Campo Magro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Campo Magro
"Cidade das águas"
Bandeira de Campo Magro
Brasão de Campo Magro
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 11 de dezembro
Fundação 11 de dezembro de 1995 (19 anos)
Gentílico campomagrense
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Conceição
CEP 83535-000
Prefeito(a) Louvanir Menegusso (DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de Campo Magro
Localização de Campo Magro no Paraná
Campo Magro está localizado em: Brasil
Campo Magro
Localização de Campo Magro no Brasil
25° 22' 08" S 49° 27' 03" O25° 22' 08" S 49° 27' 03" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Metropolitana de Curitiba IBGE/2008 [1]
Microrregião Curitiba IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Curitiba
Municípios limítrofes Curitiba, Campo Largo, Itaperuçu e Almirante Tamandaré
Distância até a capital 19 km
Características geográficas
Área 275,466 km² [2]
População 24 843 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 90,19 hab./km²
Altitude 990,3 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,74 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 160 143,619 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 6 864,87 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.campomagro.pr.gov.br

Campo Magro é um município brasileiro do estado do Paraná. Sua população em 2010 é de 24 843 habitantes.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Campo origina-se do latim campus designando região de grande extensão de terra, que tem ou não árvores esparsas. Magro vem do latim macru, referindo-se a escasso, parco.


Localização[editar | editar código-fonte]

Noroeste: Norte: Almirante Tamandaré Nordeste: Almirante Tamandaré
Oeste: Campo Largo Reinel compass rose.svg Leste: Almirante Tamandaré
Sudoeste: Campo Largo Sul: Campo Largo Sudeste: Curitiba

Política[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de dezembro de 1995, às 15:35h, no gabinete do Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, o Deputado Aníbal Khury, promulgou a Lei n° 11.221 com a seguinte súmula: cria o Município de Campo Magro, desmembrado do Município de Almirante Tamandaré.

Administração municipal[editar | editar código-fonte]

Vereadores (mandato 2013-2016)[editar | editar código-fonte]

  • Gusto Juninho
  • Amarildo Ribas Machado
  • Cristina Balestra
  • Lourival Motorista
  • Arvinho
  • Silvano
  • Adeilson Gordo
  • Tadeu Boza
  • Zezinho da Bete
  • Arlei de Lara
  • Prof Valdir Costa


Geografia[editar | editar código-fonte]

Montanhas e árvores constituem um belo cenário em Campo Magro. O ponto mais procurado é o Morro da Palha com 1.190 m de altitude.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Devido o rico potencial hídrico, Campo Magro possui em seu território parte de duas unidades de conservação, a APA (Área de Proteção Ambiental) do Rio Passaúna e a UTP (Unidade Territorial de Planejamento) do Rio Verde, que determinam uma grande preocupação em conservar o Meio Ambiente em um remanescente da natureza nas proximidades de Curitiba, a capital do Estado. Dessa abundância de matas surgiu a denominação "Verde Que Te Quero Verde". Mais de 90 % da área do município é formada por área de mananciais, sendo que os Royalties de preservação são a principal fonte de renda do município.

Bairros[editar | editar código-fonte]

Jardim Boa Vista, bairro mais populoso e desenvolvido do município, faz divisa com Curitiba e fica a menos de 4 km de Santa Felicidade. Possui escola municipal, creche e escola estadual, além de biblioteca pública e posto de saúde.

Também se destacam os bairros Jardim Cecília, Passaúna, Jardim Bom Pastor, Pioneiro, Jardim Viviane, Jardim Água Boa e Jardim Veneza, além da sede.

A colônia Dom Pedro II situada a 10 km de Curitiba atualmente pertencente ao Município de Campo Magro, foi fundada em 1876 pelos imigrantes Poloneses, sendo dividida em 28 lotes, abrangendo uma área total de duzentos e vinte e seis hectares. Em 1908 fundou-se a primeira escola da região, a qual era particular, com o objetivo de dar instrução aos filhos dos colonos, porém somente 30 anos depois foi reconhecida e registrada na Secretaria da Educação e da Cultura.

Área rural[editar | editar código-fonte]

A região de Conceição, localizada na área rural de Campo Magro, possui uma grande gama de histórias e lendas. A primeira povoação no território ocorreu por volta de 1801, com a chegada de Gaspar Correia Leite e sua esposa Esmenia Ferreira, que acompanhados de seus escravos, saíram de suas terras buscando novas riquezas. Depararam-se com inúmeras dificuldades, pois a região era desabitada, com matas virgens, mas com muitas riquezas minerais. Devoto de Nossa Senhora, Gaspar chamou a região de Nossa Senhora da Conceição, e logo construiu uma capela de pedra para colocar as duas imagens que trouxe consigo: Nossa Senhora da Conceição e Nossa Senhora da Luz, realizando assim novenas e adorações. Gaspar adquiriu as terras para a extração do ouro, trabalho realizado por escravos e alguns índios. Para facilitar a extração do ouro mais fino, foram construídos paredões de pedra em torno do leito e das margens, além da mudança no curso do rio, que teve seu leito dividido em dois. Com o decorrer do tempo a comunidade fundada por Gaspar aumentou, fazendo com que a localidade de Nossa Senhora da Conceição passasse a se chamar Conceição dos Correias. Através do trabalho escravo, Gaspar abriu estradas para carros de boi, ligando a região a Bateias, local onde o ouro era conduzido para ser beneficiado. Após alguns anos, Gaspar partiu para Curitiba, deixando em seu lugar o filho Antonio Correia. Gaspar faleceu em 18 de junho de 1819, aos 72 anos, deixando para trás uma experiência de luta que gerou frutos significantes para a história do município de Campo Magro.


Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.