Príncipe da Beira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Príncipe da Beira
Brasão de armas do Príncipe da Beira
Duração Até a ser Chefe da Casa Real Portuguesa
Inaugurado por D. Joana
Criado em 1645
Estandarte do Príncipe da Beira

Príncipe da Beira é, desde 1734, o título conferido ao primogénito do herdeiro presuntivo da Coroa de Portugal, o qual, por sua vez tem actualmente o título de Príncipe Real. Hoje em dia é usado por D. Afonso de Santa Maria, filho mais velho do pretendente ao trono português, o Príncipe Real D. Duarte Pio.

O título Princesa da Beira foi criado em 1645, por D. João IV, como designação da filha mais velha do monarca, independentemente de ser ou não, herdeira presuntiva da coroa. O título Príncipe do Brasil estava reservado aos primogénitos varões do monarca, estes sim, quando existissem, sempre herdeiros presuntivos da coroa. Até então o herdeiro real tinha o simples título de Príncipe, sendo que a filha mais velha do monarca apenas o recebia se não tivesse irmãos varões.

Em 17 de Dezembro de 1734 o rei D. João V reorganiza o sistema de títulos da família real. A partir daí, tanto o título de Príncipe do Brasil como o de Príncipe da Beira poderiam ser atribuídos a pessoas dos dois sexos. Passavam a ser Príncipes do Brasil todos os herdeiros presuntivos do trono. Já o título de Príncipe da Beira passava a ser o do filho herdeiro do Príncipe do Brasil (portanto, o segundo na linha de sucessão). Pelo novo sistema, a primeira Princesa da Beira foi a neta recém-nascida de D. João V, D. Maria Francisca, futura rainha D. Maria I. O Primeiro Príncipe da Beira do sexo masculino foi D. José, filho da Princesa D. Maria Francisca.

Ao título de Príncipe da Beira é associado o tratamento de Alteza Real (S.A.R.)

Princesas da Beira, na qualidade de filhas mais velhas do monarca[editar | editar código-fonte]

  1. D. Joana (1645-1653), na qualidade de filha mais velha de D. João IV
  2. D. Catarina Henriqueta (1653-1662), na qualidade de filha mais velha de D. João IV, em virtude da morte da Princesa D. Joana, tornando-se depois Rainha de Inglaterra
  3. D. Isabel Luísa (1669-1690), na qualidade de filha mais velha de D. Pedro II, sendo herdeira presuntiva do trono até ao nascimento do Príncipe D. João
  4. D. Maria Bárbara (1690-1729), na qualidade de filha mais velha de D. João V, tornando-se depois Rainha de Espanha

Príncipes da Beira, na qualidade de segundos na linha de sucessão[editar | editar código-fonte]

  1. D. Maria Francisca (1734-1750), na qualidade de primogénita do Príncipe D. José (herdeiro presuntivo do trono), tornando-se depois, sucessivamente, Princesa do Brasil e Rainha.
  2. D. José (1761-1788), na qualidade de primogénito da Princesa D. Maria Francisca (herdeira presuntiva do trono), tornando-se depois Príncipe do Brasil.
  3. D. Maria Teresa (1793-1795), na qualidade de primogénita do Príncipe D. João (herdeiro presuntivo do trono), perdendo o título ao nascer D. Francisco António, por este ser varão.
  4. D. Francisco António (1795-1801), na qualidade de varão mais velho do Príncipe D. João (herdeiro presuntivo do trono).
  5. D. Pedro de Alcântara (1801-1816), depois da morte de D. Francisco António, na qualidade varão primogénito do Príncipe D. João (herdeiro presuntivo do trono), tornando-se depois, sucessivamente, Príncipe Real do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, Imperador do Brasil e Rei de Portugal.
  6. D. Maria da Glória (1819-1820) (1ª vez), na qualidade de primogénita herdeira do Príncipe D. Pedro de Alcântara, perdendo o título ao nascer D. João Carlos, por este ser varão.
  7. D. Miguel (1820), na qualidade de varão mais velho do Príncipe D. Pedro de Alcântara.
  8. D. João Carlos (1821-1822), na qualidade de varão mais velho do Príncipe D. Pedro de Alcântara.
  9. D. Maria da Glória (1822-1826) (2ª vez), em virtude de ter voltado a ser a herdeira de D. Pedro de Alcântara em relação ao trono de Portugal, ao morrer o Príncipe D. João Carlos.
  10. D. Luís Filipe (1887-1888), na qualidade de primogénito do Príncipe D. Carlos (herdeiro presuntivo do trono), tornando-se depois Príncipe Real.

Reivindicações pós-Monarquia[editar | editar código-fonte]

Reivindicaram, também, o título de Príncipe da Beira:

  1. D. Duarte Pio (nascido em 1945), na qualidade de primogénito de D. Duarte Nuno (pretendente ao trono), adquirindo depois o título de Príncipe Real, que reivindica igualmente.
  2. D. Afonso de Santa Maria (nascido em 1996), na qualidade de primogénito de D. Duarte Pio (pretendente ao trono).
Ícone de esboço Este artigo sobre títulos de nobreza é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.