O Grande Desafio de Vôlei – Brasil X URSS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Grande Desafio de Vôlei
Brasil Brasil X União das Repúblicas Socialistas Soviéticas URSS
Data 26 de Julho de 1983
Local Maracanã, Rio de Janeiro, Brazil
Árbitro Eduardo Guimarães
Público 95.887 pagantes

O Grande Desafio de Vôlei – Brasil X URSS, foi um partida amistosa de voleibol em uma quadra montada no estádio do Maracanã, com recorde de público até hoje para um esporte Olímpico, se não o Futebol, seja á céu aberto ou no interior de ginásios poly-esportivos: 95.887 pagantes[1] .

Até então, o maior número de pessoas reunidas pelo chamado esporte amador tinha sido de 90 mil espectadores, que assistiram à abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 1964[2] .

É considerada pela FIVB uma das mais importantes partidas da história do vôlei[3] .

A partida[editar | editar código-fonte]

Após conquistar uma inédita medalha de prata no Campeonato Mundial de Voleibol Masculino de 1982, disputado em Buenos Aires, o Brasil entrava para valer no cenário do vôlei internacional. A CBV, então, firmou uma parceria com a empresa de marketing esportivo Promoção, do publicitário José Estevão Cocco, do narrador Luciano do Valle e do publicitário José Francisco Coelho Leal (Quico), que passou a realizar eventos promocionais para o vôlei brasileiro. Assim, em 1983, a CBV convida a então seleção da União Soviética, campeã Olímpica e Mundial, para uma série de quatro jogos amistosos, a serem realizados nas cidades de São Paulo, Recife, Vitória e Rio de Janeiro.

Após a confirmação dos amistosos, pesquisou-se o melhor período para a realização do jogo do Rio de Janeiro que seria a realizado no estádio do Maracanã (o primeiro envolvendo equipes de nível mundial a céu aberto). Todas as pesquisas indicaram o mês de julho como o de menor índice pluviométrico dos últimos 10 anos na cidade do Rio de Janeiro.

A princípio, a partida do Rio de Janeiro havia sido marcada para o dia 17 de julho de 1983 às 21h30. Porém, o jogo teve de ser adiado devido à forte chuva que caia sobre a cidade. Assim, a 4a e última partida amistosa foi remarcada para o dia 26 de julho de 1983. Mesmo com o novo dilúvio que caia, a partida não pôde ser remarcada, pois a seleção soviética tinha compromissos na Europa[4] .

Assim, a partida teve de ser realizada na noite chuvosa do dia 26 de julho de 1983. A quadra foi montada no centro do gramado[5] . Ainda no primeiro set, uma forte chuva interrompeu o jogo. Viacheslaz Platanov, técnico do time do Leste Europeu, teve a idéia de pegar os tapetes que iam do vestiário até a quadra para forrar a quadra e continuar a partida[6] . Uma fita de esparadrapo larga foi usada para fazer a marcação da linha dos 3 metros e do fundo da quadra. Além disso, sempre que a quadra ficava molhada, os jogadores enxugavam o chão com as próprias toalhas[7] .

O jogo - transmitido ao vivo no Brasil pela Rede Record, nos Estados Unidos pela Rede ABC, e na Inglaterra pela BBC de Londres - pode ser considerado o marco inicial que ajudou na popularização do voleibol no Brasil e transformou a modalidade no segundo esporte mais popular no país[8] .

A Quadra[editar | editar código-fonte]

A quadra foi montada no centro do gramado do Maracanã por cerca de 200 profissionais, como carpinteiros, marceneiros, eletricistas, e carregadores, liderados por Mário Marcos Girello - o Maraco - e apoiados por caminhões e até helicópteros. Em pouco mais de 24 horas estava armada a quadra, feita de material sintético cor de laranja sobre um tablado de 1.500 metros quadrados. Como estava proibido esburacar o sagrado gramado, durante semanas, os engenheiros da empresa Rohr desenvolveram sistemas de encaixes para montar a quadra e as hastes da rede[9] . As marcações da quadra foram feitas com fita adesiva branca[10]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

