Barreiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde agosto de 2013).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Município de Barreiras
"A Capital do Oeste Baiano"
"Capital da Soja"
BRS"
Bandeira de Barreiras
Brasão de Barreiras
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 26 de maio
Fundação 1891
Gentílico barreirense
Prefeito(a) Antonio Henrique (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de Barreiras
Localização de Barreiras na Bahia
Barreiras está localizado em: Brasil
Barreiras
Localização de Barreiras no Brasil
12° 09' 10" S 44° 59' 24" O12° 09' 10" S 44° 59' 24" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Extremo Oeste Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Barreiras IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Luís Eduardo Magalhães, São Desidério, Cristópolis, Angical, Riachão das Neves, Formosa do Rio Preto, Novo Jardim (TO) e Ponte Alta do Bom Jesus (TO).
Distância até a capital 905 km[2]
Características geográficas
Área 7 859,225 km² (BR: 183º)[3]
População 150 896 hab. (BA: 12º) –  IBGE/2013[4]
Densidade 19,2 hab./km²
Altitude 452 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,721 (BA: 3º) – alto PNUD/2010[5]
Gini 0,56 PNUD/2010[6]
PIB R$ 1 874 212 mil IBGE/2010[7]
PIB per capita R$ 13 637,77 IBGE/2010[7]
Página oficial

Barreiras é um município brasileiro do estado da Bahia. Sendo o décimo segundo mais populoso deste Estado, com uma população de 150 896 habitantes, possuindo uma área de 7 859,225 km². A cidade é cortada pelo Rio Grande, principal afluente da margem esquerda do Rio São Francisco e é atravessada por três rodovias federais, situando-se na região oeste do estado.

A cidade é um importante polo agropecuário e o principal centro urbano, político, educacional, tecnológico, econômico, turístico e cultural da região oeste da Bahia. Barreiras junto as suas cidades circunvizinhas compõe a maior região agrícola do nordeste, além da agricultura irrigada familiar presente no município, com destaque para a produção de frutas. Além dessas potencialidades, pode-se perceber também intensa atividade comercial abastecendo toda região num raio de 300 km. Hoje, por força de seu grande desempenho nos setores do comércio e da prestação de serviços, Barreiras ocupa a posição entre os maiores centros econômicos e populacional do estado e o principal da região nacionalmente conhecida pela força de seu agronegócio.[8] .

História[editar | editar código-fonte]

Na época da chegada dos colonizadores europeus ao Brasil (século XVI), a porção central do país era ocupada por indígenas do tronco linguístico macro-jê, como os acroás, os xacriabás, os xavantes, os caiapós, os javaés etc.[9]

Economia[editar | editar código-fonte]

Agropecuária[editar | editar código-fonte]

Com grande vocação para a agropecuária, Barreiras, acabou destacando-se como maior produtor de café e segundo maior produtor de soja, milho e algodão do Oeste do Estado. Os Principais produtos agrícolas do município constam da produção de grãos – soja e milho, café irrigado, algodão e da pecuária a exploração bovina. Na safra 2005/2006 o Oeste do Estado explorou e produziu o correspondente a 870 mil hectares e 1.983,6 mil toneladas.

Soja - representa a cultura mais explorada em Barreiras e no Oeste, seguida do milho, do arroz e recentemente do café e algodão. A cultura da soja na região, que tem em Barreiras seu segundo município mais produtor (IBGE - safra 2004, participando com 23% do total da produção regional).

Algodão - O algodão retorna a região Oeste em 1995, como o segundo maior produto da região, com o cultivo de uma área de 2,4 mil hectares, e após apenas 12 anos alcança 276,4 mil hectares e uma produção da ordem de 1007,3 toneladas de algodão em pluma, ambos na safra 2005/2006.

Milho - terceiro produto da região tem o município de Barreiras também como segundo maior produtor (IBGE - safra 2004, com participação de 27% do total). O Oeste da Bahia cultivou e produziu, na safra 2006/2007, o correspondente a 166 mil hectares e 1.205,2 toneladas de milho,respectivamente. bastante oscilante, com área cultivada de 30 mil hectares e produção de 68,4 toneladas, respectivamente, na safra 2004/2005.

Café - produzido na região Oeste é uma cultura altamente tecnificada, com elevados índices de produtividades, alcançando 60 sacos/hectare, que representa mais que o triplo da média brasileira que se situa entre 15 a 20 sacos/hectare. O Oeste conta com área total 11 mil hectares cultivada com o café em produção, resultando no volume de 28.434 toneladas (safra 2006/2007), e Barreiras como o município maior produtor (safra 2004).

