Philippe-Isidore Picot de Lapeyrouse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Philippe-Isidore Picot de Lapeyrouse
Quartz prase encontrado por Picot de Lapeyrouse e Dolomieu em 1793.

Philippe-Isidore Picot de Lapeyrouse (Toulouse, 20 de outubro de 1744Lapeyrouse-Fossat, 18 de outubro de 1818) foi um naturalista francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai foi um comerciante respeitável. Philippe optou primeiro por uma carreira na magistratura e obteve, em 1768, a função de advogado na Câmara das Águas e Florestas do Parlamento de Toulouse. Uma reforma administrativa liberou-o do seu posto em 1771 e, deste modo, passou a se dedicar a sua verdadeira paixão: história da botânica. Um dos seus tios morreu em 1775 deixando-lhe uma fortuna.

Ele passou seu tempo viajando e estudando. Publicou em 1781, sua Description de plusieurs nouvelles espèces d'orthocératites et d’ostracites (Erlangen) , um trabalho dedicado às conchas fósseis. Publicou em Mémoires diversos relatos sobre a flora, a fauna e os minerais dos Pirenéus. Suas observações ornitológicas estão incluídas no Dictionnaire des oiseaux, publicada na Encyclopédie méthodique. Em 1786, publicou um Traité des mines et forges à fer du comté de Foix.

Em 1790, foi nomeado administrador do distrito de Toulouse. Mesmo renunciando a esta função em 1792, foi preso por dezoito meses. Libertado com a morte de Robespierre, retorna as suas pesquisas, e ocupa a função de inspetor de minas e, posteriormente, como professor de história natural na Escola Central de Toulouse. Em 1800, é nomeado presidente da Câmara Municipal de Tolouse, função que conservou até 1806. Para os seus cursos, publicou em 1799 seu trabalho didático Tables méthodiques des mammifères et des oiseaux observés dans le département de la Haute-Garonne.

Lapeyrouse projetou publicar um tratado sobre toda a flora dos Pirenéus, porém só conseguiu publicar uma monografia denominada Monographie des saxifrages (1801). Entretanto, publicou em 1813, uma versão abreviada sob o título Histoire abrégée des plantes des Pyrénées et Itinéraire des botanistes dans ces montagnes.

Em 1807, após o restabelecimento da Academia de Toulouse, extinta em 1792, assume o cargo de secretário perpétuo.

Larreátegui foi aluno de Vicente Cervantes. Foi o primeiro a descrever de maneira científica a única espécie do gênero Chiranthodendron ( Chiranthodendron pentadactylon’’) . Sua descrição foi reprisada por Aimé Bonpland.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Mémoires d'histoire naturelle Notice n° : FRBNF33480789
  • Mémoires d'histoire naturelle : Description de quelques crystallisations… - Histoire naturelle du Lagopède. - Description de quelques plantes des Pyrénées (1774-1778)
  • Mémoire sur la mortalité des ormes dans les environs de Toulouse (1787)
  • Figures de la flore des Pyrénées, avec des descriptions… (1795)
  • Tables méthodiques des mammifères et des oiseaux observés dans le département de la Haute-Garonne (ano VII)
  • Histoire abrégée des plantes des Pyrénées… et Itinéraire des botanistes dans ces montagnes (1813)
  • Considérations sur les lycées, surtout par rapport aux départements, que foi impresso pelo Conselho geral de Haute-Garonne e enviado aos deputados. (1815)
  • Supplément à l'″Histoire abrégée des plantes des Pyrénées″ (1818)



Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.