26 de Julho de 1983
21:00
Detalhes
Seleção Brasileira Brasil 3 - 1[11] União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Seleção Soviética
Árbitro(s): Eduardo Guimarães[12]
14
16
15
15
Set 1
Set 2
Set 3
Set 4
16
14
7
10
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas
BRASIL:
Bernardinho
Badalhoca
Xandó
Montanaro
Rui Campos
Renan Dal Zotto
William
Amauri
Marcus Vinícius
Domingos Maracanã
Léo
Bernard
Cacau
Fernandão
Ronaldo
Treinador:
Bebeto de Freitas
URSS:
Vyacheslav Zaytsev
Yuri Panchenko
Alexander Savin
Vladimir Shkurikhin
Pavel Selivanov
Oleg Moliboga
Viktor Sidelnikov
Sergei Grilov
Oleg Smugilev
Viljar Loor
Nikolai Gubelnik
Treinador:
Viacheslaz Platanov

Recordes[editar | editar código-fonte]

  • Recorde de público numa partida a céu aberto: 95.887 pagantes

Na mídia[editar | editar código-fonte]

  • Em 2008, comemorando os 25 anos deste jogo, foi lançado o livro "Vôlei Brasil – História dos Vencedores sob o Foco do Marketing Esportivo" (autoria de José Estevão Cocco) que tem como pano de fundo esta partida, e explica como o marketing esportivo impulsionou a modalidade rumo ao segundo posto na preferência do público, quebrando o monopólio do futebol[15] [16] .
  • No dia 3 de março de 2011, o programa Band Classicos exibiu o programa "1983: ano em que o vôlei brasileiro nasceu para o mundo" que conta como esta partida mudou os rumos do vôlei brasileiro[17] .

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Em 1984, o Brasil fez uma partida amistosa contra os Estados Unidos, no estádio do Morumbi, em São Paulo. Na ocasião, incentivado por um grande público, os brasileiros venceram por 3 a 0 em uma espécie de revanche da final dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, naquele mesmo ano[19] .
  • Em Junho de 2013, em jogo válido pela Liga Mundial, o Brasil enfrentará a Polonia no Estádio Nacional de Varsóvia[19] . Um dos principais diferenciais do estádio é a cobertura retrátil, algo essencial para um jogo de vôlei acontecer sem interferência da chuva e dos ventos[20] .

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. abraesporte.com.br/ Cases de Sucesso | Vôlei – Brasil X URSS no Maracanã
  2. portaldapropaganda.com.br/ GRANDE DESAFIO DE VÔLEI BRASIL X URSS
  3. fivb.org/ Volleyball's Chronological Highlights
  4. photoegrafia.com.br/ Memórias de Pedro Pires
  5. esportes.br.msn.com/ Veja curiosidades do vôlei brasileiro: Jogo no Maracanã
  6. esporte.ig.com.br/ Geração de prata inovou na maneira de jogar e até bateu bola no Maracanã
  7. placar.abril.com.br/ Maracanã completa 62 anos - Imagem 13 de 24 (Jogo histórico de Volei)
  8. esporte.uol.com.br/ Com carreira marcada por vitórias no vôlei, ambição e críticas, Nuzman tenta chegar a 21 anos no COB
  9. jcoccosport.com.br/ O maior jogo da história do vôlei
  10. globoesporte.globo.com/ Lembra Dele? Badá larga viagens do vôlei para viver em 'refúgio' na serra
  11. efdeportes.com/ História do voleibol no Brasil e o efeito da evolução científica da educação física brasileira nesse esporte
  12. advjaragua.wordpress.com/ Curiosidade x História - Você conhece esse árbitro???
  13. band.uol.com.br/ Documentário "Geração de Prata"
  14. voleibrasil.org.br/ A Geração de Prata agora em DVD
  15. futebolinterior.com.br/ Livro mostra como Vôlei se tornou o 2º esporte no Brasil
  16. imprensa.quaero.com.br/ Lançamento do livro "Vôlei Brasil - História dos Vencedores Sob o Foco do Marketing Esportivo".
  17. tvuol.uol.com.br/ 1983: ano em que o vôlei brasileiro nasceu para o mundo
  18. revistamonet.globo.com/ Quais foram os 100 maiores momentos da TV? Nossos leitores escolheram!
  19. a b esporte.uol.com.br/ FIVB confirma, e seleção de vôlei voltará a atuar em estádio de futebol após 29 anos
  20. lancenet.com.br/ Polônia x Brasil em um estádio de futebol para 60 mil pessoas

Ligações externas[editar | editar código-fonte]