Transpiração

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os estômatos permitem o controle da transpiração vegetal. Na foto um estômato de uma folha de tomateiro tomado por um microscópio eletrônico e colorido artificialmente

Transpiração é o processo pelo qual a água contida em um corpo é eliminada devido a uma elevação de temperatura externa ou interna que a permita fluir para a superfície do mesmo corpo. Apesar de qualquer corpo contendo água em sua composição estar sujeito à transpiração sob temperaturas elevadas, é nos seres vivos que a transpiração adquire importância vital.

Nos organismos terrestres, o calor do meio externo, assim como o calor gerado pelas suas funções vitais, causa um inevitável aumento de temperatura. Temperaturas elevadas causam a desnaturação de enzimas e proteínas vitais para o metabolismo, e a transpiração é o meio pelo qual alguns destes seres eliminam parte deste calor. A água presente em seu meio interno se aquece e aflora para a superfície dos seres vivos (através de glândulas em vertebrados, ou estômatos e poros em plantas, ou mesmo pela urina e por outras estruturas especializadas), carregando consigo o calor interno para fora do corpo. Animais incapazes de realizar transpiração têm problemas para manter seu metabolismo em altas taxas, assim como em sobreviver sob temperaturas extremas, conservando movimentos lentos e precisos durante as horas mais frescas do dia, ou mesmo adotando um meio de vida aquático.

Em alguns mamíferos, como o ser humano, a transpiração ocorre na forma de suor sobre a pele, que além de eliminar o calor em excesso de dentro do corpo, ainda resfria a superfície ao entrar em contato com correntes de ar. O suor em humanos é promovido por glândulas sudoríparas, e, além da água, elimina minerais e outros compostos nocivos ou desnecessários presentes no sangue, como o ácido úrico.

O suor excessivo é denominado de hiperidrose.

Em outras espécies, como cães e alguns felinos, a transpiração ocorre pela língua e pelo nariz. As baleias, assim como outros mamíferos aquáticos, têm um mecanismo de regulação da transpiração muito rudimentar que se mostra ineficiente em ambiente seco, onde estes animais podem morrer ou por desidratação ou por superaquecimento de seu meio interno.

As plantas vasculares possuem estômatos, estruturas localizadas em sua epiderme (principalmente nas folhas), que se abrem e fecham de acordo com as necessidades fisiológicas do vegetal. Quando abertos, promovem a transpiração, que tanto elimina vapor d'água em temperaturas excessivas, como também permite trocas gasosas entre o meio interno e o ambiente externo. Entretanto, é preciso notar que, à exceção de algumas espécies aquáticas, todas as plantas deste grupo mantêm seus estômatos fechados nas horas mais quentes do dia. Algumas Angiospermas, especialmente as que vivem sob condições de constante stress hídrico (as chamadas "plantas CAM"), conservam seus estômatos fechados durante todo o dia, evitando a intensa transpiração em um ambiente onde há pouca água disponível no solo para repor suas perdas. Nestas, os estômatos se abrem à noite, quando a temperatura é mais fresca.

Sudorese[editar | editar código-fonte]

É um mecanismo fisiológico presente em alguns animais superiores. É a produção e eliminação de suor pelas glândulas sudoríparas. A finalidade da sudorese é múltipla. Através da sudorese, o organismo pode perder calor para o meio externo através do fenômeno da evaporação do suor. Além disso, as glândulas sudoríparas têm a capacidade de filtrar do sangue algumas substâncias tóxicas resultantes do metabolismo, como a ureia. A sudorese é controlada pelo sistema nervoso autônomo simpático. Alterações na sudorese podem ser indicativas de algumas doenças.

Hiperidrose[editar | editar código-fonte]

A hiperidrose atinge até 1% da população brasileira, e por sua vez pode ser chamada de uma leve doença. Está associada diretamente ao excessivo suor, seja das mãos, axilas e/ou pés. Elas trazem desconforto próprio e social, pois podem ser descobertas por um simples aperto de mão ou até por andar de chinelo. Existem vários tratamentos para eliminar o suor excessivo, como a simpatectomia torácica (nas mãos) e alguns aparelhos (para os pés e axilas). Na maioria das vezes são eficazes.

Referências

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Martin, J.; W. Leonard & D. Stamp (1976), Principles of Field Crop Production (Third Edition), New York: Macmillan Publishing Co., Inc., ISBN 0-02-376720-0
  • DVWK-Merkblatt 238: Ermittlung der Verdunstung von Land- und Wasserflächen.; 1996, 134 Seiten, DIN A4, ISBN 3-935067-84-4
  • Merkblatt ATV-DVWK-M 504: Verdunstung in Bezug zu Landnutzung, Bewuchs und Boden.; September 2002, 144 Seiten, DIN A4, ISBN 3-936514-03-8

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Fisiologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.