Salvador Jorge Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Salvador Jorge Velho - (Santana do Parnaíba, em data desconhecida - Santana do Parnaíba, 27 de novembro de 1705) foi um bandeirante paulista.

Foi filho de Domingos Jorge Velho e de Isabel Pires de Medeiros, esta, por sua vez, filha de Salvador Pires de Medeiros e de Inês Monteiro.

Domingos Jorge Velho era parente de Francisco Dias Velho.

Entre 1679 e 1680, foi descobridor das minas de ouro no ribeirão de Curitiba, as minas conhecidas por seu nome, mesmo tendo-as denominado Nossa Senhora da Candelária ou minas de Nossa Senhora da Conceição. Tornou a voltar a essas minas em 1699 com o irmão Simão Jorge Velho, Pascoal Moreira Cabral, Miguel Sutil de Oliveira, Manuel Correia Lopes e outros.

Casou-se, em 1671, com Margarida da Silva, filha de Pascoal Leite Pais e falecida em 24 de junho de 1726 em Parnaíba.

Prestou relevantes serviços à coroa de Portugal, pelo que mereceu receber uma honrosa carta, firmada pelo real punho em 1698. Foi muito opulento, possuindo fazendas de cultura em Parnaíba, móveis de ouro e prata, além de quinhentos e sessenta índios carijós, cuja administração lhe passou por herança de sua tia Agostinha Rodrigues.

Ao morrer, em 1705, deixou onze filhos, um dos quais foi o Capitão Domingos Jorge da Silva. Era seu genro Baltazar de Lemos de Morais Navarro, também bandeirante.

Silva Leme estudou sua família no volume VIII pág 363 ( Título Jorge Velhos) da «Genealogia Paulistana»