Quem Tem Medo de Virginia Woolf?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde janeiro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Who's Afraid of Virginia Woolf?
Quem tem medo de Virgínia Woolf? (PT/BR)
 Estados Unidos
1966 • p&b • 131 min 
Direção Mike Nichols
Roteiro Ernest Lehman
Elenco Elizabeth Taylor
Richard Burton
George Segal
Sandy Dennis
Género drama
Idioma inglês / latim
Página no IMDb (em inglês)

Who's Afraid of Virginia Woolf? (br/pt: Quem tem medo de Virgínia Woolf?) é um filme estadunidense de 1966, do gênero drama, dirigido por Mike Nichols. O roteiro é uma adaptação da peça teatral homônima, escrita por Edward Albee.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Bimo e George são casados, já estão na meia-idade, são intelectuais, se amam e se odeiam. Depois de uma festa na casa do pai de Martha, o presidente da universidade onde George leciona, o casal retorna até a sua residência próxima. Já de madrugada, e bastante embriagados, eles acolhem Nick e Honey, um jovem casal que também estava na mesma festa e mora longe. Nick é outro professor da universidade.

Quando os jovens chegam, estão também embriagados. Constrangidos com o clima tenso entre George e Martha, que acabaram de ter uma violenta discussão, eles recomeçam a beber junto com seus anfitriões. Martha se insinua abertamente para Nick e humilha George que, despeitado, "inventa" um tipo de "jogo da verdade", induzindo as pessoas a seu redor a confessarem detalhes intímos. Só que George não diz quando fala a verdade e quando mente sobre si mesmo, enquanto seus confusos interlocutores dizem mentiras que pensavam ser verdades - geralmente escondidas e escabrosas, mas logo desvendadas pelos outros.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Princpais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Categoria Recebedor(s) Resultado
Óscar Melhor Filme Indicado
Melhor Diretor Mike Nichols Indicado
Melhor Ator Richard Burton Indicado
Melhor Atriz Elizabeth Taylor Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante Sandy Dennis Venceu
Melhor Ator Coadjuvante George Segal Indicado
Melhor Edição Sam O'Steen Indicado
Melhor Som George Groves Indicado
Melhor Trilha-sonora Alex North Indicado
Melhor Direção de Arte (Preto-e-branco) Richard Sylbert & George Hopkins Venceu
Melhor Figurino (Preto-e-branco) Irene Sharaff Venceu
Melhor Fotografia (Preto-e-branco) Haskell Wexler Venceu
Melhor Roteiro Adaptado Ernest Lehman Indicado


BAFTA 1967 (Reino Unido)

  • Venceu nas categorias de melhor filme de qualquer origem, melhor atriz britânica (Elizabeth Taylor) e melhor ator britânico (Richard Burton).

Globo de Ouro 1967 (EUA)

  • Indicado nas categorias de melhor filme - drama, melhor diretor de cinema, melhor ator de cinema - drama (Richard Burton), melhor atriz de cinema - drama (Elizabeth Taylor), melhor roteiro, melhor ator coadjuvante (George Segal) e melhor atriz coadjuvante (Sandy Dennis).

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Foi o primeiro filme dirigido por Mike Nichols.
  • O autor da peça desejava Bette Davis e James Mason para os papéis principais, tanto que escreveu uma fala (What a dump!) para o personagem Martha retirada do filme Beyond the Forest, de 1949, interpretado por Davis.
  • O nome da peça parodia a célebre canção infantil Quem tem medo do lobo mau? (Who's Afraid of the Big Bad Wolf?) do desenho animado da Disney, Os Três Porquinhos.
  • O filme foi realizado na época em que Elizabeth Taylor e Richard Burton eram casados na vida real e os rumores são de que o casal talvez tenha se inspirado nas suas brigas e bebedeiras para interpretar com maestria os protagonistas.
  • Elizabeth Taylor, sempre bela e glamurosa nos filmes até então, surpreendeu o público ao aparecer gorda e envelhecida, num papel escandaloso de uma megera barulhenta e furiosa. A metamorfose lhe garantiu o segundo Oscar de melhor atriz.
  • O filme aparece em 67º lugar na lista dos 100 melhores filmes da AFI, edição de décimo aniversário.
  • Virgínia Woolf é também o nome de uma escritora, ensaísta e editora britânica, conhecida como uma das mais proeminentes figuras do modernismo.