Ubaíra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ubaíra
Ubaíra vista de helicóptero

Ubaíra vista de helicóptero
Bandeira de Ubaíra
Brasão de Ubaíra
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 30 de junho
Fundação 1832
Gentílico ubairense
Lema Fervet Opus (Ferve o trabalho. Expressão virgiliana para descrever a atividade das abelhas no cortiço.)
Prefeito(a) Fábio Cristiano Rocha Pinheiro (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Ubaíra
Localização de Ubaíra na Bahia
Ubaíra está localizado em: Brasil
Ubaíra
Localização de Ubaíra no Brasil
13° 16' 04" S 39° 39' 46" O13° 16' 04" S 39° 39' 46" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro-Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Jequié IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Amargosa, Jiquiriçá, Teolândia, Wenceslau Guimarães, Cravolândia, Santa Inês, Brejões.
Distância até a capital 270 km
Características geográficas
Área 726 km² [2]
População 19 750 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 27,2 hab./km²
Altitude 324 m
Clima Temperado, máxima de 36°, mínima de 14°, período do inverno de abril a agosto.
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,582 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 73 709,942 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 449,55 IBGE/2008[5]
Página oficial

Ubaíra é uma cidade brasileira, do estado da Bahia e da Microrregião de Jequié, fundada em 1832, a uma altitude de 324 metros, e 270 km da capital Salvador.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1790, João Gonçalves da Costa foi encarregado de conquistar os índios mongóis, localizados na aldeia de Santo Antônio do Cantanhede, nas margens do rio Jiquiriçá, tendo feito o que se lhe ordenara. Pediu, então, que o território por ele conquistado fosse anexado à vila de Valença, o que lhe foi negado, tendo entretanto isto acontecido posteriormente, por força da Carta régia de 01 de janeiro de 1813. Nas proximidades da região já existiam as sesmarias de São Paulo e Poço do Facão, que haviam sido doadas a Manuel de Sousa Santos e a Domingos de Matos e Aguiar, respectivamente, por Alvará de 13 de maio de 1770, sendo somente ocupadas em 20 de dezembro de 1781 pelos referidos proprietários. Também desde 1977, os terrenos, com meia légua para cada lado do rio Jiquiriçá e denominados Barra da Estopa e Riacho da Torre, já haviam sido dados, por sesmaria, ao primeiro explorador da região, Francisco de Sousa Feio, que tomou posse das mesmas, com as solenidades então costumeiras, a 07 de maio de 1875. A fazenda de Francisco de Sousa Feio, denominada Pindobas, nome que ainda hoje conserva, se estendeu ao riacho, em cuja margem se formaram diversas fazendas. Francisco de Sousa Feio fixou residência no lugar chamado Estopa, também conhecido por Barra da Palmeira. Aí, onde edificou moradia e fez plantações, ainda vivem seus bisnetos e outros descendentes que se ocupam na lavoura. A sede da velha fazenda constitui hoje pequeno povoado. Aumentando a família do primeiro posseiro, um genro seu de nome Manuel de Sousa Santos levou a exploração além dos limites da sesmaria e fixou residência no lugar a que se chamou Santa Inês. Sobrevindo no ano de 1824 o flagelo de demorada seca, a qual, por três anos, crestou campos e sementeiras, Pedro da Costa Avelar e Vicente Ferreira de Sousa, este neto de Francisco de Sousa Feio e ambos genros de Manuel de Sousa Santos, abandonaram o local e vieram residir na sede da fazenda Areia, onde se votaram à lavoura e construíram propriedades, um na parte conhecida por Areia de Cima e outro na conhecida por Areia de Baixo; que constituíam, sucessivamente, a povoação, vila e hoje cidade de Ubaíra.

Por motivo da profunda decadência da vila de Santo Antônio do Jiquiriçá, foi sua sede transferida para o então povoado de Areia, que da mesma era parte, pela Lei provincial nº 1046, de 17 de junho de 1868. Desde então, teve Areia a denominação de Vila de Jiquiriçá, até perder este nome por força da Lei nº 1611 de 16 de junho de 1876, passando a chamar-se São Vicente Ferreira de Areia.

