Reds

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Reds
Reds (PT/BR)
1981 • cor • 194 min 
Direção Warren Beatty
Roteiro Warren Beatty
Trevor Griffiths
Elenco Warren Beatty
Diane Keaton
Jack Nicholson
Maureen Stapleton
Género drama biográfico
País  Estados Unidos
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Reds é um filme estadunidense de 1981, um drama biográfico dirigido por Warren Beatty e baseado na vida de John Reed, um jornalista e escritor socialista norte-americano que retratou a Revolução Russa em seu livro Dez Dias que Abalaram o Mundo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.


O filme retrata a vida do jornalista norte-americano John Reed, desde a época em que era repórter do periódico socialista The Masses no início do século XX, até a fundação do Partido Comunista dos Estados Unidos. Sua vida conjugal com Louise Bryant, também merece destaque especial na primeira parte do filme. O filme prossegue, mostrando a participação de John na Revolução Russa em 1917, seus contatos com importantes lideranças e as divergências internas que já aparecem no movimento comunista da União Soviética. Dessa participação John realizou a mais famosa cobertura jornalística da revolução, imortalizada no livro Os dez dias que abalaram o mundo, um clássico sobre a história da Revolução Bolchevique, altamente elogiado por Lenin. Durante a existência da União Soviética, John sempre foi tratado como uma espécie de herói na visão internacionalista do socialismo. Morreu em Moscou vítima de tifo com 44 anos. Trata-se do único estrangeiro, que morrendo na União Soviética, teve seu corpo enterrado com grandes honras nas muralhas do Kremlim, ao lado do mausoléu de Lenin.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o
Os prêmios recebidos estão destacados em amarelo.
Oscar
Melhor filme – Warren Beatty
Melhor direção – Warren Beatty
Melhor ator – Warren Beatty
Melhor atriz – Diane Keaton
Melhor ator coadjuvante – Jack Nicholson
Melhor atriz coadjuvante – Maureen Stapleton
Melhor roteiro original – Warren Beatty e Trevor Griffiths
Melhor edição – Dede Allen e Craig McKay
Melhor fotografia – Vittorio Storaro
Melhor direção de arte – Richard Sylbert e Michael Seirton
Melhor som – Dick Vorisek, Tom Fleischman e Simon Kaye
Melhor figurino – Shirley Russell
Globo de Ouro
Melhor filme dramático – Warren Beatty
Melhor direção – Warren Beatty
Melhor ator num filme dramático – Warren Beatty
Melhor atriz num filme dramático – Diane Keaton
Melhor ator coadjuvante – Jack Nicholson
Melhor atriz coadjuvante – Maureen Stapleton
Melhor roteiro – Warren Beatty e Trevor Griffiths
BAFTA
Melhor ator – Warren Beatty
Melhor atriz – Diane Keaton
Melhor ator coadjuvante – Jack Nicholson
Melhor atriz coadjuvante – Maureen Stapleton
Melhor fotografia – Vittorio Storaro
Melhor figurino – Shirley Russell
Prêmio David di Donatello
Melhor filme estrangeiro – Warren Beatty
Melhor atriz estrangeira – Diane Keaton

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Durante as filmagens, Beatty ensinou aos figurantes russos sobre a exploração capitalista a fim de inspirá-los. De acordo com a revista Total Film de 2004, esta foi a quarta "pior decisão na história da filmografia": os figurantes entraram em greve exigindo melhores pagamentos.
  • O filme recebeu uma indicação em cada categoria de atuação no Oscar de 1982, feito que só foi realizado novamente 31 anos depois com o filme O Lado Bom da Vida em 2013, e mais recentemente com o filme Trapaça em 2014, ambos do cineasta David O. Russell.
  • O escritor Henry Miller e o educador radical e pacifista Scott Nearing, então com 98 anos de idade, fizeram participações como testemunhas da época em que se ambienta o filme.
  • Warren Beatty começou a filmar as entrevistas com as "testemunhas" no início de 1970.
  • Gene Hackman fez parte do filme como figurante no papel de Pete Van Wherry. A cena em que ele diz a Jack Reed que Louise Bryant não trabalhava mais para ele foi filmada cem vezes. Hackman disse que não filmaria a centésima primeira e foi atendido.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]