(I Can't Get No) Satisfaction

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"(I Can't Get No) Satisfaction"
Single de The Rolling Stones
do álbum Out of Our Heads
Lado B "The Under Assistant West Coast Promotion Man" (Estados Unidos)
"The Spider and the Fly" (Reino Unido)
Lançamento 6 de junho de 1965 (Estados Unidos)
20 de agosto de 1965 (Reino Unido)
Formato(s) 7", 12"
Gravação 12 de maio de 1965, RCA Studios, Hollywood
Gênero(s) Rock and Roll
Duração 3:44
Gravadora(s) London Records 45-LON 9766 (E.U.A.)

Decca Records F12220 (Reino Unido)

Composição Mick Jagger e Keith Richards
Produção Andrew Loog Oldham
Cronologia de singles de The Rolling Stones
Último
"The Last Time"
(1965)
"Get Off of My Cloud"
(1965)
Próximo

"(I Can't Get No) Satisfaction" é uma canção da banda de rock inglês The Rolling Stones lançada em 1965. Ela foi escrita por Mick Jagger e Keith Richards e produzida por Andrew Loog Oldham. A canção é notável pelo seu riff de guitarra de três notas de Richards que abre e dirige a música, e pela letra, que inclue referências a relações sexuais e um tema de anticomercialismo. A última, em particular causou a música a ser "percebida como um ataque contra o status quo".[1]

A canção foi lançada como single nos Estados Unidos em junho de 1965 e também participou da versão americana do álbum Out of Our Heads, lançado em julho daquele ano. "Satisfaction" foi um sucesso, dando aos Stones seu primeiro número um nos Estados Unidos. A canção inicialmente foi tocada apenas em estações de rádio pirata, porque sua letra foi considerada muito sexualmente sugestiva.[2] No Reino Unido o single foi lançado em agosto de 1965; tornou-se o quarto número um dos Rolling no Reino Unido. A canção é considerada uma das melhores canções de todos os tempos de rock. Em 2004 a revista Rolling Stone colocou "Satisfaction" em segundo lugar na sua lista dos 500 maiores canções de todos os tempos, enquanto em 2006 ele foi adicionado à Biblioteca do Congresso Nacional de gravação do registro.

Inspiração[editar | editar código-fonte]

Keith Richards afirma que ele começou com o riff de guitarra para a canção em seu sono, acordou no meio da noite, gravando o riff e as palavras "I can't get no satisfaction" numa gravador cassete e rapidamente voltando a dormir[3] Ele viria a descrever a fita como: "dois minutos de satisfação e 40 minutos do meu ronco". "[4] Ele e Jagger terminaram de escrever a canção, no Hotel Fort Harrison em Clearwater, Flórida, em Maio de 1965[5][6] Jagger escreveu a maioria dos versos depois de serem confinados em seus quartos de hotel em Clearwater e não poderem tocar, não como uma declaração sobre o mercantilismo desenfreado que os Rolling Stones já tinham visto na América.[1][7]

Richards estava preocupado que o riff soava muito parecido com a canção "Dancing in the Street" do Martha and the Vandellas.[1] Jagger disse mais tarde:" Parecia uma canção folclórica quando começamos a trabalhar nela e Keith não gostara muito, ele não queria que fosse um single, não achou que ela se daria bem… eu acho que Keith pensou que era um pouco de básica. Eu não acho que ele realmente a escutou adequadamente. Ele estava muito próximo a ela e apenas sentiu que tinha uma espécie de riff idiota.[8] Jagger assinalou também que o título da canção se assemelha a um verso da canção "30 Days" de Chuck Berry.[8] (A letra de Berry é "If I don't get no satisfaction from the judge".)[7]

Gravação[editar | editar código-fonte]

A primeira vez que os Rolling Stones gravaram a canção foi no dia 10 de Maio de 1965 na Chess Studios em Chicago[9] - uma versão com a participação de Brian Jones no harmônico.

