Albatros C.III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-globe.svg
Esta página ou seção não representa uma visão mundial do assunto.
Por favor melhore este artigo ou discuta este caso na página de discussão.
Albatros C.III
Avião
Albatros C.III
Descrição
Tipo / Missão Uso geral
País de origem  Alemanha
Fabricante Albatros-Flugzeugwerke
DAR
Quantidade produzida 600 unidade(s)
Introduzido em 1915
Aposentado em 1917
Variantes C.VI
W.2
Tripulação 2
Especificações
Dimensões
Comprimento m (26,2 ft)
Envergadura 11,69 m (38,4 ft)
Altura 3,10 m (10,2 ft)
Área das asas 36,91  (397 ft²)
Alongamento 3.7
Peso(s)
Peso vazio 851 kg (1 880 lb)
Peso carregado 1,353 kg (2,98 lb)
Peso máx. de decolagem 1,353 kg (2,98 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 x Benz Bz.III ou Mercedes III
Potência (por motor) 150 hp (112 kW)
Performance
Velocidade máxima 140 km/h (75,5 kn)
Autonomia 4 h(s)
Teto máximo 3,350 m (11,0 ft)
Razão de subida 9 m/s
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 1 × metralhadora Parabellum MG 14 de 7,92 mm (0,312 in)
1 x metralhadora LMG08/15 de 7.92 mm
Bombas 200 libras de bombas

O Albatros C.III foi um biplano de uso geral alemão da Primeira Guerra Mundial, construído pela Albatros-Flugzeugwerke. O C.III foi uma versão refinada do bem sucedido Albatros C.I e foi eventualmente produzido em maior número do que qualquer outro Albatros tipo C.

Uso[editar | editar código-fonte]

O C.III foi usado em uma grande variedade de funções, incluindo observação, foto-reconhecimento, bombardeio leve e escolta de bombardeiros. Os primeiros doze aviões foram à frente em dezembro de 1915.[1] O maior número estava disponível na frente em agosto de 1916 - 354.[2] Eles foram principalmente retirados do serviço de linha de frente em meados de 1917, embora a produção continuasse para treinamento.[1] Pedidos de 2271 aeronaves no total são conhecidos.[2]

Dezoito C.III foram entregues em agosto de 1916 para a Bulgária. Eles foram destruídos em 1920 de acordo com o Tratado de Neuilly-sur-Seine. Segundo outras fontes, 26 Albatros C.III foram entregues à Bulgária, incluindo oito treinadores.[3]

A Força Aérea Polaca operou 15 Albatros C.III em 1918-1920 durante a Guerra Polaco-Soviética.[4]

Construção[editar | editar código-fonte]

Como o Albatros C.I, o C.III era uma aeronave popular com construção robusta e manipulação sem vítimas. A diferença mais proeminente entre os dois foi o estabilizador vertical revisado. O motor era um Benz Bz de 110 kW (150 hp) ou um Mercedes D.III de 120 kW (160 hp).

O observador, que ocupava o cockpit traseiro, estava armado com uma única metralhadora Parabellum MG14 de 7,92 mm. As aeronaves C.III foram tipicamente equipadas com um sincronizador de arma e uma única metralhadora LMG 08/15 de 7,92 mm (0,312 in).

Operadores[editar | editar código-fonte]

Um C.III Turco
 Bulgária
 Finlândia
 Império Alemão
 Letônia
 Lituânia
 Polónia
 Turquia
 Áustria-Hungria

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Grosz (1989), p.3
  2. a b Grosz (1989), p.28
  3. Nedialkov, Dimitar. "Air Power of the Kingdom of Bulgaria. Part II", Fark OOD, Sofia, 2001. pp.22-23, 28-29. (bilingual: Bulgarian/English)
  4. Morgała, Andrzej (1997). Samoloty wojskowe w Polsce 1918-1924 [Aeronaves militares na Polônia 1918-1924] (em polaco). Varsóvia: Lampart. pp. 18–20. ISBN 83-86776-34-X 
  5. a b Grosz (1989), p.29
  6. Grosz (1989), p.7
  7. Grosz (1989), p.12