Autoridade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A palavra autoridade (derivada do latim auctoritas) é normalmente usada para descrever o poder dado ao estado (na forma de governo, juízes, policiais, etc.) ou para descrever conhecedores de uma certa área (alguém pode ser uma autoridade em uma matéria qualquer).

Devido a natureza abragente do conceito, diversos filósofos e teóricos tentaram definir a autoridade legítima, chegando à conclusões diferentes. Segundo Bakunin, por exemplo:

"A Liberdade do ser humano consiste unicamente nisso: ele obedece leis naturais porquê ele as reconhece como tais, e não porquê elas foram impostas à ele por um poder externo qualquer, seja ele divino ou humano, coletivo ou individual."[1]

Ou seja, para ele, a autoridade nunca é legítima. Já para outros como Weber, existem certas autoridades legítimas. Ele as divide em três tipos: a autoridade tradicional, a autoridade carismática e a autoridade racional-legal. [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]