Feijão - A cultura do feijão ocupa apenas 0,22% da área produtiva regional, com 3,5 mil hectares cultivados e uma produção de 10,8 mil toneladas, na safra 2005/2006.

Pecuária - Atividade mais tradicional, a pecuária em sua forma extensiva, vem ocupando por muito tempo, boa parte das terras do município. Com cerca de 1,7 milhão de cabeças, o rebanho bovino predomina, seguido pelo de caprino e ovino, com 450 mil cabeças. Sua pecuária bovina é forte, e conta com um moderno matadouro-frigorífico, com planta industrial de última geração, inclusive com inspeção federal (SIF), apto para exportação de seus produtos. Na pecuária a região conta com um rebanho bovino da ordem de 1,7 milhão de cabeças, seguido pelo de caprino e ovino, com 450 mil cabeças. Inicia o município um novo ciclo produtivo – o industrial e agroindustrial, ressaltando-se as agroindústrias do complexo soja – grãos óleo e farelo (há mais tempo instaladas por multinacionais), as beneficiadoras de arroz, o recente funcionamento do matadouro-frigorífico Fribarreiras, com inspeção sanitária federal, apto para exportações e a ampliação do matadouro frigorífico de aves, Frango de Ouro, inclusive com a implantação do sistema de integração do produtor.

Mineração[editar | editar código-fonte]

O tálio é um metal muito raro, e só existem três jazidas conhecidas deste mineral no mundo. A mais recente delas encontra-se em Barreiras. Tal jazida encontrada tem potencial de ser maior que as da China e do Cazaquistão, os únicos produtores atuais, pois tem volume capaz de atender toda demanda mundial por seis anos.[10]

Indústria e agroindústria[editar | editar código-fonte]

É complexo e incerto o desenvolvimento dos setores industrial e agroindustrial no município, como de resto na Região Oeste. A indústria é incipiente, os parques industriais do município e da região vão registrando pequenas e médias indústrias de refrigerante, beneficiamento de mármore, sacos plásticos, velas, metalúrgicas e outras. O setor agroindustrial concentra-se no complexo soja – grãos, farelo e óleo, com uma planta industrial em Barreiras e outra em Luís Eduardo Magalhães, ambas multinacionais. O funcionamento recente de um frigorífico para abate de bovinos, caprinos e ovinos, no município, provavelmente iniciará o processo de verticalização da cadeia da carne. Tenta-se ampliar o abate de frangos do único frigorífico de aves da Região – Avícola Barreiras Ltda., adotando-se o sistema de integração e contando com a transferência de tecnologia da Embrapa Suínos e Aves. Algumas poucas beneficiadoras de arroz estão instaladas. A atividade é conduzida de uma forma carente de maior visão empresarial e tecnológica. Barreiras ainda conta com um Distrito Industrial integrado ao sistema estadual com aproximadamente sete indústrias e agroindústrias (com empresas voltadas para o mármore, refrigerantes, velas, sacos plásticos, metalúrgicas, e outras) instaladas e disponibilidade de lotes para futuros empreendimentos.[11]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

  • 001 - Vila dos Sás
  • 002 - Barreiras 1
  • 003 - Cascalheira
  • 004 - Vila Rica
  • 005 - Vila dos Funcionários
  • 006 - Vila Amorim
  • 007 - Santo Antônio
  • 008 - São Pedro
  • 009 - Carreteiro
  • 010 -Casa Blanca
  • 011 - Vila Regina
  • 012 - Nova Barreiras
  • 013 - Morada Nobre
  • 014 - Maria Percília
  • 015 - Boa Vista
  • 016 - Barreirinhas
  • 017 - Ribeirão
  • 018 - Boa Sorte
  • 019 - Leopoldina Castro
  • 020 - Serra do Mimo
  • 021 - Flamengo
  • 022 - Vila Nova
  • 023 - Rio Grande
  • 024 - Parque Lacerda
  • 025 - Santa Luzia
  • 026 - São Miguel
  • 027 - Vila Brasil
  • 028 - Vila Dulce
  • 029 - JK
  • 030 - Centro Pracinha Pimentel
  • 031 - Sombra da Tarde
  • 032 - São Sebastião
  • 033 - São Paulo
  • 034 - Antônio Geraldo
  • 035 - Morada da Lua
  • 036 - Aratu
  • 037 - Renato Gonçalves
  • 038 - Ana Amélia
  • 039 - Vila Regina
  • 040 - Primavera
  • 041 - Jardim Imperial
  • 042 - Sandra Regina
  • 043 - Maria Lucia
  • 044 - Santa Bela
  • 045 - Jardim Ouro Branco
  • 046 - Novo Horizonte
  • 047 - Vila dos Soldados
  • 048 - Buritis