O Ato estadual de 30 de junho de 1891 concedeu foros de cidade à sede municipal, sob o nome de Areia, nome que se estendeu ao município. Conforme a divisão administrativa do Brasil de 1911, Areia figurava integrada unicamente pelo distrito-sede, apresentando-se nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1920 composto de 6 distritos: Areia, Riachão, Volta do Rio (Sapucaia), Santa Inês, Caldeirão e Jaguaquara. Segundo a divisão administrativa do Brasil, concernente ao ano de 1933, o município formava-se dos distritos de Areia, Riachão e Sapucaia, situação mantida nas divisões territoriais de 31 de dezembro de 1937. Com os mesmos distritos apareceu ainda no quadro territorial em vigor no quinquênio 1939-1943, estabelecido pelo Decreto estadual nº 11089, de 30 de novembro de 1938, observando-se, porém, as alterações toponímicas sofridas pelos dois últimos, que passaram a chamar-se, respectivamente, Baixinha e Engenheiro Franca. Em virtude do Decreto-Lei estadual n° 141, de 31 de dezembro de 1943, que fixou o quadro territorial a vigorar no quinquênio 1944-1948, o nome do município e do seu distrito-sede foi substituído pelo de Ubaíra. Com a retificação do referido quadro pelo Decreto estadual nº 12978, de junho de 1944, o município de Ubaíra permanece constituído dos três distritos citados acima: Ubaíra, Baixinha e Engenheiro Franca, situação que perdura até os dias de hoje.[6] Ubaíra – palavra oriunda do tupi-guarani e que significa “mel de pau”.

Aspecto Político[editar | editar código-fonte]

O primeiro intendente (prefeito) foi o Cel. Silvério Pinheiro de Matos, que tomou posse em 1889. As primeiras eleições municipais datam de 1893 (ARAÚJO, 1916), tendo como conselheiros (Vereadores) os senhores:

  • Silverio Ribeiro De Novais
  • Frederico De Melo Pita
  • Ezequiel Monteiro Da Costa
  • Manoel Bento De Almeida
  • Antonio Pereira Dos Santos
  • Padre Manoel Leôncio Galrão
  • Angelo Muniz Barreto
  • Afonso Lauria

Prefeitos Do Município Após Redemocratização Do País[editar | editar código-fonte]

  • 1947/51 – Sinfrônio Sales Marinho
  • 1951/55 - José Idelfonso Lôbo
  • 1955/59 - Eunísio Alves Magalhães
  • 1959/63 - Manoel Nunes Pinheiro - José Idelfonso Lôbo – 1960/63
  • 1963/67 - 4/63 à 7/63 – Manoel De Souza Carvalho
  • 07/63 à 12/64 - Henrique Zacarias De Souza
  • 01/64 à 04/67 – Miguel Leal Andrade
  • 1967/71 – Mário Muniz Monteiro
  • 1971/73 - Fernando Carlos Cohin Ribeiro
  • 1973/77 - Joaquim Leal Andrade
  • 1977/83 - Mário Muniz Monteiro
  • 1983/88 - Ivan Eça Menezes
  • 1989/92 - Edison De Oliveira Almeida
  • 1993/96 - Ivan Eça Menezes
  • 1997/00 - Lúcio Passos Monteiro
  • 2001/04 - Rosani Fagundes Ferreira Tavares
  • 2005/08 - Lúcio Passos Monteiro
  • 2009/12 - Lúcio Passos Monteiro
  • 2013/16 - Fábio Cristiano Rocha Pinheiro

Aspectos Jurídicos[editar | editar código-fonte]

O município foi elevado a Termo pela Lei 1.611 de 16 de junho de 1876, pertencente à Comarca de Valença e seu 1º Juiz Municipal foi o Bel° Camilo Acioly da Silva.

Foi elevado à categoria de Comarca de 1ª Entrância pela Lei Provincial de 09 de julho de 1880 e foi instalada em 15 de janeiro de 1883, sendo seu primeiro juiz de Direito o Bel° FIRMINO

LOPES DE CASTRO. Pela Lei de 03 de agosto de 1892 o Município perdeu foros de Comarca e readquiriram-nos pela Lei Estadual nº 280 de 06 de setembro de 1898 como Comarca de 3ª Entrância integrada dos três Termos: Ubaíra (sede), Santa Inês, Jiquiriçá e Mutuípe.

