Instituto Federal da Bahia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
IFBA
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia
IFBA Fachada1.jpg
Fundação 2 de junho de 1910. Transformado em IFBA em 29 de dezembro de 2008
Tipo de instituição Pública Federal
Total de estudantes 8874
Reitor(a) Aurina Oliveira Santana
Estado Bahia
Página oficial www.ifba.edu.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) é uma instituição de ensino da República Federativa do Brasil, criada mediante transformação do Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFET/BA), através da Lei Federal 11.892[1] . Sua reitoria está instalada em Salvador.

Tem característica marcante e singular no estado da Bahia por ser uma entidade que oferece, numa única organização institucional, educação tecnológica profissional em todos os níveis, além de possuir uma estrutura multicampi, com unidades de ensino em diversas regiões estratégicas do estado.

Vivendo uma experiência cada vez mais singular e destacada no trilhar histórico da educação tecnológica na Bahia, o IFBA se renova e se reestrutura na constante e crescente transformação por que passa a sociedade, perseguindo estrategicamente os caminhos que possibilitem responder pelas questões e demandas da comunidade.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A história do Instituto Federal da Bahia[2] começa quando, em 2 de junho de 1910, a Escola de Aprendizes Artífices da Bahia foi instalada, provisoriamente, no Edifício do Centro Operário da Bahia, à rua 11 de junho, local próximo ao largo do Relógio de São Pedro (Av. Sete de Setembro).

A Escola de Aprendizes Artífices da Bahia começou a funcionar oferecendo cursos nas oficinas de alfaiataria, encadernação, ferraria, sapataria e marcenaria.

Em 1926 a Escola foi transferida para um novo prédio, situado no Barbalho, local onde se encontra até hoje e, a partir de 1930, a Escola, já com nova estrutura predial, passou a contar com as oficinas de tipografia, pautação, encadernação e fototécnica, na Seção de Artes Gráficas; oficinas de marcenaria, carpintaria e vimaria, na Seção de Trabalhos de Madeira; oficinas de mecânica, fundição e serralheria, na Seção de Trabalhos de Metais; e com as oficinas de sapataria, artes decorativas e alfaiataria.

Em 1937 a Instituição passou a ser denominada Liceu Industrial de Salvador.

Em 1942 passou a ser chamada de Escola Técnica de Salvador, em função da aplicação da Lei nº 4.127/42 que estabelecia as bases de organização da rede federal de estabelecimentos de ensino industrial. Nessa época, a Instituição implantou os seus primeiros cursos técnicos: Curso de Desenho de Arquitetura e Desenho de Máquinas e o Curso de Eletrotécnica.

Em 1959, a reforma do ensino industrial, transformou as Escolas Técnicas em autarquias educacionais e, em 1965, com a Lei nº 4.759/65 a Instituição passou a ser denominada de Escola Técnica Federal da Bahia (ETFBA).

Em 1993, entra em vigor a lei 8711, que transforma a ETFBa em Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFET-BA), incorporando a ela o Centro de Educação Tecnológica da Bahia (CENTEC), que já oferecia cursos técnicos de terceiro grau desde 1976. Essa fusão forneceu ao CEFET nível superior, colocando em prática a verticalização do ensino, oferecendo cursos profissionalizantes de segundo grau, graduação e pós-graduação.

Além de todas as mudanças estruturais, a transformação em CEFET também trouxe uma proposta de expansão para outras áreas da Bahia, através das Unidades Descentralizadas (Uneds). Em 1994, o CEFET-BA implanta a sua primeira Unidade de Ensino Descentralizada em Barreiras. Em 1996, foram implantadas as UNEDs de Valença, Vitória da Conquista e Eunápolis.

Em 1996, o CEFET-BA deu início a uma grande transformação em sua estrutura acadêmica, como consequência da implantação da nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394/96, que instituiu uma profunda mudança no sistema organizativo da educação tecnológica profissional.

O CEFET também estimulou a criação de cursos de Pós-graduação, criando assim uma cultura da pesquisa e extensão. Em 1997 foi criada na UNED Barreiras a Especialização em Metodologia do Ensino, em 1998 o Mestrado em Pedagogia Profissional, construído juntamente com INSPETP de Cuba e com sede em Salvador, e em 2005 a Especialização em Gestão de Instituições Públicas de Ensino.

A partir de 2006, inicia-se o processo de transformação do Campus de Simões Filho em uma nova Unidade de Ensino e a implantação das Unidades de Ensino de Santo Amaro, Porto Seguro e Camaçari.

A partir de 29 de Dezembro de 2008, com a criação da lei nº. 11892, os antigos Centros Federais, Escolas Agrotécnicas e Escolas Técnicas vinculadas às universidades, passam a compor a Rede Federal de Ensino Profissional, passando o CEFET à condição atual Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA).

