Região Metropolitana de Feira de Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Região Metropolitana de Feira de Santana
Localização
Unidade federativa  Bahia
Lei LCE 35/2011
Data da criação 6 de julho de 2011
Número de municípios 6
Cidade-sede Feira de Santana
Características geográficas
Área 2 265,426 km²[1]
População 732 754 hab. (25º) Censo IBGE/2013
Densidade 323,45 hab./km²
IDH 0,687 – médio
PIB R$ 9 456 903 mil (BR 34º) IBGE/2011[2]
Mapa da Bahia destacando os municípios já incluídos na RMFS.
A Região Metropolitana possui uma confluência de importantes rodovias do Nordeste. Na imagem, uma das entradas do Complexo Rodoviário José Ronaldo de Carvalho.

A Região Metropolitana de Feira de Santana (RMFS) foi sancionada pelo governador Jaques Wagner em 6 de julho de 2011 pela Lei Complementar Estadual nº 35 (LCE 35/2011),[3] [4] e entrou em vigor a partir do dia 7 de julho de 2011, dia em que o decreto foi publicado no Diário Oficial[5] . A criação da região metropolitana é um antigo projeto, iniciado por Colbert Martins, de oficialização da influência sobre os municípios em volta de Feira de Santana com a proposta de englobar 15 municípios baianos[6] . O projeto foi retomado na Assembleia Legislativa da Bahia em 2010, e no dia 16 de junho de 2011 o projeto foi aprovado por esta Assembleia[7] .

A LCE 35 de 2011 ainda definiu a criação do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Feira de Santana, cujo objetivo é a coordenação das políticas dos municípios metropolitanos integrantes.[8]

Salvador e Feira de Santana estão separadas por cerca de 100 quilômetros[9] . Contudo, suas regiões metropolitanas são vizinhas, uma vez que Amélia Rodrigues, da RMFS, limita-se com São Sebastião do Passé, na RMS.

Municípios[editar | editar código-fonte]

A região inicialmente engloba seis municípios: Amélia Rodrigues, Conceição da Feira, Conceição do Jacuípe, Feira de Santana, São Gonçalo dos Campos e Tanquinho, anexando mais dez durante a segunda fase do projeto. Esses dez municípios compõe, segundo o projeto de lei complementar 106 de 2011, a Área de Expansão Metropolitana de Feira de Santana, na qual estão incluídos os municípios de Anguera, Antônio Cardoso, Candeal, Coração de Maria, Ipecaetá, Irará, Riachão do Jacuípe, Santa Bárbara, Santanópolis e Serra Preta[10] .

Município Legislação Área (km²)[11] População
(2012)[12]
IDH[13] PIB (em mil reais)
(2011)[2]
Br-ba-fs.jpg Feira de Santana LCE 35/2011 1 362,880 606,139 0,712 8 270 807
Flag of None.svg Conceição do Jacuípe LCE 35/2011 115,680 32,761 0,695 598 198
Flag of None.svg São Gonçalo dos Campos LCE 35/2011 293,989 36,641 0,667 292 152
Bandeira-ameliarodrigues.png Amélia Rodrigues LCE 35/2011 124,075 26,477 0,695 146 686
Flag of None.svg Conceição da Feira LCE 35/2011 159,776 22,226 0,668 115 557
Flag of None.svg Tanquinho LCE 35/2011 209,026 8,510 0,661 33 503
TOTAL 2 265,426 732 754 0,687 9 456 903
Área de Expansão Metropolitana de Feira de Santana
Município Legislação Área (km²)[11] População
(2010)[14]
IDHM[15] PIB (em mil reais)
(2008)[16]
Bandeira de Anguera.jpg Anguera LCE 35/2011 158,729 10 248 0,589 22 500,475
Bandeira Ant Cardoso.jpg Antônio Cardoso LCE 35/2011 293,217 11 554 0,561 43 755,868
Flag of None.svg Candeal LCE 35/2011 455,278 8 895 0,587 23 400,672
Bandeira de Coração de Maria, Bahia, Brasil.jpg Coração de Maria LCE 35/2011 372,315 22 273 0,592 85 323,737
Flag of None.svg Ipecaetá LCE 35/2011 393,904 15 331 0,550 39 381,589
Flag of None.svg Irará LCE 35/2011 239,659 27 492 0,620 112 892,881
Flag of None.svg Riachão do Jacuípe LCE 35/2011 1 190,203 33 172 0,628 185 355,969
Flag of None.svg Santa Bárbara LCE 35/2011 338,574 19 064 0,583 64 930,423
Flag of None.svg Santanópolis LCE 35/2011 250,027 8 781 0,592 22 752,858
Flag of None.svg Serra Preta LCE 35/2011 536,892 15 401 0,566 42 971,227
TOTAL 3 038,595 172 211 0,587 643 265,699
TOTAL SOMADO 5 304,021 904 965 0,637 9 266 317,699

