Solidarność

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
O «Solidariedade Semanal», que circulava antes de ser decretada a lei marcial na Polónia.

Solidarność (pronúncia: [sɔliˈdarnɔɕt͡ɕ] ( ouvir), em português Solidariedade (do nome completo, em polonês, Niezależny Samorządny Związek Zawodowy "Solidarność; em português, Sindicato Autónomo "Solidariedade") é uma federação sindical polaca fundada em 31 de Agosto de 1980 nos Estaleiros Lenin, em Gdańsk, sendo originariamente liderada por Lech Wałęsa.

Na década de 1980, o Solidariedade era um amplo anti-burocrático movimento social, utilizando os métodos de resistência civil para fazer avançar a causa dos direitos dos trabalhadores e da mudança social.[1] Ele representava 9,5 milhões de membros em seu primeiro congresso em setembro 1981, o que correspondia a 1/3 da população total da Polônia em idade de trabalho.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Na década de 1970 o governo da Polônia elevou os preços dos alimentos, enquanto os salários estagnaram. Este e outros motivos levaram aos protestos de junho 1976 e a subsequente repressão do governo aos dissidentes. Logo começaram a se formar redes clandestinas como os grupos KOR e ROPCIO para opor-se ao comportamento abusivo do governo, sendo os sindicatos uma parte importante dessas redes.[3]

Em 1979, a economia polaca encolheu pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, de 2 por cento. A dívida externa chegou a aproximadamente US $ 18 bilhões até 1980.[4]

Solidariedade surgiu em 31 de agosto 1980, em Gdansk, nos Estaleiros Lenin, quando o governo comunista da Polônia assinou o acordo que permitiu a sua existência. Em 17 de setembro de 1980, mais de 20 comitês de sindicatos livres fundiram-se em uma organização nacional denominada NSZZ Solidariedade,[2] sendo oficialmente registrado em 10 de novembro de 1980.[5]

Lech Walesa e outros formaram um amplo movimento social anti-soviético que incluia desde pessoas associadas com a Igreja Católica[6] e membros da esquerda anti-soviética. Solidariedade defendia atividades de não-violência dos seus membros.[7]

Mural comemorando os 30 anos

O governo tentou destruir o sindicato com a lei marcial de 1981 e muitos anos de repressões, mas por fim começou a negociar com o sindicato. As conversas de mesa redonda entre o governo enfraquecido e a oposição do Solidariedade levou às eleição semi-abertas de 4 de Junho de 1989. Pelo fim de Agosto, uma coalizão liderada pelo Solidariedade foi formada para partecipar das eleições e em dezembro Wałęsa foi eleito presidente.

Desde então tornou-se um sindicato mais tradicional, e teve relativo pouco impacto na cena política da Polónia no início da década de 1990. Um ramo político foi fundado em 1996 quando a Ação Eleitoral Solidariedade (Akcja Wyborcza Solidarność, AWS) ganhou a eleição parlamentar, 1997, mas perdeu a seguinte eleição parlamentar, em 2001.

Referências

  1. Aleksander Smolar, '"Self-limiting Revolution": Poland 1970-89', in Adam Roberts and Timothy Garton Ash (eds.),Civil Resistance and Power Politics: The Experience of Non-violent Action from Gandhi to the Present, Oxford University Press, 2009, ISBN 978-0-19-955201-6, pp. 127-43; acesso em 6 de agosto de 2013
  2. a b Solidarność a systemowe przekształcenia Europy Środkowo-Wschodniej (em pl). solidarnosc.gov.pl. Página visitada em 6 de agosto de 2013.
  3. KOR: a history of the Workers’ Defense Committee in Poland, 1976-1981. [S.l.]: University of California Press. ISBN 0-520-05243-9
  4. Paczkowski, Andrzej. 'From Solidarity to Martial Law: The Polish Crisis of 1980-1981 - A Documentary History'. Budapeste: Central European University Press, 2007. p. XXIX.
  5. Solidarność (em pl). encyklopedia.pwn.pl. Página visitada em 6 de agosto de 2013.
  6. Steger, Manfred B. Judging Nonviolence: The Dispute Between Realists and Idealists. [S.l.]: Routledge (UK). ISBN 0-415-93397-8 Página visitada em 6 de agosto de 2013.
  7. In: Paul Wehr, Guy Burgess, Heidi Burgess. Justice Without Violence. [S.l.]: Lynne Rienner Publishers, February-1993. p. 28. ISBN 1-55587-491-6 Página visitada em 6 de agosto de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.