Região Metropolitana de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Região Metropolitana de Curitiba
Localização
Unidade federativa  Paraná
Lei Lei Complementar Federal nº 14 de 1973
Data da criação 8 de junho de 1973
Número de municípios 29
Cidade-sede Curitiba
Características geográficas
Área 15 418,543 km²[1]
População 3 168 980 hab. () Censo IBGE/2010[2]
Densidade 205,53 hab./km²
IDH 0,824 () – elevado PNUD/2000[3]
PIB R$ 74.835.681,608 mil [4]
PIB per capita R$ 22.953,67 IBGE/2008[4]
Curitiba, sede e maior cidade da região metropolitana.
A Grande Curitiba vista do espaço.

A Região Metropolitana de Curitiba, também conhecida como Grande Curitiba, reúne 29 municípios do estado do Paraná em relativo processo de conurbação. O termo refere-se à extensão da capital paranaense, formando com seus municípios lindeiros (ou próximos) uma mancha urbana contínua.

Estimativas de 2008 do IBGE apontam que a Região Metropolitana de Curitiba totaliza 3.260.292 habitantes,[5] sendo a segunda mais populosa do sul do país e a oitava do Brasil. É também a 118ª maior área metropolitana do mundo, segundo projeções para 2008.[6]

De acordo com pesquisa da revista América Economia, publicada na edição especial Cidades 2006, que tem como título "A Cidade Inovadora", Curitiba obteve a quinta colocação no ranking das melhores cidades para se investir no continente, à frente de importantes capitais como Cidade do México, Buenos Aires e Brasília.[7] A matéria levou em conta os principais pólos econômicos latino-americanos ou aqueles com maior relevância para os negócios. À frente da capital paranaense estão apenas São Paulo, primeiro lugar no ranking, Santiago, no Chile; Monterrey, no México; e Miami, nos Estados Unidos.

Com um parque industrial de 43 milhões de metros quadrados,[7] a região metropolitana de Curitiba já atraiu grandes empresas como Audi, VW, Nissan, Renault, New Holland, Volvo, ExxonMobil, Sadia, Kraft Foods, Siemens,CSN, Gerdau, Petrobras, AAM , HSBC e FAFEN-PR (Petrobras).

História[editar | editar código-fonte]

Limites geográficos iniciais[editar | editar código-fonte]

A configuração inicial da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), quando da sua criação em 1973, compreendia 14 municípios: Curitiba, Almirante Tamandaré, Araucária, Balsa Nova, Bocaiuva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Colombo, Contenda, Mandirituba, Piraquara, Quatro Barras, Rio Branco do Sul e São José dos Pinhais. Tal configuração se manteve até a década de 1990, quando começam a ocorrer os primeiros desmembramentos de municípios metropolitanos: em 1990 Fazenda Rio Grande é desmembrado de Mandirituba, Tunas do Paraná é desmembrado de Bocaiuva do Sul e Itaperuçu é desmembrado de Rio Branco do Sul; 1992, Pinhais é desmembrado de Piraquara.

Mudanças territoriais[editar | editar código-fonte]

Os limites do território metropolitano começaram a ser alterados em 1994, quando foram incluídos os municípios de Cerro Azul, Doutor Ulysses (desmembrado de Cerro Azul em 1990), Quitandinha (desmembrado de Contenda e de Rio Negro em 1961), e Tijucas do Sul.

Em 1995 há mais uma expansão, anexação de Adrianópolis (desmembrado 1960 de Bocaiuva dos Sul). Neste mesmo ano Campo Magro é desmembrado de Almirante Tamandaré. A inclusão de Agudos do Sul (desmembrado de Tijucas do Sul em 1960) marca a última alteração da década de 90. O território permanece com 25 municípios até a inserção da Lapa, em 2002.

Em 2008 o município de Piên foi incluído na RMC via projeto aprovado na Assembleia Legislativa; contudo, a proposta aprovada ainda precisa ser sancionada pelo governo do estado.

Em 2011 os municípios de Campo do Tenente, Piên e Rio Negro passam a integrar a Região Metropolitana de Curitiba. [8]

Integração[editar | editar código-fonte]

O Terminal do Maracanã, em Colombo é o maior da Grande Curitiba[9] e faz parte da RIT.
O Autódromo Internacional de Curitiba na verdade situa-se no município vizinho de Pinhais.

A criação de uma entidade pública para tratar de questões de interesse comum RMC ocorreu em 1974, com a chamada Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, a COMEC. Tal secretaria visa a formulação e execução de políticas públicas ligadas aos interesses metropolitanos dos municípios.

Atualmente 14 municípios fazem parte da Rede Integrada de Transporte (RIT), e estima-se que cerca de 500 mil pessoas são transportadas diariamente de Curitiba para as cidades vizinhas (e vice-versa).

Cabe citar que o Aeroporto Internacional Afonso Pena e o Autódromo Internacional de Curitiba não se localizam dentro do território da capital, mas sim em cidades da Grande Curitiba (São José dos Pinhais e Pinhais, respectivamente).