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

  • Rodoviário - Em Barreiras, predomina o transporte rodoviário, quer para o escoamento da produção como para a movimentação de passageiros. É quantitativamente expressiva a malha rodoviária. Conta o município com as rodovias federais BR 242, BR 135 e BR 020 e da estadual BA 447.

Telecomunicações e Mídia[editar | editar código-fonte]

Barreiras conta com um canal local de televisão, a TV Oeste, que é afiliada da Rede Globo de Televisão,e que transmite a programação nacional mesclada a telejornais com notícias locais e do estado da Bahia para toda a região; também conta com duas emissoras de rádio AM e duas emissoras FM, Uma sucursal de um jornal estadual e diversas publicações locais. Conta também com todas as empresas operadoras de telefonia móvel e Banda larga.

Abastecimento de Água e Rede de Esgoto[editar | editar código-fonte]

Barreiras é um município bem abastecido de água, sendo a Empresa Baiana de Água e Saneamento, a responsável pelo sistema de abastecimento, registrando 28 002 domicílios particulares abastecidos, além de 2 446 ligações comerciais (até maio/2003). Em torno de 90% da população é abastecida pelo fornecimento de água. Já a rede de esgoto da cidade é precária e só está disponível a 20% de toda população. Mas se encontra em andamento as obras de esgotamento sanitário que levará a 90% da população rede de esgoto.

Educação[editar | editar código-fonte]

Ensino Fundamental e Médio[editar | editar código-fonte]

Os alunos matriculados no município de Barreiras estão assim distribuídos (SEC – 2000):

  • Pré-escola e alfabetização: 2 717 alunos, sendo 2 620 na zona urbana e 97 na rural;
  • Fundamental: 36 340 alunos, sendo 27 518 na zona urbana e 8 822 na rural;
  • Médio: 9 409 alunos somente na zona urbana.

O município conta com os seguintes estabelecimentos de ensino:

  • Estabelecimentos de ensino pré-escola e alfabetização: 44, sendo 17 municipais e 27 particulares;
  • Estabelecimentos de ensino fundamental: 162, sendo 122 municipais, 14 do estado e 26 particulares;
  • Estabelecimentos de ensino médio: 16, sendo 1 federal, 10 do estado e 5 particulares;

Ensino Superior[editar | editar código-fonte]

O município dispõe de várias unidades de ensino superior dentre elas se destacam:

  • Faculdade São Francisco de Barreiras

E várias outras. Estas universidades dispõe de uma extensa diversidade de cursos como: direito, psicologia, Tecnologia da informação, publicidade, pedagogia, agronomia, administração, educação física, jornalismo, enfermagem, fisioterapia, diversas licenciaturas (letras, matemática, física, química, biologia, geografia, história), além de cursos tecnológicos como geologia, engenharia civil, engenharia sanitária e ambiental, entre outros. No âmbito da educação, desenha-se para Barreiras, num futuro próximo, o status de cidade universitária, tanto pela ampliação das atuais unidades existentes, como pela implantação de novas unidades educacionais de nível superior.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Com uma área de 7 895 24 km², rica em belezas naturais, é contornada por serras e conta com grandes recursos hídricos.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Cais de Barreiras.

Chapadão central, patamares do chapadão com altitude média de 435m acima do nível do mar.

Solo[editar | editar código-fonte]

Os solos apresentam textura média e arenosa, sendo o latossolo vermelho amarelo-célico o predominante.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O Município é rico em recursos hídricos. O Rio Grande, Rio de Ondas, o Rio de Janeiro e o Rio Branco são os principais, e formam a bacia do Rio Grande que banha a cidade, e é a maior bacia do lado esquerdo do Rio São Francisco. O Rio de Janeiro é responsável pelos mais belos cartões postais de Barreiras a Cachoeira do Acaba Vida e do Redondo (15 metros).

