João Gonçalves da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

João Gonçalves da Costa (Chaves, Trás-os-Montes, 1720Manuel Vitorino, Bahia, 1820) foi um desbravador do Sertão da Bahia

História[editar | editar código-fonte]

João Gonçalves da Costa foi um português que fundou a cidade de Vitória da Conquista no Estado da Bahia. Nasceu no ano de 1720 na cidade de Chaves, alto Rio Tâmega em Trás-os-Montes, Portugal e com apenas dezesseis anos de idade foi para o Brasil onde inicialmente participou da abertura de novas fronteiras para o reino português, na então Capitania da Bahia, acompanhando o Bandeirante, Mestre de Campo João da Silva Guimarães.

Em 1744, ele é reconhecido pelas autoridades coloniais pela conquista dos sertões, como um grande desbravador e conquista de gentios, recebe então a patente de Capitão-Mor do Terço de Henrique Dias para ajudar o Mestre de Campo João da Silva Guimarães, Bandeirante encarregado dessa empreitada.

Conquistar terras significou lutar e João Gonçalves da Costa, dotado de muito vigor, coragem e ousadia, foi um valente combatente enfrentando os também valentes índios nativos, os Mongoiós e os Aimorés ou Imborés que após vencidos foram pacificados e catequizados.

No ano de 1783, após vencer definitivamente aos índios, no local da ultima batalha, fundou o Arraial da Conquista, onde hoje esta a grande e moderna cidade de Vitória da Conquista com mais de 310.000 habitantes.

João Gonçalves da Costa, a partir da paz estabelecida, passou a ter a responsabilidade, perante o reino de Portugal, de abrir as estradas que ligariam esta nova região conquistada, o Arraial da Conquista, à cidade de Ilhéus e ao Vale do Jequitinhonha, esta chamada a "Estrada de Minas", ambas de importância econômica elevada para o comercio de gado.

João Gonçalves da Costa é o verdadeiro patrono dos construtores de estradas da Bahia.

O Rei Dom José I, em reconhecimento doou a João Gonçalves da Costa, as terras que iam do médio Rio das Contas ao alto Rio Pardo, área esta conhecida como o Sertão da Ressaca.

Ao final de sua vida foi viver criando gado, na fazenda Cachoeira que posteriormente evoluiu para ser a cidade de Manoel Vitorino.

Casou com Josefa Gonçalves da Costa, filha de Matias João da Costa e Clara Gonçalves, ricos comerciantes portugueses, residentes na época na cidade de Rio de Contas, Bahia. Entre os vários filhos que tiveram se destacou Faustina Gonçalves da Costa que se tornou em Vitória da Conquista a sua verdadeira herdeira tanto em riquezas, como em política, originando do seu casamento com o português, Manuel de Oliveira Freitas a família oficial dos descendentes deste primeiro casal.

Faleceu já bastante idoso nas primeiras décadas do século XIX como patriarca de uma das famílias mais abastadas do sertão baiano.

João Gonçalves da Costa além de ter aberto diversas estradas ligando o Sertão da Ressaca ao litoral baiano e ao estado de Minas Gerais, também fundou muitas cidades, como Condeúba e Poções. Até hoje os seus descendentes diretos, as famílias Costa e Gonçalves residem na região do sudoeste baiano. Apesar de muitas outras famílias se dizem descendentes do fundador de Vitória da Conquista, historicamente, os seus ascendentes são as duas famílias citadas acima.

Feitos históricos[editar | editar código-fonte]