Pelo Decreto Estadual nº 11.089 de 30 de novembro de 1938, a referida Comarca recebeu o novo termo de Laje e Pelo Decreto Lei nº 141 de 31 de dezembro de 1943, perdeu o termo de Laje para Santo Antônio de Jesus e em 1964 a Comarca de Ubaíra voltou à primeira Entrância e em outubro de 1985 passou a ser Comarca de 2ª Entrância, tendo Jiquiriçá como termo de Comarca de Jiquiriçá no dia 19 de dezembro de 1991.

Atualmente o Município possui 13.917 eleitores, tendo votado na última eleição do ano de 2008, para prefeito e vereador um total estimado de 12.570 eleitores.

A comarca possui 02 Cartórios que funcionam na zona rural e Cartórios que funcionam no Fórum Des. Duarte Guimarães que foi inaugurado em 27 de maio de 1981, sendo o Poder Judiciário exercido pelo Exmª Sr. Dr. Antonio Lopes Filho e o Ministério Público pelo Dr. Isaías Borges Carneiro.

Aspectos Religiosos[editar | editar código-fonte]

O padroeiro é São Vicente Ferrer, cuja imagem chegou em 1874, trazida por uma família de italianos.

A freguesia de Areia (Hoje Ubaíra) foi criada pela Lei Provincial nº 261 de 15 de abril de 1847, sob a invocação de São Vicente Ferrer, sendo seu 1º Vigário o Padre Lecínio e atualmente é o Padre Raimundo Santos.

Temos aqui os seguintes templos religiosos: Igreja Matriz de são Vicente, capela de Santo Antônio, 17 capelas públicas no interior do município que são subordinadas à Diocese de Amargosa, 01 templo da Assembleia de Deus, 01 templo Batista, Igreja Batista Alvorada de Ubaíra, Testemunha de Jeová, Igreja do Reino Universal, Avivamento Bíblico, Adventista do Sétimo Dia, Congregação Cristã no Brasil, Assembleia de Deus do Rio de Janeiro, Igreja evangélica Bálsamo de Gileade, Igreja Pentecostal Casa de Deus, Loja Magna Luz Força e Amor e Sociedade Espírita Kardecista Luz Divina.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Ubaíra fica localizado à, aproximadamente, 270 km da capital Salvador, possui 20.708 habitantes, sendo 10.631 homens e 10.077 mulheres distribuídos numa área de 762 km², resultando numa densidade demográfica de 27,2hab./km² (IBGE, 2007). Ubaíra está inserido na microrregião de Jequié pertencente à mesorregião Centro-Sul Baiano. Sua população representa cerca de 4% da população total da microrregião, na qual predomina municípios de pequeno porte (apenas 3 dos 26 municípios apresentam população superior a 25 mil habitantes). É limitado a norte pelo município da Amargosa, a leste por Jiquiriçá, a sueste por Teolândia, a sudoeste por Wenceslau Guimarães, a oeste por Cravolândia e por Santa Inês e a noroeste por Brejões.

Localização no Mapa (navegável)[editar | editar código-fonte]

Ubaíra Wikimapia

Cachoeiras[editar | editar código-fonte]

Prazeres, Inferno, Ferrugem, Risada e Pancada Grande que tem 90 metros de altura e fica na Risada, Povoado de Três Braços.

Rio Jiquiriçá[editar | editar código-fonte]

Bacia do Rio Jiquiriçá - Rio Passando por Ubaíra

O rio Jiquiriçá nasce no município de Maracás, percorre 275 km e ocupa uma área de 6.900 km², ficando o seu estuário ao sul da Baía de Todos os Santos e ao norte da foz do rio Una (CIJ, 2005). A população total da bacia fica em torno de 440 mil habitantes, sendo 58% na área urbana e 42% na zona rural, distribuindo-se de forma irregular nos 25 municípios. São municípios de pequeno porte, apenas 4 deles superam os 25.000 habitantes, segundo o IBGE (2007). Seus afluentes: Boqueirão, Mucuri, Três Lagoas, Riacho de Areia, Ferrugem. A bacia do rio Jiquiriçá vem sofrendo impactos ambientais de grande magnitude sobre o solo, vegetação, fauna e, principalmente, sobre os recursos hídricos. Os cursos d’água recebem efluentes não tratados de diversas cidades que atravessam, além de resíduos sólidos decorrentes de atividades urbanas e rurais. É reconhecido o uso abusivo de agroquímicos ao longo de todo o rio, principalmente, no alto Jiquiriçá, próximo à nascente. Área essa que, por ser a mais vulnerável, deveria ser também a mais poupada, inclusive por meio de instrumentos legais.

