Damona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Na religião galo-romana, Damona era uma deusa cultuada na Gália como consorte de Apolo Borvo e de Apolo Moritasgo. Mary Jones interpreta o nome de Damona como a "Vaca Divina" baseada em sua semelhança com damos ou "vaca".[1] Às vezes tem sido ligada à deusa irlandesa Boand com a base desta associação bovina. Van Andringa descreve Damona e Bormana como as deidades patronas da primavera quente em Bourbonne-les-Bains e Saint-Vulbas, respectivamente.[2] Algumas das dezessete inscrições dedicadas à Damona foram recuperadas, incluindo nove de Bourbonne-les-Bains e quatro de Bourbon-Lancy, ambas cidades para relaxar na França oriental. Em uma inscrição de Saintes, a deusa tem o epíteto Matubérgino (Matubergini).[3]

Referências

  1. Mary Jones' Enciclopédia Céltica Arquivado em 30 de julho de 2012, no Wayback Machine.. Cf. também o Léxico inglês - proto-céltico, que explica damos como "vaca".
  2. William van Andringa (2002). La religion en Gaule romaine : Piété et politique (Ier-IIIe siècle apr. J.-C.) Editions Errance, Paris. p.165
  3. Nicole Jufer & Thierry Luginbühl (2001). Les dieux gaulois : répertoire des noms de divinités celtiques connus par l'épigraphie, les textes antiques et la toponymie. Editions Errance, Paris. pp.36-7.


Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia celta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.