Em 2009 iniciam-se os trabalhos dos primeiros cursos de Doutorado no IFBA, Doutorado em Engenharia e Ciências dos Materiais e Doutorado em Estatística e Experimentação Agropecuária, em convênio com a UFRN e a UFLA, respectivamente.

Hoje o IFBA conta com uma grandiosa estrutura, que corresponde a 12 campi, com cursos de nível médio e superior, distribuídos pelas diversas regiões do estado baiano.

Em Março de 2012 é inaugurado o IFBA campus Feira de Santana. Situado na BR324, bairro Aviário.

Ensino[editar | editar código-fonte]

O IFBA oferece cursos de educação tecnológica profissional em todos os níveis do sistema educacional (médio, técnico, graduação e pós-graduação), conforme estabelece a legislação pertinente. O ensino atinge várias áreas do conhecimento, e os seus cursos e currículos seguem uma dinâmica que permite uma constante renovação frente às inovações pedagógico-educacionais, bem como uma integração contínua às mudanças nos processos produtivos (novas tecnologias, sistemas de trabalho e de produção etc.).

Ensino técnico[editar | editar código-fonte]

São oferecidos cursos em três modalidades:

Educação de Jovens e Adultos (PROEJA)[editar | editar código-fonte]

Alia ensino médio com formação profissional para jovens e adultos. É preciso ter idade mínima de 18 anos e ensino fundamental completo para se inscrever nesta modalidade, cujos cursos têm duração média de quatro anos. Os cursos oferecidos são em:

  • Eletromecânica
  • Informática
  • Segurança no Trabalho
  • Turismo
  • Saneamento

Subsequente[editar | editar código-fonte]

Voltada para quem já completou o ensino médio, esta modalidade possibilita formação profissional num espaço curto de tempo. A duração média dos cursos é de 1 ano e meio a 2 anos:

  • Alimentos
  • Aquicultura
  • Automação Industrial
  • Biocombustíveis
  • Técnico em Comércio
  • Edificações
  • Enfermagem
  • Eletromecânica
  • Eletrônica
  • Eletrotécnica
  • Hospedagem
  • Informática
  • Mecânica
  • Meio ambiente
  • Metalurgia
  • Petróleo e Gás
  • Segurança no Trabalho

Integrado[editar | editar código-fonte]

Modalidade que integra ensino médio e formação profissional, exigindo, como pré-requisito, o ensino fundamental completo. Oferece cursos em:

  • Alimentos
  • Aquicultura
  • Automação Industrial
  • Biocombustíveis
  • Edificações
  • Eletromecânica
  • Eletrônica
  • Eletrotécnica
  • Geologia
  • Informática
  • Mecânica
  • Meio ambiente
  • Petróleo e Gás
  • Química
  • Refrigeração
  • Turismo

Graduação[editar | editar código-fonte]

O IFBA oferece cursos de Graduação Tecnológica, Bacharelados, Engenharias e Licenciaturas, nas seguintes áreas:

  • Administração
  • Sistemas de Informação
  • Engenharia de Alimentos
  • Engenharia Ambiental
  • Engenharia Elétrica
  • Engenharia Industrial Elétrica
  • Engenharia Industrial Mecânica
  • Engenharia Química
  • Licenciatura em Computação
  • Licenciatura em Geografia
  • Licenciatura em Matemática
  • Licenciatura em Química
  • Licenciatura em Física
  • Licenciatura Tecnológica em Eletromecânica
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  • Radiologia

Pós-Graduação[editar | editar código-fonte]

Há, também, oferta de cursos de pós-graduação no IFBA, strictu e lato senso, nas seguintes áreas:

  • Especialização em Engenharia Química
  • Especialização em Gestão de Desenvolvimento de Inovações Tecnológicas
  • Especialização em Gestão de Instituições Públicas de Ensino
  • Especialização em Inovação, Tecnologia Social e Economia Solidária
  • Especialização Proeja
  • Especialização em Segurança, Meio ambiente e Saúde
  • Mestrado em Engenharia Mecânica (Mestrado Interinstitucional IFBA e UFRN)
  • Doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais (Doutorado Interinstitucional IFBA e UFRN)
  • Doutorado em Estatística (Doutorado Interinstitucional IFBA e UFLA)

Os diversos tipos de cursos e modalidades de ensino oferecidos pelo IFBA estão distribuídos de forma não homogênea pelos campi do Instituto. Além dos citados, o IFBA também oferece cursos ou atividades de extensão em formatos variados, a exemplo do curso de Tecnologias em Arte Dramática, que foi implementado em 2011.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]