quando a igreja ficou pronta, o corpo de Johannes foi enterrado debaixo do altar. A igreja recebeu o nome de Johannes e ainda existe hoje em dia em Erbach.

Mariana viveu mais dez anos que o filho, tendo vindo a falecer no Castelo Reinhartshausen em Erbach vinte dias depois do seu 73.º aniversário. O seu corpo foi enterrado próximo do seu amante Johannes van Rossum e do filho de ambos.

O seu filho mais velho, o príncipe Alberto da Prússia, herdou as propriedades da mãe, incluindo o Castelo Reinhartshausen. Em 1940, o seu neto, o príncipe Frederico Henrique da Prússia, filho de Alberto, herdou a propriedade do pai. Hoje em dia o castelo é um hotel de cinco estrelas.2

Referências