Outras questões urbanas são pensadas em conjunto, como o abastecimento de água da região (fornecida em grande parte pelo município de Piraquara), além de assuntos como o lixo, cuidados ambientais e atendimento social. O municipio de Araucária possui o próprio sistema integrado de transporte urbano, o TRIAR (Transporte Integrado de Araucária), ficando sob responsabilidade da URBS, apenas a integração com a Capital.

Panorama[editar | editar código-fonte]

A RMC recebe inúmeras críticas por não integrar de maneira uniforme todos os municípios que a compõe; considerada uma das maiores regiões metropolitanas do Brasil em área - seu território faz fronteira com os estados de São Paulo e Santa Catarina, boa parte dos municípios são considerados pouco integrados com a RMC.

O Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, integra a Grande Curitiba com cidades do Brasil e do mundo.

Contudo, muitos avanços são citados, como a Rede Integrada de Transporte entre vários municípios, bem como maior afinco com relação a elaboração dos Planos Diretores de tais cidades. Ademais, segundo dados do Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil (2003), a RMC tem o quarto maior IDH Municipal entre 20 regiões metropolitanas nacionais. Segundo o IPARDES, em 2000 41,8% do PIB do estado foi gerado na região.

A RMC concentra 27% da população do estado; segundo o IBGE, a taxa anual de crescimento é de 3,02% - superior à média de 1,53%/ano verificada nos demais centros urbanos nacionais. A capital sedia e mantém as principais funções do governo estadual por meio da estrutura física e política dos poderes executivo, legislativo e judiciário, além de reunir os principais espaços educacionais, comerciais e culturais, o que, somado às condições de maior renda e escolaridade, e a localização do pólo industrial, colocam a Região Metropolitana de Curitiba em posição de relevância no contexto estadual e nacional.

Economia[editar | editar código-fonte]

A Grande Curitiba é o principal e mais desenvolvido centro econômico e financeiro do estado do Paraná (sendo responsável por cerca de 40% do PIB do estado), e a quarta aglomeração urbana com maior produto metropolitano bruto (PMB) do país[10] .

A região conta com o trabalho de exportação das 90 fábricas instaladas no bairro Cidade Industrial e das duas grandes indústrias automobilísticas que estão localizadas na Grande Curitiba, como Renault e Volkswagen. Ademais, foi eleita várias vezes como "A Melhor Cidade Brasileira Para Negócios", segundo ranking elaborado pela revista Exame, em parceria com a consultoria Simonsen & Associados[11] .

As atividades econômicas dos demais municípios da RMC são bastante diversificadas; enquanto algumas cidades ainda baseiam sua economia nas atividades do setor primário com técnicas pouco desenvolvidas de produção, outras experimental acentuado índice de industrialização nas últimas décadas. Paralelamente, muitos municípios caracterizam-se como cidades-dormitório, o que engessa o desenvolvimento do setor secundário e terciário da cidade. Como alternativa, nas últimas décadas muitos desses municípios - que no passado eram colônias de imigrantes europeus - têm apostado no turismo rural.

Além de São José dos Pinhais, outra cidade bastante industrializada da região é Araucária, sede da REPAR (Refinaria Presidente Getúlio Vargas), da Petrobrás, que produz cerca de 12% de todo o petróleo nacional, sendo a 5ª maior refinaria do país e a maior empresa da Região Sul.

Vista panorâmica da metrópole.
Vista panorâmica da metrópole.

Municípios[editar | editar código-fonte]

O Parque da Ciência Newton Freire Maia localiza-se em Pinhais, na fronteira com os municípios de Colombo e Quatro Barras.
Vista do Pico Paraná, o ponto mais alto da região sul do país, localizado em Campina Grande do Sul.
Portal da Estrada da Graciosa em Quatro Barras, antiga rota dos tropeiros em direção ao litoral do Estado, que atravessa a Serra do Mar no trecho mais preservado de Mata Atlântica do país.

Criada pela Lei Complementar Federal n.º 14/73, a Grande Curitiba é composta atualmente por 29 municípios:

