A Riqueza das Nações

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Página inicial do segundo volume da Riqueza das nações (1ª edição).

Uma Investigação sobre a Natureza e as Causas da Riqueza das Nações, mais conhecida simplesmente como A Riqueza das Nações, é a obra mais famosa de Adam Smith. Composta por 5 livros (ou partes), foi publicada pela primeira vez em Londres em março de 1776, pela casa editorial de William Strahan e Thomas Caldell. Uma segunda edição foi lançada em fevereiro de 1778, seguida por mais três edições: em 1784, 1786 e 1789, sendo esta a última edição feita em vida pelo autor.

Além de análises teóricas sobre o funcionamento das chamadas sociedades comerciais e os problemas associados à divisão do trabalho, ao valor, à distribuição da renda e à acumulação de capital, o livro traz considerações históricas e farto material empírico, sendo considerado um momento de inflexão no desenvolvimento da história do pensamento econômico.

Publicada no mesmo ano da Declaração de Independência dos Estados Unidos, a obra foi objeto de um sem número de controvérsias, tendo sido lida como uma defesa irrestrita do individualismo e do liberalismo, visão que teria sido sintetizada na metáfora da mão invisível. Esta leitura é hoje em dia objeto de crítica pelos especialistas no pensamento de Adam Smith.[1] [2] [3] [4]

Os livros[editar | editar código-fonte]

  • O livro I discute os problemas associados à divisão do trabalho e as trocas: o valor e os preços, o dinheiro e os rendimentos.
  • O livro II discute a acumulação de capital.
  • O livro III trata de questões associadas ao desenvolvimento econômico.
  • O livro IV consiste numa espécie de resenha crítica das duas principais escolas de pensamento econômico do século XVIII: o sistema comercial, ou mercantilismo, e o sistema agrícola, a fisiocracia.
  • O livro V contêm proposições sobre a receita pública e as responsabilidades do Estado.

Edições em Língua Portuguesa[editar | editar código-fonte]

  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Trad. Luiz João Baraúna, São Paulo: Abril Cultural, 1a ed., 1983. (texto integral).
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Trad. Alexandre Amaral Rodrigues e Eunice Ostrensky, São Paulo: Martins Fontes, 1a ed., 2003. ISBN 85-336-1788-7 (texto integral).
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Trad. de Luís Cristóvão de Aguiar, Lisboa: Calouste Gulbenkian, 4a ed., 2006. ISBN 972-31-0610-8 (texto integral).
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Hemus, 3a ed. 2008, 440p. ISBN 85-289-0554-3 (edição resumida)
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Juruá, 1a ed. 2006. ISBN 85-362-1409-0

Edições digitais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. de Mattos, Laura. (Jan./Mar. 2007). "As razões do laissez-faire: uma análise do ataque ao mercantilismo e da defesa da liberdade econômica na Riqueza das Nações". Revista de Economia Política vol. 27.
  2. Paul J. Zac; Stephen Knack (7). "Trust and Growth" (HTML) (em inglês). Universidade de Ohio. Consultado em 21 de julho de 2014. 
  3. Damon Vrabel (7). "Sovereign Debt: The Death of Nations vs. the Wealth of Nations" (HTML). Canada Free Press (em inglês). Canada Free Press. Consultado em 21 de julho de 2014.  |lang= e |língua2= redundantes (Ajuda)
  4. Alan B. Krueger (16). "Economic Scene; The many faces of Adam Smith: Rediscovering 'The Wealth of Nations.'" (HTML). The New York Times (em inglês). The New York Times. Consultado em 1 de junho de 2014.  |lang= e |língua2= redundantes (Ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]