Pé de Serra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pé de Serra
Serra do Leão, nas duas imagens de cima, e Serra do Bugio, nas de baixo.

Serra do Leão, nas duas imagens de cima, e Serra do Bugio, nas de baixo.
Bandeira de Pé de Serra
Brasão de Pé de Serra
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de março
Fundação descobrimento 1743, emancipação 20 de março de 1985
Gentílico pé-de-serrense
Prefeito(a) Hildefonso Vitório dos Santos (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Pé de Serra
Localização de Pé de Serra na Bahia
Pé de Serra está localizado em: Brasil
Pé de Serra
Localização de Pé de Serra no Brasil
11° 50' 02" S 39° 36' 46" O11° 50' 02" S 39° 36' 46" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Serrinha IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Riachão do Jacuípe, Ipirá, Capela do Alto Alegre, Nova Fátima
Distância até a capital 220 km (Salvador) km
Características geográficas
Área 616,211 km² [2]
População 14 478 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 23,5 hab./km²
Altitude 286 m
Clima Semi-Árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,587 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 46 368,429 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 157,97 IBGE/2008[5]
Página oficial

Pé de Serra é um município brasileiro do estado da Bahia, situado na Região Sisaleira, Microrregião de Serrinha. Está situado a 220 quilômetros de sua capital, Salvador. O acesso é realizado por meio da BR-324 e da BA-233, percorrendo 19 quilômetros nesta última rodovia, até a sede do município. O distrito-sede está localizado entre duas montanhas, que deu origem ao nome da cidade. Foi emancipado em 20 de março de 1985 e sua população estimada, conforme estimativa do IBGE em 2013 é de 14.478 e área territorial de 616,211 km².

Os limites do município são com os municípios de Riachão do Jacuípe, Ipirá (este município também é fronteira entre a região sisaleira e a chapada Diamantina), Nova Fátima , Capela do Alto Alegre e Pintadas.

História[editar | editar código-fonte]

Conta-se que por volta de 1745, três irmãos portugueses explorando uma vasta região em busca de terras férteis, acamparam próximo a Riachão do Jacuípe, na época, uma fazenda de gado. Certa vez continuando o trabalho exploratório, levaram consigo uma cadela que se perdeu, reaparecendo dias depois no acampamento. Deram a ela água e comida. Surpreendendo a todos, a cadela comeu o alimento oferecido, mas não bebeu a água embora fosse tempo de seca.

Desconfiados, passaram a observá-la. Algum tempo depois perceberam a cadela entrar em uma moita de gravatá e de lá sair toda molhada. Dessa forma foi descoberto um poço minadouro, ao qual deram o nome de Brejo do Pé de Serra. Daí a origem do nome Pé de Serra.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Elevado à categoria de município com a denominação de Pé de Serra[6] , pela Lei n.º 4.411, de 19-03-1985, desmembrado de Riachão do Jacuípe. Sede no atual distrito de Pé da Serra (ex-povoado). Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1986. Em divisão territorial datada de 1988, o município de Pé de Serra é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Pé de Serra está localizada junto à bacia do rio Jacuípe, tendo as sub-bacias do Rio Sacraiú e diversos riachos espalhados pelo município, numa região conhecida região sisaleira.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Vegetação de Pé de Serra, ao fundo está a serra do Boqueirão.

O município faz parte do bioma da caatinga, sendo assim a vegetação está relacionada com as chuvas que ocorrem no outono e no inverno. A vegetação é xerófila(de região seca) do tipo estepe, com arbustos espinhosos (mandacaru, xique-xique, palma, gravatá e outros cactáceos) e de gramíneas ralas que acumulam água e têm raízes profundas. Possui pequenas áreas particulares preservadas da floresta natural da caatinga.

Vegetação de Pé de Serra, ao fundo está a serra do Bugio.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Pé de Serra é tropical semi-árido, com temperaturas acima de 30 graus centígrados e seu índice pluviométrico é de cerca de 600 mm anuais, concentrados principalmente nos meses de dezembro a fevereiro.Tem invernos de pouca duração no mês de junho e as demais estações com temperaturas muito altas.

O município está totalmente inserido no denominado "Polígono das Secas", por isso sofre constantemente longos períodos de estiagem ou escassez de chuvas.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Riacho da Pedra Branca, em época de seca.