Município Legislação Área (km²)
[12]
População
(2009)
IDH[13] PIB em R$
(2005)[4]
Adrianópolis Lei Est. nº 11.096/95 1.349,338 6.856 0,667
médio
R$26 milhões
Agudos do Sul Lei Est. nº 12.125/98 192,228 8.735 0,660
médio
R$35,9 milhões
Almirante Tamandaré Lei Compl. Fed. nº 14/73 195,145 97.523 0,699
médio
R$493 milhões
Araucária Lei Compl. Fed. nº 14/73 469,166 117.964 0,740
elevado
R$7 bilhões
Balsa Nova Lei Compl. Fed. nº 14/73 396,914 11.252 0,696
médio
R$168 milhões
Bocaiúva do Sul Lei Compl. Fed. nº 14/73 826,344 9.989 0,640
médio
R$48,5 milhões
Campina Grande do Sul Lei Compl. Fed. nº 14/73 539,861 36.825 0,718
elevado
R$291 milhões
Campo do Tenente Lei Compl. Est. nº 139/11 304,489 7.125 0,686
médio
R$65,2 milhões
Campo Largo Lei Compl. Fed. nº 14/73 1.249,422 112.548 0,745
elevado
R$1,1 bilhão
Campo Magro Lei Est. nº 11.096/95 275,466 23.607 0,701
elevado
R$105 milhões
Cerro Azul Lei Est. nº 11.027/94 1.341,187 18.660 0,573
médio
R$77,2 milhões
Colombo Lei Compl. Fed. nº 14/73 198,007 247.268 0,733
elevado
R$1,1 bilhão
Contenda Lei Compl. Fed. nº 14/73 299,037 15.728 0,681
médio
R$103 milhões
Curitiba Lei Compl. Fed. nº 14/73 434,967 1.851.215 0,823
muito elevado
R$49,9 bilhões
Doutor Ulysses Lei Est. nº 11.027/94 781,447 6.145 0,546
médio
R$30 milhões
Fazenda Rio Grande Lei Est. nº 11.027/94 116,676 80.868 0,72
elevado
R$377 milhões
Itaperuçu Lei Est. nº 11.027/94 312,382 23.501 0,637
médio
R$91,8 milhões
Lapa Lei Est. nº 13.512/02 2.045,893 42.933 0,706
elevado
R$448 milhões
Mandirituba Lei Compl. Fed. nº 14/73 379,179 21.885 0,655
médio
R$170 milhões
Piên Lei Compl. Est. nº 139/11 254,903 11.214 0,694
médio
R$287,8 milhões
Pinhais Lei Est. nº 11.027/94 61,007 118.319 0,751
elevado
R$1,5 bilhão
Piraquara Lei Compl. Fed. nº 14/73 227,560 87.285 0,7
elevado
R$360,8 milhão
Quatro Barras Lei Compl. Fed. nº 14/73 179,538 19.277 0,742
elevado
R$341 milhões
Quitandinha Lei Est. nº 11.027/94 447,023 16.608 0,68
médio
R$61,6 milhões
Rio Branco do Sul Lei Compl. Fed. nº 14/73 814,361 33.142 0,679
médio
R$550,6 milhões
Rio Negro Lei Compl. Est. nº 139/11 603,246 31.261 0,76
elevado
R$559,6 milhões
São José dos Pinhais Lei Compl. Fed. nº 14/73 945,717 279.297 0,758
elevado
R$6,7 bilhões
Tijucas do Sul Lei Est. nº 11.027/94 672,197 13.762 0,636
médio
R$72 milhões
Tunas do Paraná Lei Est. nº 11.027/94 668,481 6.753 0,611
médio
R$70,939 milhões
Total 15.418,543 3.307.945 0,824[3]
elevado
R$71,1 bilhões
Localização dos municípios no mapa da Região Metropolitana de Curitiba.

Áreas Metropolitanas[editar | editar código-fonte]

Para fins organizacionais ou mesmo de atuação de algumas Secretarias (como a de educação, por exemplo), a Grande Curitiba é informalmente dividida entre Área Metropolitana Norte e Área Metropolitana Sul, (excetuando a capital) a saber:

Municípios da Área Norte
Adrianópolis, Almirante Tamandaré, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo Magro, Cerro Azul, Colombo, Dr. Ulysses, Itaperuçu, Pinhais, Piraquara, Quatro Barras, Rio Branco do Sul e Tunas do Paraná;
Municípios da Área Sul
Agudos do Sul, Araucária, Balsa Nova, Campo do Tenente, Campo Largo, Contenda, Fazenda Rio Grande, Lapa, Mandirituba, Piên, Quitandinha, Rio Negro, São José dos Pinhais e Tijucas do Sul.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  2. Censo Demográfico 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Ranking decrescente do IDH-M das regiões metropolitanas do Brasil. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 29 de maio de 2008.
  4. a b c Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 12 dez. 2010.
  5. ESTIMATIVAS DAS POPULAÇÕES RESIDENTES, EM 1º DE JULHO DE 2008, SEGUNDO OS MUNICÍPIOS. Página visitada em 23 de setembro de 2008.
  6. World Gazetteer – Welt: Ballungsräume. Página visitada em 30 de maio de 2008.
  7. a b Curitiba. Revista Veja (Dezembro de 2006). Página visitada em 30 de maio de 2008.
  8. http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?id=1202849
  9. Requião inaugura novo Terminal do Alto Maracanã, em Colombo. JusBrasil.
  10. [1]
  11. [2]
  12. IBGE, Área Territorial Oficial, Resolução nº 5 de 10 de outubro de 2002. Acessado em 20 de janeiro de 2008.
  13. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 30 de maio de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • COMEC , Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, autarquia do governo do Estado do Paraná