Porta-aviões japonês Shokaku

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Shōkaku shortly after completion in August of 1941.
Carreira Japanese Navy Ensign
Projetado:
Construção: Estaleiro Yokosuka (Shokaku) e Kawasaki (Zuikaku)
Colocação da quilha: 12 de Dezembro de 1937
Lançamento: 1 de Junho de 1939
Comissionado: 8 de Agosto de 1941
Destino: Afundado pelo submarino USS Cavalla em 19 de Junho de 1944
Características Gerais
Deslocamento: 32105 toneladas (carga máxima),
25675 toneladas (normal)
Comprimento: 257,5 m (845 pés)
Largura: 26 m (85 pés)
Altura da linha de água: 8,8 m (29 pés)
Propulsão: Gerador de turbinas Kanpon,
160000 hp (119 MW),
4 eixos
Velocidade: 34,2 Nós (63.3 km/h)
Autonomia: 9700 milhas náuticas a 18 nós
(18000 km a 33 km/h)
Tripulação: 1660
Armamento: dezeseis canhões de 5 polegadas (127 mm) metralhadoras AA (Tipo 98)
70 metralhadoras de 25 mm (Tipo 96)
Aeronaves: 84 total

27 A6M Zeros, 27 D4Y Judy e 18 B6N Jill (Zuikaku em Outubro 1944)

Shokaku (翔鶴 "Garça voadora", segundo outras fontes, "Garça bem agoirada".[1] ) foi um porta-aviões da Marinha Imperial do Japão, nave líder de sua classe de porta-aviões. Junto com sua nave irmã, o Zuikaku, esteve presente em diversos momentos importantes do conflito no Pacífico durante a II Guerra Mundial, como o ataque a Pearl Harbor e a Batalha do Mar de Coral.

Lançado ao mar a 1 junho de 1939 tinha um moderno e eficiente design, pesando 30 mil toneladas e velocidade máxima de 34 nós (63 km/h), com capacidade para carregar entre 70 e 80 aviões. Sua blindagem superior aos similares Aliados da época, permitiram ao Shokaku sobreviver a pesados danos sofridos pela aviação inimiga durante as batalhas do Mar de Coral e de Santa Cruz, apesar de vir a encontrar seu fim nos torpedos de um submarino norte-americano.

Junto com o navio irmão Zuikaku, formando a 5ª divisão de porta-aviões da esquadra japonesa, o Shokaku recebeu seus aviões pouco antes do ataque a Pearl Harbor, no limite de tempo necessário para participar dele, o que fez transportando a bordo 15 caças Mitsubishi A6M Zero de ataque e 54 caças-bombadeiros e torpedeiros. Com o Zuikaku como navio-almirante, a 5ª divisão de porta-aviões chega à Baía de Hittokapu a 22 de Novembro.

Em 1942, o porta-aviões participou dos primeiros ataques japoneses no Oceano Pacífico, principalmente a Rabaul, na Nova Guiné, em janeiro e no ataque pelo Oceano Índico à importante base britânica de Colombo, no Ceilão, em março, junto a outros porta-aviões da frota, causando grande dano às instalações portuárias na região.

Com a força de ataque completa, os japoneses encontraram e afundaram o porta-aviões Hermes e dois cruzadores britânicos, antes de se dirigirem ao Mar de Coral, onde numa grande batalha aeronaval, seus aviões ajudaram a afundar o porta-aviões americano USS Lexington, mas ele mesmo viria a sofrer grandes danos causados pela aviação do outro porta-aviões inimigo na batalha, o USS Yorktown.

Após reparos, o Shokaku, sempre junto com o Zuikaku, envolveu-se em outras batalhas aeronavais em 1942 nas Ilhas Salomão, ao largo de Guadalcanal, onde lograram avariar e retirar de combate o USS Enterprise e a batalha das Ilhas Santa Cruz, onde afundaram o USS Hornet, mas que custou ao grande navio novas e sérias avarias causadas por bombardeiros de mergulho.

Em 1943, após passar novamente por longos reparos, o Shokaku ficou baseado na ilha de Truk, quartel general da marinha japonesa no Pacífico, como uma das principais belonaves da frota. Em 1944, baseado em Singapura, ele partiu para a que seria sua última missão, um contra ataque à marinha e às forças de desembarque norte-americanas nas Ilhas Marianas.

Em 19 de junho, durante a Batalha do Mar das Filipinas, travada ao largo das ilhas, o porta-aviões foi atingido em cheio às 11h23m, por torpedos do submarino USS Cavalla, num momento em que estava numa posição extremamente vulnerável, reabastecendo os aviões no convés, ajudando a que as explosões dos torpedos causassem grandes incêndios impossíveis de serem controlados. As 14h08m uma bomba dos aviões explodiu, volatilizando o combustível de avião estocado, fazendo com que o grande navio afundasse rapidamente, carregando consigo 1272 marinheiros e oficiais. O capitão Matsubara e 570 homens conseguiram ser resgatados por navios de apoio.

Lançado ao mar durante tempestade (Yokosuka, 1 de Junho de 1939, 14h:30m).
Lançado ao mar durante tempestade (Yokosuka, 1 de Junho de 1939, 14h:30m).
Preparação para a 1ª onda de ataques a Pearl Harbor (7 de Dezembro de 1941).
Preparação para a 1ª onda de ataques a Pearl Harbor (7 de Dezembro de 1941).
Shokaku antigido por ataque aéreo na Batalha do Mar de Coral.
Shokaku antigido por ataque aéreo na Batalha do Mar de Coral.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Euphrosine & Colombier
Porta-aviões Classe Shokaku
Shokaku | Zuikaku

Lista de navios da marinha japonesa