Transporte e infraestrutura[editar | editar código-fonte]

A região possui uma concentração viária das rodovias federais BR-101, BR-324 e BR-116. Também possui como hidrelétrica a Barragem da Pedra do Cavalo, no Rio Paraguaçu.[17]

A Associação dos Engenheiros da Viação Férrea Federal Leste Brasileiro (Aelb-BA) estuda atualmente uma expansão do Trem suburbano de Salvador até o município de Conceição da Feira, para meados da década de 2020.[18] [19] [20] [21] Muitos municípios da região também já foram incluídos no roteiro do trem Transbaião.[22] [23] [24] [25] Também está em estudo na câmara estadual a possível viabilização do transporte metroviário na Região Metropolitana.[26] [27] [28]

Economia[editar | editar código-fonte]

O CIS localiza-se entre o sul de Feira de Santana e o norte de São Gonçalo dos Campos.

Centro Industrial do Subaé[editar | editar código-fonte]

O Centro Industrial do Subaé (CIS) é a principal zona industrial da região metropolitana, e destaca-se junto ao Centro Industrial de Aratu e ao Polo Petroquímico de Camaçari no cenário econômico baiano.[29] O CIS se expandirá com a implantação do CIS Norte entre o bairro Novo Horizonte e o município de Santa Bárbara, também na região metropolitana[30] .

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 7 jun. 2011.
  2. a b Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 1º de janeiro de 2014.
  3. Sancionada lei que cria RMFS - Oficializada Região Metropolitana de Feira de Santana
  4. Feira de Santana passa a ter região metropolitana
  5. Ver a Lei na Íntegra em http://www.egba.ba.gov.br/diario/_DODia/DO_frm0.html - dia 7 de julho de 2011, página 5.
  6. Projeto pretende criar a Região Metropolitana de Feira de Santana
  7. Assembleia Legislativa da Bahia aprova Região Metropolitana de Feira de Santana
  8. Criada a Região Metropolitana de Feira
  9. Distância rodoviária entre Salvador e importantes cidades brasileiras
  10. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 106/2011
  11. a b IBGE, Área Territorial Oficial, Resolução nº 5 de 10 de outubro de 2002. Acessado em 20 de janeiro de 2008.
  12. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_Pop_2012
  13. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 29 de maio de 2008.
  14. IBGE - Censo Brasileiro 2010 (PDF) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 30 de novembro de 2010.
  15. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 7 de agosto de 2013.
  16. Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  17. Hidrelétrica de Pedra do Cavalo está em atividade - A geração de energia é a novidade no funcionamento da Barragem de Pedra do Cavalo
  18. Metrô de Feira pode chegar antes do de Salvador
  19. http://www.blogdafeira.com.br/noticia.php?id=9584
  20. Bahia poderá ganhar um sistema ferroviário de âmbito regional
  21. FEIRA DE SANTANA: MUNICÍPIO IRÁ GANHAR FERROVIA E MAIS 19 INDÚSTRIAS
  22. Projeto Transbaião
  23. Trem turístico vai percorrer 13 cidades do recôncavo baiano
  24. Sítio oficial do Transbaião
  25. Trem turístico percorre 13 cidades do recôncavo baiano
  26. Targino defende metrô e aeroporto em Feira de Santana, acessado em 9 de agosto de 2011
  27. Targino defendeu RMFS e Metrô, Autoridades debatem criação de Região Metropolitana de Feira de Santana, Interior da Bahia, acessado em 9 de agosto de 2011
  28. Anunciada mais 19 indústrias para Feira de Santana e a construção de uma ferrovia. Confira as notícias da Prefeitura Municipal, Jornal Grande Bahia, acessado em 15 de agosto de 2011
  29. SICM. Centro Industrial do Subaé cresce e define novas áreas (em português). Página visitada em 16 de fevereiro de 2013.
  30. LEMOS, Cibele (19 de julho de 2012). Ampliação do CIS vai contemplar Santa Bárbara (em português). Página visitada em 16 de fevereiro de 2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]