Renato Castelo Branco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Renato Castelo Branco. Fotografia do livro de formatura da primeira turma de concludentes do Ginásio Parnaibano, em 1932.

Renato Pires Castello Branco (Parnaíba/PI, 14 de setembro de 1914 - São Paulo/SP, 19 de setembro de 1995), ou apenas Renato Castelo Branco, filho de Francisco Ferreira Castelo Branco e Orminda Pires Ferreira Castelo Branco, foi um advogado e publicitário brasileiro. É considerado um dos "Founding Fathers" da Publicidade Brasileira.[1] [2] [3] [4] [5] [6]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1932, foi um dos concludentes da primeira turma do Ginásio Parnaibano, em Parnaíba (PI).

Migrou para o Rio de Janeiro em 1933, onde graduou-se bacharel em Direito pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil, em 1937.

Considerado um dos mais importantes publicitários brasileiros, começou sua vida profissional na Agência de Publicidade N. W. Ayer[7] em 1935, como assistente de redator do escritor e publicitário Orígenes Lessa, e em 1939 entrou na J. W. Thompson[8] , no Rio de Janeiro, transferindo-se, na mesma agência, para São Paulo, em 1961.

Permaneceu na JWT por 30 anos, em períodos alternados, até desligar-se em 1969, após fazer uma carreira brilhante, na qual chegou a presidente no Brasil e, em 1965, a vice-presidente nos Estados Unidos[9] [10] , sendo o único latino-americano a conseguir esse feito até hoje.

Em 1971, com alguns companheiros da JWT, abriu sua própria agência, a CBBA - Castelo Branco Borges e Associados[1] , que se tornou uma das mais importantes da época.

Pertenceu à Academia Piauiense de Letras, com sede em Teresina.

Legado[editar | editar código-fonte]

Renato Castelo Branco publicou os seguintes livros:[2] [11] [12]

  1. "Pátria Amada - o Brasil Em Poemas" (1994),
  2. "Poemas do Grande Sertão" (1993),
  3. "A Ilha Encantada" (1992),
  4. "O comunicador" (1991),
  5. "História da Propaganda no Brasil" (1990),
  6. "Domingos Jorge Velho - e a Presença Paulista no Nordeste" (1990),
  7. "O Rio Mágico" (1987),
  8. "O Anticristo" (1987),
  9. "Amor e angústia (poemas)" (1986),
  10. "O Planalto (O Romance de São Paulo)" (1985),
  11. "A Conquista dos Sertões de Dentro" (1983),
  12. "Senhores e Escravos (a Balaiada)" (1983),
  13. "Rio de Liberdade (a Guerra do Fidié)" (1982),
  14. "Tomei um Ita no Norte" (livro de memórias, 1981),
  15. "Os Castelo Branco d'aquém e d'além mar" (1980),
  16. "Pré-História Brasileira: Fatos e Lendas " (1971),
  17. "O Piauí: A Terra, o Homem, o Meio" (1970),
  18. "A janela do Céu" (1969),
  19. "Candango Gagarin Blaiberg e Outros Poemas" (1968),
  20. "Teodoro Bicanca" (1948),
  21. "Um Programa de Política Exterior para o Brasil" (1945),
  22. "A Civilização do Couro" (1942), e
  23. "Armazém 15" (1934).

Em 1937, participou da criação da APP - Associação Paulista de Propaganda, atual Associação dos Profissionais de Propaganda, e, em 1949, também da ABAP - Associação Brasileira de Agências de Publicidade.[3]

Em 1951, participou ainda da criação da Escola de Propaganda[3] do Museu de Arte de São Paulo, atual Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), a primeira instituição voltada à formação de profissionais no campo da propaganda e da divulgação de produtos no Brasil, da qual foi diretor, professor e conselheiro, dando atualmente nome ao "Prêmio Renato Castelo Branco de Responsabilidade Social na Propaganda", da ESPM Social.[13] [14]

Referências

  1. a b Dicionário Histórico-Biográfico da Propaganda no Brasil. Coordenadoras: Alzira Alves de Abreu, Christiane Jalles de Paula. Associação Brasileira de Propaganda - ABP e Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil - CPDOC. Rio de Janeiro: Editora FGV : ABP, 2007. (cópia acesada no Google Livros em 14/04/2013)
  2. a b Francisco Socorro. "O Legado de Renato Castelo Branco" (Publicado originalmente no site da Escola Superior de Propaganda e Marketing). "Portal Entre Textos". Editor: Dilson Lages Monteiro. (acessado em 18/12/2010)
  3. a b c "Renato Pires Castello Branco - Biografia". "Portal Entre Textos". Editor: Dilson Lages Monteiro. (acessado em 18/12/2010)
  4. Francisco Socorro. "A Publicidade brasileira está precisando de um líder antivírus." Agências de Publicidade de Santa Catarina. Publicidade e Marketing. Portal "Uma Coisa e Outra". (acessado em 18/12/2010)
  5. Vilarins, Henrique. "Renato Castelo Branco é o CARA!" Postado no Blog "Cuia de Idéias", em 31/08/2001. (acessado em 18/12/2010)
  6. F. Carvalho. "Escritor homenageado pelo III Salipa, Renato Castelo Branco, teve projeção nacional e internacional." Portal da Prefeitura de Parnaíba (PI). (acessado em 30/12/2011)
  7. N. W. Ayer & Son. Wikipedia (em inglês)
  8. Portal da JWT Brasil. (acessado em 19/12/2010)
  9. Portal da JWT (J Walter Thompson) nos Estados Unidos da América. (em inglês) (acessado em 19/12/2010)
  10. History of the JWT (J Walter Thompson). The John W. Hartman Center for Sales, Advertising & Marketing History at Duke University. (em inglês) (acessados em 19/12/2010)
  11. Obras completas de Renato Castelo Branco. "Portal Entre Textos". Editor: Dilson Lages Monteiro. (acessado em 30/12/2011)
  12. Livros de "Renato Castelo Branco" (em oferta para aquisição). Portal "Estante Virtual". (acessado em 30/12/2011)
  13. "Prêmio Renato Castelo Branco de Responsabilidade Social na Propaganda". ESPM Social. (acessado em 18/12/2010)
  14. "Prêmio Renato Castelo Branco abre votação online para público decidir peça favorita". Publicado na coluna "Acontece na ESPM - Notícias", em 04/10/2010. Portal da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). (acessado em 18/12/2010)
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.