O município é cortado pelo Rio Sacraiú, que curiosamente possuem águas salobra, e por vários riachos e córregos. Além destes, possui alguns açudes e represas, a maioria particular.

É notável também a presença de minadouros, denominados brejos. Dentre os mais conhecidos estão o Brejo do Pé da Serra, que deu origem à cidade, e o Brejo da Magra, que serve à população de várias regiões do município, especialmente em épocas de seca.


Localização Geográfica[editar | editar código-fonte]

Imagem das duas serras. À esquerda, a serra do Leão e à direita, a serra do Bugio.

Pé de Serra está localizado geograficamente no sertão baiano, na divisa com a Chapada Diamantina, na microrregião de Serrinha, pertencendo à mesorregião do Nordeste Baiano. Está cuturalmente e economicamente ligada a cidades maiores próximas, principalmente Feira de Santana e Salvador.

Administração[editar | editar código-fonte]

O Poder Executivo do município de Pé de Serra é representado pelo prefeito e seu gabinete de secretários, seguindo o modelo proposto pela Constituição Federal. O atual prefeito da cidade é Hildefonso Vitório dos Santos, do partido dos trabalhadores PT sendo seu vice Edgar Miranda PP, que exercerá mandato até 2016.

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

  • Pedro Falconeri Rios PDS 1986 - 1988
  • Saturnino Vieira de Santana PDS 1989 - 1992
  • Pedro Falconeri Rios PFL 1993 - 1996
  • Saturnino Vieira de Santana PFL 1997 - 2000
  • Hildefonso Vitório dos Santos PMDB 2001 - 2004
  • José Carneiro Rios DEM 2005 - 2008
  • Hildefonso Vitório dos Santos PMDB 2009 - 2012
  • Hildefonso Vitório dos Santos PT 2013 - 2016

Vereadores[editar | editar código-fonte]

O Poder Legislativo é representado pela câmara municipal, composta por vereadores eleitos para cargos de quatro anos. Cabe à Câmara elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o Orçamento municipal (conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias).

A Câmara dos Vereadores de Pé de Serra conta com 9 vereadores. Abaixo estão os que compõe a câmara municipal de 2013 até 2016 .

  • Antonio de Pedro - PP
  • Durval Agapito - PSD
  • Junior de Edilson - PRP
  • Edvan do Serrote - PRP
  • Agenário - DEM
  • Toco da Ciência - PC do B
  • Geovan Rios - PP
  • Gil do Santo Agostinho - PT
  • Jorge Rios - PMDB

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

O município de Pé de Serra está oficialmente dividido apenas no distrito-sede. No entanto há vários povoados, que são áreas urbanas formadas ou em formação afastadas da sede do município. Os principais povoados são: Santo Agostinho, Aroeira, Caldeirão do Negro, Santo Antônio, Novo Ouricuri, Lagoa do Curral, Tanquinho e Lagoa do Pé do Morro.

Vista aérea de Pé de Serra, ao centro, o estádio municipal.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Vista parcial de Pé de Serra. Foto tirada da Serra do Leão.

A evolução demográfica do município é baixa. A população sofreu um enorme défcite, passando de 17.048 em 1991 para 14.683 em 2008. A causa mais provável para este fato, talvez seja a evasão (migração) para outras regiões mais desenvolvidas no próprio estado, principalmente a Região Metropolitana de Salvador e Feira de Santana, e para outros estados, específicamente São Paulo.

A população de Pé de Serra é formada basicamente por brancos, pardos e negros. A população branca é formada na maioria pelos descendentes de colonos portugueses, e até mesmo de alguns espanhóis e holandeses. Os negros são os descendentes de escravos. A religião predominante em Pé de Serra é a Católica Romana, mas a presença de outras religiões já é visível, principalmente a Evangélica.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Apesar do quadro de desigualdade social com o qual convive, o município conta com 53 colégios de ensino fundamental, sendo 48 na zona rural, 2 escolas de ensino médio, sendo estas estaduais, e uma biblioteca. Também possui algumas escolas particulares. O acesso ao ensino superior já está disponível, mas em instituições localizadas em Feira de Santana e Nova Fátima. De acordo com o censo do IBGE, em 2004 havia 3.668 pessoas matriculadas no ensino fundamental, 689 no ensino médio e um corpo docente de 248 para ambos os ensinos.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Por ser uma cidade de pequeno porte, existe muita dependência dos serviços de saúde de outras localidades, principalmente Riachão do Jacuípe, Feira de Santana e Salvador. A cidade conta com cinco unidades de saúdes municipais, sendo um deles o Hospital Municipal Izadora Alencar, e duas unidades privadas.[7]

