Sete cumes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização dos sete cumes, junto com o Monte Branco.

Os sete cumes são as montanhas mais altas de cada continente, onde a Antártida entra na lista e a América se encontra separada em América do Norte e América do Sul.

Compõem a lista dos sete cumes:

Desafio de montanhismo[editar | editar código-fonte]

Subir a todas as sete montanhas da lista é um importante desafio de montanhismo. O norte-americano Dick Bass teria sido, em 30 de abril de 1985, o primeiro a escalar todos os picos mais altos de cada continente. A lista dele, no entanto, inclui o Monte Kosciuszko (com 2228 m), que é o ponto culminante da Austrália, como se esse país fosse um continente, descartando qualquer outra montanha da Oceania.

Essa visão dos Sete Cumes é bastante discutida e haveria praticamente o mesmo número de alpinistas a atingirem os Sete Cumes incluindo o Kosciuszko quanto a cumprirem esta marca escalando, ao invés da montanha indonésia, a Pirâmide Carstensz, que é o ponto culminante de toda a Oceania.

Tem se tornado comum também a escalada de ambas as montanhas, mais as outras seis que indubitavelmente fazem parte da lista. O primeiro a obter este feito foi o canadiano Pat Morrow, em 5 de agosto de 1986. No mesmo ano, em 3 de dezembro, o lendário alpinista italiano Reinhold Messner igualou a façanha de Morrow.

Niclevicz teria completado os Sete Cumes escalando o Carstensz, em 1997. Entre os sul-americanos também o chileno Mauricio Purto teria alcançado a meta, em 1993, também escalando as seis montanhas mais o Carstensz, e não o Monte Kosciuzko.

No dia 13/12/2013, Carlos E. Santalena, aos 27 anos, se torna o brasileiro e o sul-americano mais jovem a completar o projeto escalando o Carstenz.[1] [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. www.extremos.com.br
  2. www.altamontanha.com