O grupo a regravou dois dias depois na RCA Studios em Hollywood, com uma batida diferente e com a distorção da Gibson, acrescentando sustentação ao som dos riffs de guitarra.[8][10] Richards imaginou refazer a faixa mais tarde em uma sessão horn tocando o riff: "este foi apenas um esboço, um pouco, porque, a meu ver, o tom de fuzz estava realmente lá para designar o que a 'sessão horn' estaria fazendo."[8] O outro Rolling Stones, bem como gerenciador Andrew Loog Oldham e o engenheiro de som Dave Hassinger finalmente venceram Richards e a faixa foi selecionada para o lançamento como um single.[7][10] O sucesso da música impulsionou as vendas da Gibson fuzzbox, fazendo com que todo o estoque disponível fosse esgotado até o final de 1965.[1]

Como a maioria das gravações antes de 1966 dos Stones, "Satisfaction" foi lançada originalmente em mono apenas. Em meados da década de 1980, uma verdadeira versão estereofonica da canção foi lançada em edições em alemão e japonês do relançamento em CD de Hot Rocks 1964-1971. A mixagem estérea dispõe de um piano (tocado por Jack Nitzsche) e violão, que são quase inaudíveis na versão mono original (os instrumentos também podem ser ouvidas em uma gravação bootleg da trilha instrumental). Este mix estéreo de "Satisfaction" também apareceu em um CD promo de rádio com faixas raras em esteréo, previstas para as estações de rádio nos Estados Unidos em meados da década de 1980, mas ainda não foram apresentadas em um CD comercial mundial, mesmo depois de prensadas nos CDs Hot Rocks alemães e japoneses com a presença de mono e estéreo.

Para o relançamento mundial em 2002 de Hot Rocks, um mix quase-estéreo foi utilizada com guitarra, baixo, bateria e vocais no canal central e violão e o piano esquerdos e direitos com efeito delay. [11]

Letra[editar | editar código-fonte]

A letra descreve a irritação do cantor com o crescente comercialismo do mundo moderno, onde o rádio transmite "informações inúteis" e um homem na televisão diz-lhe "O quanto as suas camisetas podem ser brancas". Jagger também descreve o estresse de ser uma celebridade, e as tensões da turnê. A parte no qual ele fala que não consegue "impressionar nenhuma garota" foi bastante controversa na época, interpretada por alguns ouvintes (e locutores de rádio) como uma referência a sexo. Jagger declarou que estes não entenderam "a linha mais suja da música", como quando uma garota fala para ele voltar em outra semana pois ela está " naqueles dias(losing streak)", uma aparente referência à menstruação.

Na época a canção foi considerada preocupante por causa de suas conotações sexuais e sua visão negativa do comercialismo e outros aspectos da cultura moderna; Paul Gambaccini, crítico, afirma: "A letra desta canção é realmente ameaçadora para um público mais velho. Esta canção é considerada um ataque ao status quo".

Lançamento e sucesso[editar | editar código-fonte]

"Satisfaction" foi lançada como um single nos Estados Unidos pela London Records em 6 de junho de 1965, com "The Under-Assistant West Coast Promotion Man" como B-side.[12] O single seguiu seu caminho pelos charts americanos, alcançando o top 10 de Julho, tirando o lugar de The Four Tops' "I Can't Help Myself (Sugar Pie Honey Bunch)". "Satisfaction" aguentou por quatro semanas completas, perdendo seu lugar em 7 de Agosto para a canção "I'm Henry the Eighth, I Am" da banda Herman's Hermits.[13] A canção entrou nos charts americandos da Billboard Hot 100 no dia 12 de Junho de 1965, permanecendo lá por 14 semanas; sendo número 1 por quatro semanas seguidas. Durante a sua oitava semana nos charts, o single foi certificado como ouro pela RIAA por ter vendido mais de meio milhão de cópias nos Estados Unidos,[14] dando a banda seu primeiro de tantos discos de ouro na América. Mais tarde a canção foi lançada também nos Estados Unidos pela London Recors no álbum Out of Our Heads.[7] De acordo com "Joel Whitburn Presents, Top R&B/Hip-Hop Singles: 1942–2004" a canção também alcançou a posição 19 nos singles de R&B mais vendidos.

