Raqqa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Raqqa
الرقة
ArRaqqahRoofTops.jpg
Raqqa está localizado em: Síria
Raqqa
Localização de Raqqa ( Síria)
Coordenadas 35° 57' N 39° 1' E
País  Síria
Área  
  Total 1962 km²
Altitude 245 m
População  
  Cidade (2012)
  Urbana 220268
  Metro 338773
Website: www.esyria.sy/eraqqa

Raqqa ou Rakka (em árabe: الرقة, "ar-raqqa") é uma cidade do centro-norte da Síria, situada na parte ocidental da região historicamente chamada Al-Jazira, ou Mesopotâmia Superior, que hoje se reparte entre as repúblicas da Síria e do Iraque. Tinha cerca de 220 488 habitantes na zona urbana e 338 773 habitantes na área metropolitana em 2004.[1] É capital da província homônima e está na margem norte do rio Eufrates.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundada pelo imperador selêucida Seleuco II Calínico (r. 246 a.C. - 226 a.C.), a quem deve o nome de Calínico (em grego: Kallinikos; em latim: Callinicum) que teve até à conquista islâmica (exceto por um breve período no qual se chamou Leontupolis, pelo imperador Leão I, o Trácio (que reinou entre 457 e 474 d.C.). Em 542, foi destruída pelo imperador persa sassânida Cosroes I e reconstruída pelo bizantino Justiniano II.

Nas suas proximidades teve lugar em 657 a importante batalha de Siffin, que marcou o início da divisão do islamismo em várias seitas.

A cidade de Raqqa declinou no final do século IX por causa da guerra contínua entre os abássidas e os tulúnidas, e depois com o movimento xiita dos carmatas. Durante o período dos hamdanidas na década de 940, o declínio foi maior. No final do século X e até ao início do século XII, Raqqa foi controlada por dinastias beduínas.

Raqqa teve um segundo ressurgimento, baseado na agricultura e na produção industrial, durante o período dos zengidas e aiúbidas no século XII e primeira metade do século XIII.

Guerra Civil Síria[editar | editar código-fonte]

Durante a Guerra Civil Síria, Raqqa foi a primeira grande cidade síria e a primeira capital de província a cair sob controlo dos rebeldes, após dias de intensos combates.[2] Em resposta à queda da cidade, a força aérea síria bombardeou o centro da cidade causando a morte de 39 pessoas.[3] Forças do governo sírio que foram enviadas para retomar a cidade acabaram sendo detidas e expulsas das proximidades.[4] Em agosto, militantes islamitas e membros de grupos fundamentalistas assumiram o controle do município e de áreas vizinhas, expulsando outros grupos rebeldes rivais da região.[5]

Imagens[editar | editar código-fonte]


Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Síria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.