Viviane Senna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Viviane Senna
Viviane Senna no Seminário Educação para o Século 21, outubro de 2011
Nome completo Viviane Senna da Silva Lalli
Nascimento 14 de junho de 1958 (56 anos)
São Paulo
Nacionalidade  Brasileira
Parentesco Ayrton Senna Bruno Senna

Viviane Senna da Silva Lalli (São Paulo, 14 de junho de 1958) é psicóloga e empresária brasileira. É a irmã do piloto tricampeão mundial Ayrton Senna e mãe do também piloto Bruno Senna. Presidente do Instituto Ayrton Senna, fundado em 1994, com sede em São Paulo, ela é uma das personalidades mais influentes no Brasil quando se trata de políticas de desenvolvimento humano, especialmente aquelas que envolvem a educação. Essa influência foi consolidada rapidamente, tão logo seu trabalho com o Instituto Ayrton Senna mostrou resultados robustos na melhoria do desempenho de crianças e jovens que antes eram privados de oportunidades por conta da crônica deficiência da escola pública brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de Milton Teodoro Guirado da Silva e Neyde Senna da Silva, nasceu em São Paulo. Foi casada com Flávio Lalli, morto num acidente de moto em 1996. Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica em São Paulo, com especialização em Psicologia Junguiana pelo Instituto Sede Sapientiaes da Universidade Católica, atuou na área de Psicologia Clínica como psicoterapeuta de adultos e crianças e também como supervisora de grupos de formação e aperfeiçoamento de terapeutas. Além disso, coordenou grupos de estudos de Psicologia Profunda.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Em 1999, Viviane foi indicada entre os “50 Futuros Líderes Latino-Americanos do Novo Milênio”, uma iniciativa de CNN/Time Magazine. Em 2002, foi nomeada para o grupo Amigos Adultos do Prêmio das Crianças do Mundo, ao lado de Nelson Mandela, da Rainha Silvia da Suécia e de José Ramos Horta, Nobel da Paz. Desde 2003 ela é integrante do Conselho do Desenvolvimento Econômico e Social, criado pelo então presidente Lula da Silva para reunir as melhores cabeças de todos os setores da sociedade brasileira com o propósito de traçar visões estratégicas para o país. Viviane participa de conselhos consultivos e administrativos de organizações e empresas como: Confederação Nacional da Indústria, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Federação Brasileira de Bancos, World Trade Center, Citibank, Santander e Banco Itaú. Ajudou a fundar e preside o comitê técnico do movimento Todos pela Educação, um coletivo de líderes de todos os setores que, pressionando pela melhoria da qualidade da educação, se tornou o maior fórum nacional de debates e mobilização sobre o tema.

Pelo futuro das novas gerações[editar | editar código-fonte]

Uma das grandes contribuições de Viviane Senna ao terceiro setor foi a quebra de paradigmas, derrubando a cultura do assistencialismo e mostrando que é possível usar os recursos existentes para fazer com que os estudantes desprivilegiados possam ter sucesso na escola e desenvolver competências para responder às exigências profissionais, econômicas, culturais e políticas do século 21.

Deve-se também à Viviane Senna uma visão mais clara, no Brasil, da corresponsabilidade de todos os setores - público, privado e sociedade civil - pela construção articulada de um cenário de justiça social e desenvolvimento sustentável. Ao criar o Instituto Ayrton Senna, ela inovou ao aproximar o que há de melhor na gestão empresarial com o que há de melhor no trabalho das organizações não governamentais.

Em 18 anos, Viviane Senna e sua organização formaram cerca de 695 mil educadores e beneficiaram pelo menos 15.825.900 crianças e jovens.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Viviane Senna