Ottorino Respighi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ottorino Respighi (Bolonha, 9 de Julho de 1879 - Roma, 18 de Abril de 1936) foi um compositor musicólogo, pianista, violista e violinista italiano. É muito conhecido pela autoria da Trilogia Romana e pelas três suites de Árias e Danças Antigas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Teve uma formação musical internacional. Filho de um professor de piano de Bolonha, estudou violino e viola com Federico Sarti no Liceo Musicale de Bolonha e composição com Giuseppe Martucci. Foi aluno de Nikolai Rimsky-Korsakov em São Petersburgo (1900) e de Max Bruch em Berlim, em 1902.

Em 1913 torna-se professor na Academia de Santa Cecília, em Roma, vindo depois a ser seu director (1923-1926). Casa com uma antiga aluna, Elsa Olivieri-Sangiacomo, em 1919.

Mantém difíceis relações com Benito Mussolini e o seu partido fascista. Musicalmente, tentou reprimir os excessos do verismo triunfalista e tentou reatar as tradições italianas, como por exemplo os antigos modos do cantochão, enquanto criava um estilo que misturava impressionismo, neoclassicismo e pós-romantismo em composições com sentido de luxúria e sensualidade, com sons exóticos e ricos.

Principais obras[editar | editar código-fonte]

Além de estudioso da música italiana, em particular dos séculos XVI a XVIII, Respighi foi autor de nove óperas, de três bailados, de um Concerto Gregoriano para violino, de um Concerto mixolídio para piano (1925), várias peças para música de câmara e muitas melodias, mas as suas obras mais conhecidas são os poemas sinfónicos As Fontes de Roma (1916) e Os Pinheiros de Roma (1923), popularizados por Arturo Toscanini. Estas duas peças, em conjunto com Festas Romanas (1928) formam a Trilogia Romana.

Óperas[editar | editar código-fonte]

  • Rè Enzo (1905)
  • Semirama (1910)
  • La bella addormentata nel bosco (1922)
  • Belfagor (1923)
  • La campana sommersa (1927)
  • Maria Egiziaca («mistério» musical em um acto) (1932)
  • La fiamma (1934)
  • Lucrezia (1937)

Obras sinfónicas[editar | editar código-fonte]

Leitura recomendada[editar | editar código-fonte]

  • Respighi, Elsa (1955) Fifty Years of a Life in Music ((em inglês))
  • Respighi, Elsa (1962) Ottorino Respighi, London: Ricordi ((em inglês))
  • Nupen, Christopher (director) (1983) Ottorino Respighi: A Dream of Italy, Allegro Films ((em inglês))

Ligações externas[editar | editar código-fonte]