Créditos[editar | editar código-fonte]

Versão de Britney Spears[editar | editar código-fonte]

"(I Can't Get No) Satisfaction"
Canção de Britney Spears
do álbum Oops!… I Did It Again
Lançamento 3 de maio de 2000
Gravação Pacifique Recording (Hollywood)
Gênero(s) Rock
Duração 4:28
Gravadora(s) Jive Records[15]
Composição Mick Jagger, Keith Richards
Produção Rodney Jerkins
Faixas de Oops!… I Did It Again
Último
Don't Go Knockin On My Door
(03)
Don't Let Me Be the Last to Know
(05)
Próximo

No ano de 2000, a cantora pop estadunidense Britney Spears, conseguiu a autorização da banda, para regravá-la para seu segundo álbum de estúdio Oops!… I Did It Again. "Eu adoro os Rolling Stones. Quem não gosta?", disse Britney em uma entrevista, "Minhas amigas e eu sempre ouvimos."[16]

Britney também apresentou essa canção na MTV Video Music Awards, juntamente com o primeiro single do mesmo álbum, Oops!… I Did Again, em um medley. Na performance, Britney iniciava cantando "Satisfaction", vestindo um terno e chapéu. A apresentação virou polêmica quando Britney tirou estas partes da roupa, ficando somente com uma da cor da sua pele. Durante a turnê de divulgação do álbum, Britney usava uma roupa azul e começava a performance da canção sentada em um trono. Perto do fim da canção, surgia guitarras, fazendo a versão pop torna-se rock.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Sold on Song: '(I Can't Get No) Satisfaction'» (em inglês). British Broadcasting Corporation. Consultado em 18 de dezembro de 2008. 
  2. Nuzum, Eric (2009). Parental Advisory: Music Censorship in America (em inglês) HarperCollins Publishers [S.l.] ISBN 0-06-197673-3. 
  3. Booth, Stanley (1994). Keith Richards: Till I Roll Over Dead (em inglês) Headline Book Publishing [S.l.] p. 51. ISBN 0-7472-0770-4. 
  4. Geyer, Gary. «Keith Richards: Satisfaction, Guaranteed». Let Life In. Letlifein.com. Consultado em 18 de dezembro de 2008. 
  5. Booth 1994. pg. 60
  6. Tobin, Thomas C (23 de julho de 2000). «Clearwater: Can't get No Satisfaction». St. Petersburg Times. Pqasb.pqarchiver.com. Consultado em 18 de dezembro. 
  7. a b c d «(I Can't Get No) Satisfaction by The Rolling Stones» (em inglês). Songfacts.com. Consultado em 4 de abril de 2006. 
  8. a b c d McPherson, Ian. «Track Talk: Satisfaction». Timeisonourside.com. Arquivado desde o original em 20 de julho de 2009. Consultado em 5 de março de 2008. 
  9. Zentgraf, Nico. «The Complete Works of the Rolling Stones 1962-2008» (em inglês). Nzentgraf.de. Consultado em 23 de fevereiro de 2008. 
  10. a b Wyman, Bill (2002). Rolling With the Stones (em inglês) DK Publishing [S.l.] p. 187. ISBN 0-7894-9998-3. 
  11. «The Rolling Stones In Stereo». Lukpac.org. 27 de agosto de 2002. Consultado em 27 de fevereiro de 2011. 
  12. Elliott, Martin (2002). The Rolling Stones: Complete Recording Sessions 1962-2002 Cherry Red Books [S.l.] p. 69. ISBN 1-901447-04-9. 
  13. «No. 1 UK Hit Singles of 1965» (em inglês). wwwk.co.uk. Consultado em 15 de janeiro de 2011. 
  14. «- Gold & Platinum Records Database» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 15 de janeiro de 2011. 
  15. «Site oficial da 'Jive'». Zombalabelgroup.com. 
  16. «Oopsi did it again». Britneynow.com. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]