Raqqa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Raqqa
الرقة
ArRaqqahRoofTops.jpg
Raqqa está localizado em: Síria
Raqqa
Localização de Raqqa ( Síria)
Coordenadas 35° 57' N 39° 1' E
País  Síria
Área  
  Total 1962 km²
Altitude 245 m
População  
  Cidade (2012)
  Urbana 220268
  Metro 338773
Website: www.esyria.sy/eraqqa

Raqqa ou Rakka (em árabe: الرقة, "ar-raqqa") é uma cidade do centro-norte da Síria, situada na parte ocidental da região historicamente chamada Al-Jazira, ou Mesopotâmia Superior, que hoje se reparte entre as repúblicas da Síria e do Iraque. Tinha cerca de 220 488 habitantes na zona urbana e 338 773 habitantes na área metropolitana em 2004.[1] É capital da província homônima e está na margem norte do rio Eufrates.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundada pelo imperador selêucida Seleuco II Calínico (r. 246–226 a.C.), a quem deve o nome de Calínico (em grego: Kallinikos; em latim: Callinicum) que teve até à conquista islâmica (exceto por um breve período no qual se chamou Leontópolis, pelo imperador Leão I, o Trácio (r. 457–474). Em 542, foi destruída pelo imperador sassânida Cosroes I e reconstruída pelo bizantino Justiniano I (r. 527–565).

Nas suas proximidades teve lugar em 657 a importante batalha de Siffin, que marcou o início da divisão do islamismo em várias seitas.

A cidade de Raqqa declinou no final do século IX por causa da guerra contínua entre os abássidas e os tulúnidas, e depois com o movimento xiita dos carmatas. Durante o período dos hamdanidas na década de 940, o declínio foi maior. No final do século X e até ao início do século XII, Raqqa foi controlada por dinastias beduínas.

Raqqa teve um segundo ressurgimento, baseado na agricultura e na produção industrial, durante o período dos zengidas e aiúbidas no século XII e primeira metade do século XIII.

Guerra Civil Síria[editar | editar código-fonte]

Durante a Guerra Civil Síria, Raqqa foi a primeira grande cidade síria e a primeira capital de província a cair sob controlo dos rebeldes, após dias de intensos combates.[2] Em resposta à queda da cidade, a força aérea síria bombardeou o centro da cidade causando a morte de 39 pessoas.[3] Forças do governo sírio que foram enviadas para retomar a cidade acabaram sendo detidas e expulsas das proximidades.[4] Em agosto, militantes islamitas e membros de grupos fundamentalistas assumiram o controle do município e de áreas vizinhas, expulsando outros grupos rebeldes rivais da região.[5]

Esse movimento (Estado Islâmico do Iraque e do Levante, ou EIIL), segundo várias fontes estará impondo à população da província uma interpretação extremamente rígida do Alcorão e da sharia, onde por exemplo fumar ou ouvir música na rádio pode levar a penas de chicotadas em público ou até à morte. Foram publicadas várias leis rigorosas que exigem o encerramento de barbearias e cabeleireiros e até se proibe que as mulheres se sentem.[6] [7] [8] Segundo relatos de habitantes locais sob anonimato, o clima de medo paira na cidade, onde nem muçulmanos e cristãos estariam a salvo e, segundo estes, os cristãos estariam sendo obrigados em pagar um imposto especial, para não serem expulsos ou molestados.[9] O EIIL é tão radical na interpretação do Alcorão que foi mesmo expulso pela também radical Al Qaeda.[10]

Imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.cbssyr.org/new%20web%20site/General_census/census_2004/NH/TAB11-1-2004.htm
  2. Syria rebels capture northern Raqqa city – Middle East Al Jazeera English. Página visitada em 10 de março de 2013.
  3. 39 killed in air raids in Syria city of Raqqa as attacks intensify Independent.ie (10 de março de 2013).
  4. U.N. agency: Syrian refugee figure hits 1 million USA Today. Página visitada em 6 de março de 2013.
  5. Syrian activists flee abuse in al-Qaeda-run Raqqa BBC. Página visitada em 16 de novembro de 2013.
  6. Al-Qaeda-linked jihadists impose Islamic rules, ban music, shisha in Syrian province (22 de janeiro de 2014). Página visitada em 13 de junho de 2014.
  7. Daash in Syria recently issues a list of laws punishable by flogging or death Liveleak. Página visitada em 13 de junho de 2014.
  8. ISIS or ISIL Mycoper (13 de junho de 2014). Página visitada em 13 de junho de 2014.
  9. Ammar Cheikh Omar e Henry Austin (15 de março de 2014). United by Fear: Life Under Militants More Radical Than Al Qaeda NBCnews. Página visitada em 13 de junho de 2014.
  10. Brian Michael Jenkins (25 de fevereiro de 2014). Al Qaeda has expelled its affiliate in Syria and Iraq—Now what? Cyprus Mail. Página visitada em 13 de junho de 2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Síria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.