Redenção

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Redenção, no Cristianismo, é a crença na libertação do homem por meio do sacrifício de Jesus Cristo[1] .

Outras religiões[editar | editar código-fonte]

A ideia de uma libertação dos males e do sofrimento ocorre também em outras religiões, de formas que podem ser vistas como paralelas à redenção cristã. Assim, o Islamismo, mesmo não compartilhando com o Cristianismo o conceito do pecado original, acredita que todo homem nasce precisando de salvação, que só pode ser obtida pela e submissão a Deus. No Hinduísmo, o "moksha" ou "mukti" é entendido como libertação do ciclo de renascimentos e da lei do carma. Já o Budismo acredita na libertação do mundo das aparências ("maya") por meio de um esforço pessoal ao longo de um caminho de oito etapas: perfeito entendimento, perfeita intenção, perfeita fala, perfeita conduta, perfeita ocupação, perfeito esforço, perfeita contemplação e perfeita concentração ("Vinayana Pitaka")[2] .

Referências

  1. RYRIE, Charles Caldwell. Teologia Basica. Ed. Mundo Cristão, 2000. Pág. 335
  2. Algumas questões sobre a Teologia da Redenção (1995). Comissão Teológica Internacional - Cúria Romana
Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.