As 100 Maiores Personalidades da História

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Predefinição:Info/história | imagem = | legenda = | autor = rainha Elizabeth | idioma = português | origem = brasil | assunto = história | gênero = não-ficção | editora = | lançamento = 1978 (1ª ed.), 1992 (2ª ed.) | formato = | páginas = | isbn = | título_br = As 100 maiores personalidades da história | tradutor_br = | editora_br = | lançamento_br = 2001 | páginas_br = | isbn_br = 8574320102 }} As 100 maiores personalidades da história: uma classificação das pessoas que mais influenciaram a história (título original em inglês: The 100: A Ranking of the Most Influential Persons in History) é um livro de 1978 escrito pelo americano Michael H. Hart, reeditado em 1992 com revisões. É uma classificação das 100 pessoas que mais teriam influenciado a história da humanidade, de acordo com Hart.

Hart enfatiza na introdução do livro que faz uma classificação dos personagens conforme sua influência pessoal na história do mundo, não por fama ou importância. Também não foram considerados anônimos (como o[s] inventor[es] da roda ou da escrita).

A primeira pessoa na lista de Hart é o fundador do islamismo, Maomé. Hart diz que embora isso surpreenda alguns leitores e seja questionado por outros, justifica que Maomé é o único homem histórico extremamente bem-sucedido nos campos secular e religioso. Maomé formulou o islã e o difundiu, liderando também as primeiras conquistas árabes, sua influência pessoal no islamismo foi maior do que a de Jesus ou de Paulo de Tarso no cristianismo, que foi seu principal difusor.

Isaac Newton também recebeu lugar de destaque na lista, acima de personalidades religiosas como Jesus e Buda, por sua influência no desenvolvimento das ciências modernas, que revolucionaram as tecnologias e o cotidiano da vida das pessoas.

Na revisão de 1992 houve algumas alterações na classificação das pessoas, como a de Mao Tsé-Tung, devido as reformas contrárias à política deste na República Popular da China por seus sucessores. E Mikhail Gorbachev foi incluído por causa de sua política que ocasionou o declínio do comunismo e a dissolução da União Soviética.

Outra revisão foi a inclusão de Edward de Vere como o verdadeiro "William Shakespeare", o autor dos títulos a ele atribuídos.

Também Henry Ford foi "promovido", saindo da lista de Honorary Mentions (Menções Honrosas), e Ernest Rutherford. Foram retiradas três pessoas para essas adições: Niels Bohr, Pablo Picasso e Antoine Henri Becquerel. Houve outras mudanças na sequência do ranking, mas os dez primeiros permaneceram os mesmos da edição original.

Em adição a essa obra, Hart escreveu uma sequência em 1999, intitulada A View from the Year 3000,[1] na qual ele escreve pela perspectiva de uma pessoa nessa remota era listando as 100 pessoas mais influentes vistas dessa data. Cerca de metade das pessoas são fictícias, aquelas futura e supostamente influentes entre os anos 2000 e 3000, a outra metade inclui cerca de 50 pessoas da lista devidamente "re-classificadas".

Há ainda outros que não se encontram na lista, porém colocados nas Menções Honrosas, mas não classificados por influência, como é o caso de: Abraham Lincoln, Arquimedes, Benjamin Franklin, Charles Babbage, Fernão de Magalhães, Leonardo Da Vinci, Mahatma Gandhi, Marie Curie, Quéops, Tomás de Aquino, entre outros.


Referências

  1. Michael H. Hart. A View from the Year 3000: A Ranking of the 100 Most Influential Persons of All Time. Preview
  • Hart, Michael H. The 100: A Ranking of the Most Influential Persons in History, Revised and Updated for the Nineties. New York: Carol Publishing Group/Citadel Press; first published in 1978, reprinted with minor revisions 1992. ISBN 9780806510682. Preview.
  • Hart, Michael H. As 100 maiores personalidades da história. 14ª ed. Rio de Janeiro: DIFEL, 2011.