Riquezas Naturais[editar | editar código-fonte]

A região possui ricas florestas com as seguintes madeiras de lei: Sapucaia, Louro, Sucupira, Pau-D'arco, Camaçarí, Piqui, Vinhático, Araroba, Jacarandá, Muquiba, Passoré, Massaranduba, Ipê e outros.

Reino Mineral: Grafite, Mica, Manganês, Granito e Prata.

Reino Animal: Equinos, Suínos e Caprinos.[7]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Há, na região, uma vocação para o turismo sob formas de turismo rural, ecoturismo, turismo de aventura e turismo de evento. Uma das atrações como Turismo Ecológico/Rural é o Caminho da Paz. Uma caminhada de 127 km de extensão, iniciando na Cidade de Amargosa passando pelo povoado do Alto da Lagoinha, Morrinho de São José, Mutuípe, Jiquiriçá, Ubaíra e finalizando na Pousada Ecológica Projeto Semente Localizado nas montanhas do Vale do Jiquiriçá em Ubaíra. É o primeiro do gênero no Nordeste do Brasil, aos moldes de outros Caminhos do mundo inteiro, por exemplo, o Caminho de Santiago de Compostela.

Como opções para turismo ecológico, muitas trilhas e cachoeiras etc... as cachoeiras mais visitadas são: Cachoeira dos Prazeres, Cachoeira do Boqueirão, Cachoeira da Risada.

Festas Juninas[editar | editar código-fonte]

O São João de Ubaíra é uma festa gratuita, com muito forró, fogueiras e apresentações musicais é um dos mais tradicionais do interior baiano, com amplo destaque no Vale do Jiquiriçá, atraindo anualmente milhares de pessoas oriundas de várias regiões.

Economia[editar | editar código-fonte]

A agricultura é a principal atividade econômica do município com as culturas de Cacau, Café, Mandioca, Cereal e Hortifrutigranjeiro. A pecuária está se desenvolvendo também, pois é de vital importância para a economia rural.

Pib = 53.916 mil IBGE/2005 [5]

Agrícola[editar | editar código-fonte]

  • Cacau: 85.280 Arroubas.
  • Café: 6.555 Sacas.
  • Banana da Prata: 100.500 centos.
  • Banana da Terra: 7.200 centos.
  • Banana Pacovan: 1.000 centos.
  • Tomate: 50 toneladas.
  • Pimentão: 150 toneladas.
  • Chuchu: 150 toneladas.
  • Pepino: 30 toneladas.
  • Mandioca: 1.700 toneladas.
  • OUTRAS OLERICULTURAS: 200 toneladas.

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

O município de Ubaíra é servido pelas empresas: Camurujipe, Cidade Sol e Águia Branca que ligam este município para Salvador e várias cidades, através da BR 420, BR 101 e BR 116. São Geraldo e Entram ligam a Bahia a outros estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo circulando por estas mesmas rodovias.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Possui mais ou menos 600 linhas telefônicas instaladas, telefonia celular OI, CLARO e VIVO, com DDD 75. Antenas com 03 (três) repetidoras de sinal para TV sendo: TV BAHIA, SBT, RECORD e TV E- BAHIA, uma repetidora de Sinal de FM e uma AGÊNCIA DE CORREIO.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE. Área territorial oficial. Visitado em 11/06/2012.
  3. Censo Populacional Censo Populacional Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11/06/2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 24 de agosto de 2013.
  5. a b c Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=293210#
  7. http://ubaira.ba.gov.br/site/ler_textos.cfm?TXT_CO_TEXTO=50

Monografia apresentada na UFBA e na 39ª Assembleia da Assemae em Gramado - RS por: Lys Monteiro Sampaio --Arnoncorado (discussão) 20h57min de 23 de setembro de 2013 (UTC)