Reds

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Reds
Reds (PT/BR)
 Estados Unidos
1981 • cor • 194 min 
Direção Warren Beatty
Roteiro Warren Beatty
Trevor Griffiths
Elenco Warren Beatty
Diane Keaton
Jack Nicholson
Maureen Stapleton
Género drama biográfico
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Reds é um filme estadunidense de 1981, um drama biográfico dirigido por Warren Beatty e baseado na vida de John Reed, um jornalista e escritor socialista norte-americano que retratou a Revolução Russa em seu livro Dez Dias que Abalaram o Mundo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.


O filme retrata a vida do jornalista norte-americano John Reed, desde a época em que era repórter do periódico socialista The Masses no início do século XX, até a fundação do Partido Comunista dos Estados Unidos. Sua vida conjugal com Louise Bryant, também merece destaque especial na primeira parte do filme. O filme prossegue, mostrando a participação de John na Revolução Russa em 1917, seus contatos com importantes lideranças e as divergências internas que já aparecem no movimento comunista da União Soviética. Dessa participação John realizou a mais famosa cobertura jornalística da revolução, imortalizada no livro Os dez dias que abalaram o mundo, um clássico sobre a história da Revolução Bolchevique, altamente elogiado por Lenin. Durante a existência da União Soviética, John sempre foi tratado como uma espécie de herói na visão internacionalista do socialismo. Morreu em Moscou vítima de tifo com 44 anos. Trata-se do único estrangeiro, que morrendo na União Soviética, teve seu corpo enterrado com grandes honras nas muralhas do Kremlim, ao lado do mausoléu de Lenin.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o
Os prêmios recebidos estão destacados em amarelo.
Oscar
Melhor filme – Warren Beatty
Melhor direção – Warren Beatty
Melhor ator – Warren Beatty
Melhor atriz – Diane Keaton
Melhor ator coadjuvante – Jack Nicholson
Melhor atriz coadjuvante – Maureen Stapleton
Melhor roteiro original – Warren Beatty e Trevor Griffiths
Melhor edição – Dede Allen e Craig McKay
Melhor fotografia – Vittorio Storaro
Melhor direção de arte – Richard Sylbert e Michael Seirton
Melhor som – Dick Vorisek, Tom Fleischman e Simon Kaye
Melhor figurino – Shirley Russell
Globo de Ouro
Melhor filme dramático – Warren Beatty
Melhor direção – Warren Beatty
Melhor ator num filme dramático – Warren Beatty
Melhor atriz num filme dramático – Diane Keaton
Melhor ator coadjuvante – Jack Nicholson
Melhor atriz coadjuvante – Maureen Stapleton
Melhor roteiro – Warren Beatty e Trevor Griffiths
BAFTA
Melhor ator – Warren Beatty
Melhor atriz – Diane Keaton
Melhor ator coadjuvante – Jack Nicholson
Melhor atriz coadjuvante – Maureen Stapleton
Melhor fotografia – Vittorio Storaro
Melhor figurino – Shirley Russell
Prêmio David di Donatello
Melhor filme estrangeiro – Warren Beatty
Melhor atriz estrangeira – Diane Keaton

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Durante as filmagens, Beatty ensinou aos figurantes russos sobre a exploração capitalista a fim de inspirá-los. De acordo com a revista Total Film de 2004, esta foi a quarta "pior decisão na história da filmografia": os figurantes entraram em greve exigindo melhores pagamentos.
  • O filme recebeu uma indicação em cada categoria de atuação no Oscar de 1982, feito que só foi realizado novamente 31 anos depois com o filme O Lado Bom da Vida em 2013, e mais recentemente com o filme Trapaça em 2014, ambos do cineasta David O. Russell.
  • O escritor Henry Miller e o educador radical e pacifista Scott Nearing, então com 98 anos de idade, fizeram participações como testemunhas da época em que se ambienta o filme.
  • Warren Beatty começou a filmar as entrevistas com as "testemunhas" no início de 1970.
  • Gene Hackman fez parte do filme como figurante no papel de Pete Van Wherry. A cena em que ele diz a Jack Reed que Louise Bryant não trabalhava mais para ele foi filmada cem vezes. Hackman disse que não filmaria a centésima primeira e foi atendido.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]