Palmas de Monte Alto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Palmas de Monte Alto
"Monte Alto"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 19 de maio
Fundação 1840
Gentílico montealtense
Prefeito(a) Fernando Nogueira Laranjeira (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Palmas de Monte Alto
Localização de Palmas de Monte Alto na Bahia
Palmas de Monte Alto está localizado em: Brasil
Palmas de Monte Alto
Localização de Palmas de Monte Alto no Brasil
14° 16' 01" S 43° 09' 43" O14° 16' 01" S 43° 09' 43" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro-Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Guanambi IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Riacho de Santana, Matina, Sebastião Laranjeiras, Guanambi, Iuiú e Malhada.
Distância até a capital 865 Km km
Características geográficas
Área 2 789,417 km² [2]
População 20 779 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 7,45 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,586 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 64 741,410 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 956,77 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.palmasdemontealto.ba.gov.br

Palmas de Monte Alto é um município brasileiro do estado da Bahia.

História[editar | editar código-fonte]

As terras originalmente constantes do território de Monte Alto foram adquiridos pelo alferes Francisco Pereira de Barros (vulgo Pereirinha) junto a Isabel Guedes de Brito (herdeira de Antônio Guedes de Brito, morgado a quem pertenciam a maior parte das terras do sertão baiano), no ano de 1730. Era a fazenda Riacho da Boa Vista.[6]

Mandou o Pereirinha erguer uma capela, que deu origem à Vila de Nossa Senhora Mãe de Deus e dos Homens de Monte Alto, entre 1736 a 1742, devotado à santa e que mandou ornamentar com imagens desta e ainda do Senhor Morto, que o donatário não viu instaladas, falecendo ainda no Recôncavo Baiano..[6]

Em 1854 faleceu o herdeiro do Pereirinha, Timóteo Ferreira dos Santos e os bens foram então usurpados por alguns pretensos herdeiros, sobrinhos de sua mulher, com a conivência do juiz municipal Luiz Rosas. A neta do Pereirinha, Catarina Pereira de Barros, contestou a ação, em Caetité, indo com recursos até a Corte Suprema no Rio de Janeiro. No curso do processo, entretanto, o advogado dos usurpadores da herança, Capitão João Pereira de Mesquita, fez vender várias partes da fazenda, dando impulso ao povoamento da nova Vila.[6]

Logo os moradores se cotizavam para erguer o prédio da cadeia e adquirir o casarão da família Botelho de Andrade para sede da intendência. Foi, assim, elevada a capela à categoria de freguesia, pela lei provincial nº 124, de 19 de maio de 1840, que também elevou o povoado à categoria de Vila, criando o município com o nome de Monte Alto e seu território desmembrado de Macaúbas. Sua instalação deu-se em 15 de novembro do mesmo ano.[6]

A então Vila de Monte Alto foi elevada à categoria de cidade pela Lei Estadual nº 1.253, de 23 de julho de 1918. Por força da Lei nº 1.364, perdeu o distrito de Beija-Flor (atual Guanambi) que foi emancipado pela Lei provincial de número 1797 de 23 de Junho de 1880.

Em julho de 1931 o município foi extinto, sendo então incorporado a Guanambi. Mas em 1933 as reformas políticas foram revistas, e restaurada sua autonomia, pela Lei estadual 8452.[6]

A Comarca também viveu momentos de criação, extinção e restauração; foi instalada, primeiramente, em 11 de julho de 1860, pela Lei Provincial 809; extinta em 1873, pela Lei Provincial 1311; em 1880 foi restaurada e novamente extinta em 1904; recriada em 1915 e extinta em 1929 até a década de 1980, quando foi definitivamente recriada.[6]

Nome definitivo[editar | editar código-fonte]

O nome original era Sítio das Palmas, derivado da enorme quantidade de palmeiras das espécies catolé e babaçu. E, por estar situada no alto da serra o povoado, foi chamada de Monte Alto à povoação. Apesar de mais antiga, Monte Alto incorporou o Palmas ao nome da cidade, no governo de Getúlio Vargas, a fim de se diferenciar da cidade paulista de Monte Alto, embora esta seja mais nova (decreto-lei 141, de dezembro de 1943).[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua população estimada em 2007 é de 21.096 habitantes. Cidade histórica do sudoeste baiano Palmas de Monte Alto vem destacando cada vez mais na área turística.

Está localizado na Região Sudoeste da Bahia, limita-se ao norte com Riacho de Santana e Matina, ao sul com Sebastião Laranjeiras, ao leste com Guanambi e ao oeste com Iuiu e Malhada, possui 04(quatro) povoados: Espraiado - distante 48 km da sede, Barra do Riacho - distante 25 km da sede, Pinga Fogo - distante 15 km da sede e Rancho das Mães - distante 13 km da sede.

Aspectos geográficos[editar | editar código-fonte]

O clima de Palmas de Monte Alto é do tipo quente e seco, apresenta uma temperatura média anual de 22°C, a preciptação anual é de 700/900mm, seu período chuvoso vai de novembro a janeiro, o risco de seca é considerado médio, que favorece a agricultura de subsistência, inclusive pela sua extensão em área de 2.818 km². Esta a uma altitude de 600mts. acima do nível do mar.

O Município de Palmas de Monte Alto, limita-se com Riacho de Santana, Matina, Sebastião Laranjeiras, Guanambi, Iuiu e Malhada, tem como cidade próxima Guanambi e Sebastião Laranjeiras. Distante de Salvador 865 km.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cidade de Palmas de Monte Alto possui um grande acervo cultural histórico, o desfile de 7 de setembro, na qual comemora-se a independencia do Brasil, realizado pelo Colégio Municipal Eliza Teixeira de Moura, um desfile para ninguém colocar defito, carros alegoricos maravilhosos tudo muito propicio ao dia. Outro aspecto cultural é a festa da padroeira que segue as comemorações da festa de setembro, Nossa Senhora Mãe de Deus e dos Homens é homenagiada por toda região, novenas, missas, procisões são partes importantes desse evento, evento esse realizado a mais de 200 anos na cidade. Não podemos esquecer da festa super tradicionas , a festa do Divino Espírito Santo que acontece na cidade posterimente deste os primeiros habitantes, as cidade se veste de vermelho e branco para saudar o Divino,o cortejo do imperador é essencial, um dia antes da grade missa, a bandeira passa nas casas das pessoas, no dia do Divino a cidade é acordada por uma bonita alvorada, ao final da tarde a bandeira é entregue aos festeiros do ano seguinte.Seria tamanha ousadia esquecer dos ternos de reis, temos o Terno das cigana e o reisado da vargem alta, ambos são verdadeiros ícones culturais da cidade.

Desfile de 7 de setembro em Palmas de Monte Alto
Desfile civico de 7 de setembro

Economia[editar | editar código-fonte]

Tem como principais produtos agrícolas o feijão, algodão, mandioca, sorgo, milho e arroz, observando-se que pelo menos 60% da população economicamente ativa, desenvolve suas atividades na agricultura e na pecuária, contribuindo assim, para arrecadação do ICMS no Município e para melhoria da qualidade de vida em pequena escala, mas que se desenvolve gradualmente.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. a b c d e f g MOURA, Waldemar Teixeira de. História da Formação e Vida de Monte Alto, s/editora, 1989

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.