Sandahl Bergman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sandhal Bergman)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde outubro de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Sandahl Bergman
Nome completo Sandahl Bergman
Nascimento 14 de novembro de 1951 (62 anos)
Kansas City, Kansas
 Estados Unidos
Ocupação atriz, dançarina
Cônjuge Josh Taylor (divorciada)
Atividade 1978 - presente
Prêmios Globo de Ouro
Nova Estrela Feminina
Conan the Barbarian - 1983
Outros prêmios
Estados Unidos Saturn Awards: Melhor atriz
Conan the Barbarian - 1983
IMDb: (inglês) (português)

Sandahl Bergman (Kansas City, 14 de novembro de 1951) é uma dançarina e atriz norte-americana, vencedora do Globo de Ouro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dança[editar | editar código-fonte]

Depois da infância e adolescência passada no Kansas, nos anos 70 Sandhal mudou-se para Nova York e começou a dançar em alguns musicais da Broadway. Loira, corpo perfeito e 1,78 m, chamou a atenção do diretor e coreógrafo Bob Fosse, que a escalou como dançarina reserva do musical Pippin, dirigido por ele. Teve alguns papéis em outros musicais, até fazer parte do corpo de atores/bailarinos de A Chorus Line, então o grande fenômeno de crítica e público da Broadway, como "Judy", depois que vários dos atores e bailarinos originais deixaram o show em 1977.[1]

Foi novamente escalada por Fosse no aclamado musical Dancin', de 1978, que contou com vários dos principais dançarinos da Broadway na época.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Sua estréia nas telas aconteceu com um pequeno papel num filme para televisão, logo seguido por outro, de maior visibilidade, no filme-musical All That Jazz, também dirigido por Fosse, sucesso de público e crítica e vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes. Também participou do filme Xanadu, de 1980, com Olivia Newton-John.[2]

Sandhal tornou-se conhecida internacionalmente em 1982, ao estrelar, ao lado de Arnold Schwarzenegger o filme Conan, o Bárbaro, pelo qual acabou recebendo o Globo de Ouro de Atriz Revelação.[2] Como não havia nenhuma dublê disponível com suas características físicas, ela aprendeu a fazer sozinha todas cenas de seu personagem que necessitavam um dublê. Três anos depois, voltou a participar de outro filme com Arnold Schwarzenegger, Red Sonja, no qual optou por representar a vilã Gedren ao invés da heroína do papel-título, para o qual havia sido convidada.

Após os filmes de Conan, Sandhal atuou em pequenos papéis em diversos filmes, de maior ou menor expressão, e casou-se pela primeira vez aos 45 anos, em 1996.[2] Seu último filme, num papel de dançarina aos 52 anos, foi realizado em 2003, The Singing Detective, com Adrien Brody e Mel Gibson.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Filmografia parcial[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Estados Unidos Globo de Ouro

Estados Unidos Saturn Awards

Indicações[editar | editar código-fonte]

Estados Unidos Framboesa de Ouro

Referências

  1. Sandahl Bergman. Internet Broadway Database. Página visitada em 16/05/2011.
  2. a b c S a n d a h l B e r g m a n I n t e r v i e. Página visitada em 16/05/2011.
  3. 1983 Golden Globe

Ligações externas[editar | editar código-fonte]