Artio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A deusa Artio como retratada no grupo de estatueta Muri, presumivelmente na forma humana e na ursina.

Artio (Dea Artio na religião galo-romana) foi uma deusa urso céltico . Evidência de seu culto tem sido notadamente encontrada em Berna (Suíça) cujo nome, de acordo com a lenda, é derivado da palavra Bär, "urso"[carece de fontes?].

Representações e inscrições[editar | editar código-fonte]

Uma escultura em bronze de Muri, próximo à Berna na Suíça mostra um urso grande encarando uma mulher sentada em uma cadeira, com uma pequena árvore atrás do urso. A mulher parece segurar um fruto no colo, talvez alimentando o urso. (Deyts p.48, Green pp.217-218). A escultura tem base de bronze retangular, que carrega uma inscrição. (CIL 13, 05160)

Deae Artioni / Licinia Sabinilla

À Deusa Artio (ou Artionis), de Licinia Sabinilla. Se o nome é gaulês a sintaxe é no entanto latina, um Artioni dativo daria um nominativo radical-i *Artionis ou um nominativo radical-n *Artio. Esse seria talvez correspondente a um nominativo radical-n gaulês *Artiu.

Outra inscrição à deusa foi descoberta em Daun (CIL 13, 4203), Weilerbach (CIL 13, 4113), Heddernheim (CIL 13, 7375 [4, p 125]), e Stockstadt (CIL 13, 11789).

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome dela é derivada da palavra gaulês artos, urso (Delamarre 2003 p. 55-56). Outras línguas célticas têm palavras semelhantes, tais como Irlandês antigo art, galês arth - que também podem ser a origem do nome moderno Arthur.

O gelo derrete em forma de cascata dos picos das montanhas, encontrando rios brancos em direção ao mar gelado. Se endireitando lentamente, como idosos, as árvores e fauna da vegetação rasteira, livres do peso da neve, procuram os raios do sol. É primavera, o mundo acordou das trevas e morte para crescer verde novamente. Sua hibernação acabou. Com a pela molhada pela chuva, Artio, a deusa Ursa, ruge sob o frio ar da manhã. Ela é a guardiã do ciclo. Não da passagem do tempo, mas do equilíbrio das coisas. Não existe primavera sem inverno, não existe morte sem vida, trevas sem luz, bem sem mal. A natureza cria as leis destes opostos, e Artio é a quem as mantém. Entre os ursos ela corre, às vezes em forma de mulher, ágil e selvagem, às vezes como urso, marrom e feroz. Em nenhum lugar da floresta são encontrados templos em seu nome, pois Artio é menos venerada, e mais respeitada. Talvez, ela se encontre nos céus, com uma presença constante no brilho das estrelas, uma conexão com a luz brilhante, na constelação da Ursa Maior.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Rodapés[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Artio