Una

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Una
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 2 de agosto de 1890
Gentílico unense
Prefeito(a) Diane Rusciolelli (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Una
Localização de Una na Bahia
Una está localizado em: Brasil
Una
Localização de Una no Brasil
15° 17' 34" S 39° 04' 30" O15° 17' 34" S 39° 04' 30" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Ilhéus-Itabuna IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Ilhéus, Buerarema, Santa Luzia, Arataca, Canavieiras
Distância até a capital 503 km
Características geográficas
Área 1 159,525 km² [2]
População 24 106 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 20,79 hab./km²
Altitude 40m m
Clima 24,7°C (aprox.)
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,560 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 97 021,725 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 836,82 IBGE/2008[5]
Página oficial

Una é um município do estado da Bahia, no Brasil. Seu nome significa, em língua tupi, "preto"[6] , numa alusão à coloração do rio que banha a cidade. O município foi criado em 2 de agosto de 1890.

História[editar | editar código-fonte]

A região era primitivamente habitada pelos índios pataxós. O território integrava a sesmaria do Capitão-Mor Dom Rodrigo José de Menezes. Seu desbravamento iniciou-se por volta de 1770, por Maria Clementina Henriqueta e familiares, que ali se estabeleceram formando a fazenda São José. Com a chegada de colonos alemães e poloneses, formou-se a povoação denominada Una, entre as desembocaduras dos rios Uma e Maroim. Em 1860, criou-se a freguesia com o nome de Santo Antônio da Barra do Una. Criou-se o município em 1890. Supresso em 1923, seu território foi anexado a Canavieiras. Em 1924, restaurou-se o município com sede no povoado de Cachoeirinha. Em 1939, elevou-se a vila à cidade, alterando-se o topônimo para Una. O topônimo é um vocábulo tupi que significa “negro”. Os nativos de Una são chamados unenses.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua população estimada em 2008 era de 25 287 habitantes. Está situada a cerca de sessenta quilômetros de Ilhéus. Localiza-se, em Una, a Ilha de Comandatuba, com hotéis de luxo e um aeroporto.

Meio Ambiente[editar | editar código-fonte]

A diversidade ambiental de Una permite a coexistência de várias espécies de animais, contendo, inclusive, espécies ameaçadas de extinção. Dentre esses ambientes, estão a Reserva Biológica de Una (Ecoparque de Una), constituída de mata atlântica e a Reserva Particular do Patrimônio Natural Araraúna (Lençóis Belgas).

Os mamíferos característicos do município são: o tatu (Dasypus sp.), o jupati (Philander opossum), o cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), na Ilha de Comandatuba. Na mata Atlântica estão presentes o mico-leão-de-cara-dourada (Leontopithecus chrysomelas) e a preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus), estes dois últimos ameaçados de extinção, e no mangue o guaxinim (Procyon cancrivorus) e o sagui (Callithrix kuhli).

Existem cerca de noventa espécies de aves, dentre elas o maçarico (Tringa sp.) e o gavião-carcará (Polyborus plancus). Na praia, o sabiá-da-praia (Mimus gilvus), única espécie endêmica da restinga, o pica-pau-de-cabeça-vermelha (Dryocopus lineatus), o pica-pau-branco (Melanerpes albicans), o periquito-testa (Aratinga aurea), o suiriri-do-gado (Machethornis rixoxus), o sanhaço-do-coqueiro (Thraupis palmarum), na parte central da Ilha de Comandatuba e a garça-azul (Florida caerulea) e o gavião-pinhé (Milvago chimachima) no mangue.

Répteis com destaque são o calango-verde (Ameiva ameiva), o calango catenda (Tropidurus torquatus), a jibóia (Boa constrictor) e quatro espécies de tartaruga-marinha ameaçadas de extinção: tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata), verde (Chelonia mydas), cabeçuda (Caretta caretta) e olivácea (Lepidochelys olivacea).

A fauna marinha é rica em peixes, entre os quais o robalo (Centropomus ssp.), a tainha (Mugil ssp.) e a pescada (Cynoscion sp.) - no canal e próximo da praia; o cação-martelo (Sphyrna sp.), o dourado (Coryphaena hippurus), o marlin-azul (Makaira nigricans), o sailfish (Istiophorus platypterus) e o atum (Thunus sp.) - na região oceânica.

Os invertebrados mais importantes são caranguejos como o guaiamum (Cardissoma guanhumi), encontrado em terreno seco, o uçá (Ucides cordatus), o aratu (Goniopsis cruentata), o siri-do-mangue (Callinectes sp.) e os chama-maré (Uca ssp.), no mangue; o grauçá (Ocypode quadrata) e o siri-da-areia (Arenaeus cribarius), na praia.[7]

Praias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  7. http://www.activesystems.com.br/ecotuba/desc/fauna.htm
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.