Economia[editar | editar código-fonte]

A Prefeitura e o INSS são os principais responsáveis pela injeção de recursos na economia do município. De um lado os servidores públicos municipais e do outro os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional da Seguridade Social, são fontes certas de recursos financeiros mensais para a economia do município. A atividade econômica do município, todavia, baseia-se principalmente na agricultura e pecuária.

A Coelba é a distribuidora de energia elétrica no município, com atendimento da população nas zonas urbana e rural. O registro de consumo elétrico residencial (Kwh/hab.) é de 29,13 e está em 379º no ranking dos municípios baianos. Seu parque hoteleiro registra 20 leitos.

O abastecimento de água é feito pela Embasa, sendo que 26,9% domicílios possuem acesso à água encanada, tanto nas áreas urbanas como em algumas regiões rurais. No setor de bens minerais, o município é produtor de manganês e quartzo.

No ramo industrial, destaca-se as padarias e confeitarias, e fábrica de calçados.

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Plantação de milho.

O sisal, também conhecido como agave, é o principal cultivo permanente realizado no município. Segundo estimativas do IBGE, existem aproximadamente 150 hectares destinados à produção, e a quantidade produzida em 2012 foi equivalente a 68 toneladas[8] .

Além da produção do sisal, outros bens também são produzidos, em caráter temporário, como o feijão (300 hectares/18 toneladas), o milho (300 hectares/27 toneladas) e a mandioca (10 hectares)[8] , além de legumes e verduras. No entanto, as plantações estão cada vez mais escassas na zona rural do município, haja vista a franca expansão dos rebanhos. Há também a extração vegetal e silvicultura, onde destaca-se oumbu e a lenha.

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Na pecuária destacam-se a criação de bovinos (31.902 cabeças), ovinos (15.996 cabeças),suínos (2.778 cabeças) e caprinos (2.106 cabeças), além dos rebanhos de eqüinos (1.120 cabeças), asininos (1.188 cabeças) e muares (417 cabeças). No município há também algumas granjas, onde os frangos são exportados para outros municípios. São estimados 20.361 cabeças em produção, e 78 mil dúzias de ovos. A pecuária leiteira do município também contribui para o desenvolvimento fabrícos (laticínios) que produzem desde o tradicional requeijão até o iogurte, além da crescente especialização na produção de queijo, a estimativa do IBGE em 2012 é de 4.800 litros de leite para 9.000 cabeças de vacas ordenhadas. Essa produção, em sua maioria, é comercializada nos municípios de Salvador, Feira de Santana, Camaçari e Juazeiro, todos na Bahia.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Serra do Leão, vista do local onde fica o cruzeiro.

Não há muita atividade turística em Pé de Serra, todavia, algumas atividades culturais que atraem visitantes de algumas regiões do país, que geralmente são pessoas que moravam ou tem parentes no município.

Há uma tradição muito forte de na sexta-feira da paixão subirem-se aos cruzeiros que ficam na Serra do Leão e em alguns montes que rodeiam a cidade. Além disso, subir tanto na Serra do Leão, como no Monte Belo, é um ato de muita adrenalina e contato com a natureza exuberante do serrado. Por isso centenas de pessoas fazem essa "peregrinação" todos os anos. É também nesta época que geralmente ocorre a Micareta de Pé de Serra, denominada "Pascareta".

Locais para visitas


Lazer[editar | editar código-fonte]

No início do ano, logo no dia 6 de janeiro, é comemorada a festa de vaqueiros e fazendeiros, com participação maciça da população local e de turistas, muitos atraídos pelos shows musicais e outros tantos pelo encanto do aboio vaqueiro, pelas corridas, pelos concursos de marcha e desfiles.

Em março, pela comemoração do aniversário do município, há visitas movidos pelo interesse na já tradicional e emocionante maratona, onde ocorre desfile cívico.

