Cissônio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cissônio
Comércio com carroças
Baixo-relevo do deus gaulês Mercúrio Cissônio guardada em Espira. Nele está a inscrição CIL XIII, 6085 de Rheinzabern (Tabernas), da província da Germânia Superior: Deus Mercúrio / Cissônio Caio Atúlio / Górgias paga seu voto (Deo Mercurio / Cissonio C(aius) Atu[l(ius)] / Gorgias v(otum) s(olvit))
Outro(s)
nome(s)
Cisônio; Cesônio
Local de culto Gália Belga
Romano equivalente Mercúrio

Cissônio, Cisônio ou Cesônio (em latim: Cissonius, Cisonius ou Cesonius), na mitologia celta, foi um antigo deus gaulês, bem conhecido na Gália Belga através de 16 inscrições distribuídas pela França, sul da Alemanha e Suíça.[1] Descobriu-se resíduos dum templo em Estrasburgo, na França,[2] bem como no interior dum mitreu em Königshofen, na Alemanha.[3] Sua contraparte feminina, também atestada em inscrições, chamava-se Cissônia (em latim: Cissonia).[4] O topônimo Niederzissen, no distrito alemão de Ahrweiler, pode ser derivado do nome de Cissônio.[5]

Após Visúcio, era o nome mais comum do Mercúrio romano;[1] as inscrições que chamam-o Mercúrio Cissônio foram encontradas em Besançon, Avenches, Rheinzabern, Heddernheim e Colônia.[3] Numa inscrição de Promontogno, na Suíça, Cissônio é associado com Matuno.[1] Seu nome foi por vezes traduzido como corajoso ou isolado, enquanto William van Andringa derivou-o do gaulês cissum, carruagem, indicando que Cissônio poderia significar "condutor de carruagem".[6][7] Desse modo, afirmou-se que este deus, sobretudo como epíteto de Mercúrio, indicou o patrono do comércio com carroças.[8]

Distribuição de inscrições com o nome de Cissônio

Referências

  1. a b c Jufer 2001, p. 34-5
  2. Christensen 2014, p. 258
  3. a b Walters 1974, p. 119
  4. Green 1997
  5. Schnitker 2016
  6. Hatt 1989, p. 217
  7. Andringa 2002, p. 135; 155
  8. Gilmour 2007, p. 33

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Andringa, William van (2002). La religion en Gaule romaine : Piété et politique (Ier-IIIe siècle apr. J.-C. (Paris: Editions Errance). 
  • Christensen, Lisbeth Bredholt; Hammer, Olav; Warburton, David (2014). The Handbook of Religions in Ancient Europe Routledge [S.l.] ISBN 1317544536. 
  • Gilmour, Lauren Adams (2007). Pagans and Christians: From Antiquity to the Middle Ages : Papers in Honour of Martin Henig, Presented on the Occasion of His 65th Birthday Archaeopress [S.l.] ISBN 140730027X. 
  • Green, Miranda J. (1997). Dictionary of Celtic Myth and Legend Thames and Hudson Ltd. [S.l.] 
  • Hatt, Jean-Jacques (1989). Mythes et dieux de la Gaules, I : les grandes divinités masculines (Paris [s.n.]). 
  • Jufer, Nicole; Luginbühl, Thierry (2001). Les dieux gaulois : répertoire des noms de divinités celtiques connus par l'épigraphie, les textes antiques et la toponymie (Paris: Editions Errance). 
  • Walters, Vivienne J. (1974). The Cult of Mithras in the Roman Provinces of Gaul (Leida e Nova Iorque: Brill Archive). ISBN 9004040145. 


Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia celta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.