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Tipo climático: tropical semiúmido.[12]
  • Temperatura anual: média 24,3ºC,[13] máxima 42ºC, mínima 13,3ºC.
  • Pluviosidade anual: média 1122mm[13] - máxima: 1684 mm; mínima 295 mm.
  • Período chuvoso: novembro a abril.
  • Risco de seca: médio a baixo.

A luminosidade natural é abundante durante todo o ano e a intensidade dos ventos varia de fraco a moderado.

Dados climatológicos para Barreiras
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 36,5 37,8 36,6 35,7 35,9 35 35 38 39,8 40,5 39,5 37,1 40,5
Temperatura máxima média (°C) 31,1 31,3 31,1 31,2 31,6 31,4 31,7 33,3 34,6 33,8 31,9 30,1 31,9
Temperatura média (°C) 24,7 24,7 24,6 24,3 23,4 22,4 22,2 23,6 25,9 25,9 25,3 24,7 24,3
Temperatura mínima média (°C) 19,4 20 19,5 18,9 17,1 15,3 14,2 14,9 17,6 20,2 20,3 20 18,1
Temperatura mínima registrada (°C) 13,8 15,8 15,4 14,3 10,4 8 8 8,4 9,7 12,8 15,2 11,8 8
Precipitação (mm) 177,9 146,1 156,9 95,4 22,4 12,2 1,9 5,1 20,3 103,2 175,8 204,7 1 121,9
Dias de chuva 9 10 8 4 1 - - - 1 6 7 10 59
Umidade relativa (%) 77,5 78,5 79,9 76,2 71,9 65,2 58,7 50,3 47,1 60,7 70,8 77 67,8
Horas de sol 198,4 187,6 204,6 213 254,2 255 282,1 285,2 243 213,9 189 210,8 2 736,8
Fonte: Jornal do Tempo/Observatório de Hong Kong (médias de temperatura e precipitações)[14] [13] e Weatherbase (recordes de temperatura, dias de chuva e umidade).[15]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Barreiras é hoje uma cidade de porte médio com um centro comercial e de serviços em pleno desenvolvimento. Começa a despontar no cenário nacional como porta de entrada do mais novo polo de ecoturismo da Bahia, Caminhos do Oeste.

Locais históricos[editar | editar código-fonte]

Arraial da Penha

A 15 km do centro da cidade o Povoado de Arraial da Penha, antigo vilarejo de Buracão, foi o primeiro núcleo urbano de Barreiras. Povoado simples e muito bem conservado, onde na tradicional pracinha fica a capela em homenagem a Nossa Senhora da Penha construída em 1841. O cenário em volta é o mais rural possível. Neste ambiente as mulheres fabricam doces e biscoitos típicos da região. Nos vales férteis os engenhos ainda movidos a tração animal, produzem a cachaça brejeira de forma rudimentar.

Cantinho do Senhor dos Aflitos

No Vale do Rio Branco a 20 km da cidade, encontra-se o Povoado do Cantinho que ficou conhecido por manter viva uma tradição de fé e religiosidade através da devoção ao Senhor dos Aflitos, onde todos os anos no dia 2 de julho acontece uma grande romaria. Durante todo o dia muita animação nas barracas e no final da tarde missa e procissão.

Centro Histórico

No Centro Histórico estão concentradas as ruas e praças mais antigas da cidade e onde ainda podemos apreciar os casarios construídos no final do século XIX e no começo do século XX.

Praça Duque de Caxias

Localizada na Rua Rui Barbosa, Centro Histórico, é a praça mais antiga de Barreiras com o tradicional coreto. Na praça está localizado o prédio onde funcionou o Paço Municipal.

Paço Municipal

Construído no final do século XIX pelo Cel. Francisco Rocha, neste prédio foi instalada a Intendência Municipal, ainda na época do Brasil Colônia, onde por muitos anos funcionou a Prefeitura de Barreiras. O Paço Municipal está localizado na Rua Rui Barbosa, Centro Histórico.

Catedral São João Batista

Construída em estilo mourisco (árabe) e inaugurada em 1925. Sofreu uma grande reforma e foi reinaugurada em junho de 1997. A catedral está localizada na Praça São Batista, Rua 24 de Outubro no Centro Histórico.

Igreja de Santa Terezinha

Construída em 1881, em estilo neoclássico bem conservada, foi a primeira capela de Barreiras. A Igreja de Santa Terezinha está localizada na Praça Amphilóphio Lopes, Centro Histórico.