Cultura[editar | editar código-fonte]

O lado cultural pé-de-serrense, destaca-se a Filarmônica Lira 6 de Agosto, existente desde 1924, a Orquestra Sopro da Alegria , como também o grupo de Teatro Mãe D'Ouro, além das comemorações que acontecem no município, como a vaquejada, Corpus Christi, São João e 7 de setembro. Algumas tradições são mantidas no município, como a confecção de tapetes nas ruas do centro da cidade no dia de Corpus Christi, queima do Judas no sábado de Aleluia e a subida na serra na sexta-feira da paixão. Na cidade não dispõe de centros culturais, tal como teatros, cinemas, galerias de artes, museus, apenas alguns bares, além do Acups (Associação Cultural de Pé de Serra). A Igreja Matriz, o Brejo do Pé da Serra e uma pequena capela situada no Monte Belo podem ser consideradas monumentos da cidade.

Feriados municipais[editar | editar código-fonte]

São feriados municipais na cidade:

Além dos outros feriados válidos para todo o Brasil e para a Bahia.

Esportes[editar | editar código-fonte]

O esporte principal de Pé de Serra é como em todos os outros municípios brasileiros o futebol, em que se destaca o campeonato pé-de-serrense que é disputado todos os anos. De Pé de Serra já saíram grandes craques como Mizael ex-jogador de Futebol que atuou pelo Fluminense de Feira de Santana sagrando-se bicampeão baiano nos anos de 1963 e 1969, Bubu, Pedro Rouco, Birineco, Moacy de Boqueirão, Antonio Lunguinho,Telmo,Paulo Matos (já atuou em clubes como: São Paulo, Náutico, Vitória, Gama, Paraná Clube, entre outros) e Natan que atualmente defende o Santa Cruz - PE. Há outras modalidades de esportes que não são apoiadas pelos dirigentes locais como capoeira, judô, entre outras, mas com esforço essas artes hoje estão vivas graças ao amor que os praticantes tem, que com esforço próprio não deixarão elas morrerem.

Páscoa[editar | editar código-fonte]

Na páscoa, a cidade muda. As pessoas ficam mais próximas e solidárias. No sábado de páscoa, pela tarde, a Charanga faz a famosa lavagem, arrastando uma multidão eufórica pelas ruas da cidade, dançando ao som dos sambas-de-lavagem, marchinhas de carnaval e outras melodias. Pela noite, finalmente, há a queima do "Judas" em praça pública. Esse espetáculo é uma atração a parte para os turistas, pois não é apenas uma queima de fogos, é uma explosão de alegria motivada pela fascinação da arte pirotécnica. Mas antes de queima do Judas faz-se a leitura de seu testamento, que é uma crônica dos principais fatos e personagens que marcaram no último ano.

Festas Juninas[editar | editar código-fonte]

Os festejos juninos, todavia, são a principal manifestação cultural do município que atrai turistas de todo o país. A comemoração junina é por muitos aguardada com muita expectativa, vez que é uma data em que o espírito da cidade se engradece, a alegria e a descontração toma conta das pessoas que dançam muito forró "pé de serra" e aproveitam a culinária típica. A praça principal da cidade fica pequena para tanta gente, mas, incrivelmente, sempre há lugar para mais uma.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Emissoras de televisão[editar | editar código-fonte]

Retramissoras

Telefonia fixa[editar | editar código-fonte]

Telefonia móvel[editar | editar código-fonte]

Emissoras de rádio[editar | editar código-fonte]

A cidade possui uma estaçãode rádio FM. O município recebe ainda sinais de redes AM e FM localizadas em outros municípios, como Feira de Santana, Ipirá, Riachão do Jacuípe, Serrinha, Conceição do Coité e Salvador.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (15 de outubro de 2012). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 06 de fevereiro de 2014.
  3. IBGE - Cidades - Bahia - Pé de Serra Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 06 de fevereiro de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  6. IBGE - Cidades - Bahia - Pé de Serra - História Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 06 de fevereiro de 2014.
  7. IBGE - Cidades - Bahia - Pé de Serra - Estabelecimentos de Saúde Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 06 de fevereiro de 2014.
  8. a b IBGE - Lavoura permanente - Pé de Serra publicado=Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 07 de fevereiro de 2012.
Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia Pé de Serra