Academia Cearense da Língua Portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Academia Cearense da Língua Portuguesa
(ACLP)
Lema "Dulcisonam et Canoram Linguam Cano"
Tipo Associação literária
Fundação 28 de outubro de 1977 (41 anos)
Sede Brasil Fortaleza  Ceará
Línguas oficiais Português
Presidente Sebastião Teoberto Mourão Landim
Sítio oficial https://aclp.com.br/

A Academia Cearense da Língua Portuguesa (ACLP), é uma entidade de caráter cultural e científico que tem por objetivo o estudo e o aprimoramento da Língua Portuguesa, que observa, no desenvolvimento de suas atividades, os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade e transparência.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A ACLP foi fundada em 28 de outubro de 1977, instalada em Fortaleza em 1 de dezembro do mesmo ano, por ocasião do V Encontro Nacional de Professores Brasileiros de Literatura Portuguesa, no Centro de Convenções do Ceará.

Idealizada pelo professor Hélio de Sousa Melo, consolidou-se através do trabalho dos trinta sócios fundadores, ampliado o quadro para quarenta, a partir de 1989.[2]

Objetivo[editar | editar código-fonte]

A ACLP é uma sociedade civil de caráter cultural e científico, sem fins lucrativos, e tem por objetivo o estudo e aprimoramento da Língua Portuguesa. Para alcançar suas finalidades, a ACLP mantém:

  • Intercâmbio com entidades científicas e culturais;
  • Publicação anual de uma revista ou boletim, com trabalhos relativos à língua portuguesa e às atividades da sociedade;
  • Programa de conferências, seminários, simpósios e cursos.

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Presidente Início Final
Hélio de Sousa Melo Outubro de 1977 Janeiro de 1980
Edmilson Monteiro Lopes Fevereiro de 1980 Fevereiro de 1982
Itamar de Santiago Espíndola Março de 1982 Fevereiro de 1984
Sinésio Lustosa Cabral Sobrinho Março de 1984 Fevereiro de 1986
Carlos Neves d'Alge Março de 1986 Fevereiro de 1990
José Alves Fernandes Março de 1990 Março de 1992
Arnaldo Vasconcelos Abril de 1992 Março de 1994
Genuíno Francisco de Sales Abril de 1994 Fevereiro de 1998
11º João Vianey Campos de Mesquita Março de 1998 Fevereiro de 2002
13º José Batista de Lima Março de 2002 Fevereiro de 2004
14º Neide Azevedo Lopes Março de 2004 Fevereiro de 2006
15º Genuíno Francisco de Sales Março de 2006 Fevereiro de 2008
16º Italo Gurgel Março de 2008 Fevereiro de 2012
18º Antônio Vicente de Alencar Março de 2012 Fevereiro de 2014
19º Sebastião Valdemir Mourão Março de 2014 Fevereiro de 2018
21º Sebastião Teoberto Mourão Landim Março de 2018

Sedes[editar | editar código-fonte]

A entidade teve como sede provisória, inicialmente, o casarão da Rua General Sampaio, localizado no centro de Fortaleza. A segunda sede provisória, notadamente para as reuniões mensais, foi uma das salas da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará. Por último, passou a funcionar no Centro de Humanidades da UFC. Atualmente a Academia Cearense da Língua Portuguesa tem como sede o Palácio da Luz, em Fortaleza.

Membros[editar | editar código-fonte]

Cadeira Patrono Fundador Acadêmico Titular
1 Antônio Martins Aguiar Arnaldo Vasconcelos Maria Gorete Oliveira de Sousa
2 António Ferreira dos Santos Raimundo de Assis Holanda Francisco Felipe Filho
3 Antenor Nascentes Sinésio Lustosa Cabral Sobrinho Maria Luísa Silva Bonfim
4 Amadeu Amaral Hamilton Cavalcante de Andrade Hermínia Maria Lima da Silva
5 Augusto Magno José Rodrigues S. de Oliveira José Correia Lima Júnior
6 Carlos Góis José Lemos Monteiro
7 Cândido de Figueiredo Itamar de Santiago Espíndola Regine Helena Silva dos Fernandes Vieira
8 Carlos de Laet Cid Sabóia de Carvalho
9 Clóvis Montenegro Antônio Pessoa Pereira José Augusto Bezerra
10 Eduardo Carlos Pereira Mário Barbosa Cordeiro
11 Eduardo Gomes de Matos Hélio Melo Antônio Vicente Alencar
12 Ernesto Carneiro Ribeiro Lamartine de Farias Castro Ana Paula de Medeiros Ribeiro
13 Fausto Barreto Waldemar Machado Maria Margarete Fernandes de Sousa
14 Heráclito Graça José Myrson Melo Lima
15 Joaquim Mattoso Câmara Júnior José Rebouças Macambira Maria Elias Soares
16 Joaquim Ribeiro José Maria Moreira Campos Giselda Medeiros
17 João Ribeiro Abdias Lima Italo Gurgel
18 José Epifânio da Silva Dias José Nascimento Braga Marcelo Braga
19 José de Sá Nunes José Valdevino de Carvalho Sebastião Valdemir Mourão
20 José Joaquim Nunes Jessé de Sousa Oliveira José Ferreira de Moura
21 José Marques da Cruz Joaquim Jorge de Sousa Filho Aila Maria Leite Sampaio
22 José Leite de Vasconcelos Carlos Neves d'Alge
23 Júlio Nogueira José Itamar de M. Filgueiras Genuíno Francisco de Sales
24 Laudelino Freire Adalgiso de Almeida Paiva Regina Barros Leal
25 Mário Barreto João Soares Lobo
26 Mário Marroquim Luís Geraldo de Miranda Leão
27 Maximino Maciel Mário Carneiro Baratta Monteiro Artur Eduardo Benevides
28 Otávio Terceiro de Farias Luís Tavares Júnior
29 Rui Barbosa Paulo Bonavides
30 Said Ali Edmilson Monteiro Lopes Roberto Feijó Ribeiro de Sousa
31 Sousa de Silveira Manoel Crisóstomo do Vale
32 Otoniel Mota Francisco Dias da Silva Ana Vládia Mourão de Oliveira
33 Serafim da Silva Neto Horácio Dídimo Pereira Vieira Barbosa
34 Aires da Mata Machado Filho Révia Lima Herculano
35 José Rodrigues Leite Oiticica Francisco Tarcísio Cavalcante
36 Francisco Fernandes Batista de Lima
37 Estevão Cruz João Vianney Campos de Mesquita
38 Antônio da Cruz Neide Azevedo Sebastião Teoberto Mourão Landim
39 Hamilton Elia Edmilson Caminha Júnior Paulo Sérgio Lobão da Costa
40 Cândido Jucá Filho José Rogério Fontenelle Bessa Raimundo Evaristo Nascimento dos Santos

Referências

  1. «Academia Cearense da Língua Portuguesa – DULCISONAM ET CANORAM LINGUAM CANO». aclp.com.br. Consultado em 2 de setembro de 2018 
  2. O escritor Itamar de Santiago Espíndola, acesoo em 29 de setembro de 2013.