Les bijoux de la Castafiore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de As Jóias de Castafiore)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade. Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Les bijoux de la Castafiore
21º Álbum da série regular
Imagem ilustrativa padrão; esse artigo não possui imagem.
País de origem  Bélgica
Língua de origem Francês
Editora(s) Casterman
Colecção Les Aventures de Tintin
Primeira edição 1963
ISBN 978-2203001206
Número de páginas 62
Primeira publicação Le Journal de Tintin de 4 de julho de 1961 a 4 de setembro de 1962
Género(s) Aventura
Autor(es) Hergé
Colorista(s) Studios Hergé
Personagens principais Tintim
Milu
Capitão Haddock
Bianca Castafiore
Local da acção Château de Moulinsart
Título(s) em português As Jóias de Castafiore
Colecção As Aventuras de Tintim
Títulos da série regular
Tintin au Tibet
Vol 714 pour Sydney

As Jóias de Castafiore (Les bijoux de la Castafiore, no original em francês) é o vigésimo primeiro álbum da série de banda desenhada franco-belga As aventuras de Tintim, produzida pelo belga Hergé. A história foi publicada semanalmente pela Revista Tintin de julho de 1961 a setembro de 1962. Em contraste com os álbuns anteriores de Tintin, Hergé deliberadamente quebrou a fórmula de aventura que ele havia criado. É o único álbum da série onde os personagens permanecem no Château de Moulinsart, propriedade da família do Capitão Haddock na Bélgica, e não viajam para o exterior ou enfrentam criminosos perigosos. O enredo diz respeito à visita da cantora de ópera Bianca Castafiore e o subseqüente roubo de suas joias.

Embora Les bijoux de la Castafiore tenha recebido aclamação da crítica por fazer seus personagens seguirem uma série de pistas falsas, não foi um sucesso comercial devido à natureza experimental de sua narrativa. Foi publicado no formato álbum pela Casterman logo após a sua conclusão. Hergé continuou As Aventuras de Tintim com o Vol 714 pour Sydney, enquanto a própria série se tornou uma parte definidora da tradição da banda desenhada franco-belga. A história foi adaptada para a série animada de 1991 As Aventuras de Tintim, produzida pelos estúdios Ellipse Animation e Nelvana.

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Em junho de 1970, um longo artigo sobre Les bijoux de la Castafiore, do filósofo e escritor francês Michel Serres, apareceu na revista Critique, sob o título Les bijoux distraits ou la cantarice sauve.[1][2]

Les bijoux de la Castafiore foi adaptado no décimo nono episódio de As Aventuras de Tintim, do estúdio francês Ellipse Animation e o canadense Nelvana. Dirigido por Stéphane Bernasconi, o personagem de Tintin teve a voz de Thierry Wermuth. Dirigida por Stéphane Bernasconi, os críticos elogiaram a série por ser "geralmente fiel", com composições tendo sido tiradas diretamente dos quadrinhos originais.[3]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Assouline, Pierre (2009) [1996]. Hergé, the Man Who Created Tintin. Charles Ruas (tradutor). Oxford and New York: Oxford University Press. p. 196 ISBN 978-0-19-539759-8.
  2. Peeters, Benoît (2012) [2002]. Hergé: Son of Tintin. Tina A. Kover (tradutor). Baltimore, Maryland: Johns Hopkins University Press. p. 369. ISBN 978-1-4214-0454-7
  3. Lofficier, Jean-Marc; Lofficier, Randy (2002). The Pocket Essential Tintin. Harpenden, Hertfordshire: Pocket Essentials. p. 90 ISBN 978-1-904048-17-6.