Mercado cultural Caparrosa

Prédio construído na década de 1950 para abrigar a feira municipal. É um espaço turístico, onde são realizadas apresentações culturais e exposições de artesanatos. O Mercado Caparrosa está situado na Praça Landulfo Alves, Centro Histórico.

Colégio Costa Borges

Prédio ainda em bom estado de conservação, inaugurado em 1927, para funcionar o primeiro Grupo Escolar de Barreiras, na gestão do prefeito Amphilóphio Lopes, sendo sua primeira diretora a professora Guiomar Fábia da Rocha Porto. Endereço: Rua Profª Guiomar Porto - Centro Histórico

Usina Hidrelétrica

Prédio construído em 1928 por Dr. Geraldo Rocha, para abrigar as três turbinas que eram movidas por uma queda d'água artificial, foi a segunda hidrelétrica da Bahia. Endereço: Av. Sebastião Ferreira - Barreirinhas

Antigo Frigorífico Prédio construído na década de 1930 por Geraldo Rocha, durante algum tempo produziu e exportou charque e defumados marcando uma época de prosperidade. Endereço: Av. Eduardo Catalão - Barreirinhas

Casa da Sertaneja Casarão em estilo neoclássico datado de 1919 em bom estado de conservação. Construído por Dr. Geraldo Rocha para sediar a Cia. Sertaneja - Empresa Agropastoril S/A. Em pavilhões distintos funcionava a sede da companhia e o Cine Teatro Ideal, primeiro espaço cultural de Barreiras. Endereço: Av. Presidente Vargas 53 - Centro Histórico.

Filarmônicas[editar | editar código-fonte]

A existência de filarmônicas em Barreiras, segundo registros encontrados, data de 1902. Destacando-se as Filarmônicas "8 de Dezembro" e "24 de Junho". Esta tradição musical mantida através do tempo fez com que a Filarmônica "24 de Junho", composta por músicos de Barreiras e Angical sob a regência do maestro Dulvamerino Coité, o popular Mureco, que foi convidada para tocar na inauguração de Brasília. Atualmente a Banda "26 de Maio" anima os eventos culturais e solenidades da cidade e mantêm viva esta tradição musical.

Comidas típicas[editar | editar código-fonte]

Dos pratos típicos locais, três se destacam na preferência popular:

  • galinha caipira com pirão de mulher parida (galinha caipira cozida com um tempero especial, do caldo se faz o pirão com farinha de mandioca);
  • pirão de cabeça de surubim (cabeça do peixe cozida com tempero próprio, do caldo é feito o pirão com farinha de mandioca);
  • rubacão (arroz e feijão cozidos juntos e refogados com carnes salgadas e todos os temperos).
  • arroz de forno com feijão de gato (arroz feito no forno e feijão puro)

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. Guia de distância entre cidades da Bahia. Aondefica.com. Página visitada em 9 de julho de 2011.
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  4. IBGE - Censo Brasileiro 2013 (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 30 de setembro de 2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 31 de julho de 2013.
  6. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). Perfil do município de Barreiras - BA. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Página visitada em 4 de março de 2014.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 12 dez. 2012.
  8. Barreiras - A Capital do Oeste Baiano. riodeondas. Site rio de ondas acessodata=5 de Janeiro de 2011 (2010).
  9. CHAIM, M. M. Aldeamentos Indígenas (Goiás 1749-1811). Segunda edição. São Paulo: Nobel, 1983. p. 48
  10. Assessoria de Comunicação Social do Ministério de Minas e Energia (16 de fevereiro de 2011). Metal raro é descoberto na Bahia (em português). Página visitada em 15 de setembro de 2013.
  11. Prefeita Jusmari busca investimentos de indústrias em Barreiras. jornal nova fronteira. Site jornal nova fronteira Por Tiago Lira (2010). Página visitada em 8 de dezembro de 2010.
  12. Climate Summary (em inglês). Weatherbase. Arquivado do original em 7 de março de 2014. Página visitada em 7 de março de 2014.
  13. a b c Climatological Information for Barreiras, Brazil (em inglês). Observatório de Hong Kong (1961-1990). Arquivado do original em 7 de março de 2014. Página visitada em 7 de março de 2014.
  14. CLIMATOLOGIA PARA BARREIRAS-BA. Jornal do Tempo (1961-1990). Arquivado do original em 7 de março de 2014. Página visitada em 7 de março de 2014.
  15. MONTHLY - WEATHER AVERAGES SUMMARY (em inglês). Weatherbase. Arquivado do original em 7 de março de 2014. Página visitada em 7 de março de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]