Baborów

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Polónia Baborów 
  cidade em uma comuna urbano-rural  
Igreja de São José
Igreja de São José
Símbolos
Brasão de armas de Baborów
Brasão de armas
Localização
Baborów está localizado em: Polônia
Baborów
Baborów no mapa da Polônia
Mapa dinâmico da cidade
Coordenadas 50° 09' 24" N 17° 59' 09" E
País Polônia
Voivodia Opole
Condado Głubczyce
Comuna Baborów
História
Elevação à cidade 1718
Administração
Tipo Prefeitura
Prefeito Tomasz Krupa (4 de novembro de 2018)
Características geográficas
Área total 11,9 km²
População total (2021) [1] 2 845 hab.
Densidade 239,1 hab./km²
Fuso horário CET (UTC+1)
Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 48-120
Código de área (+48) 77
Cidades gêmeas
Teublitz  Alemanha
Hradec nad Moravicí  República Tcheca
Outras informações
Matrícula OGL
Commons-logo.svg Mídia no Commons
Website Baborów na rede Internet

Loudspeaker.svg? Baborów (antes Baworów, em alemão: Bauerwitz, em tcheco/checo: Bavorov) é um município no sul da Polônia, na voivodia de Opole, no condado de Głubczyce e a sede da comuna urbano-rural de Baborów. Geograficamente está situado no Sopé dos Sudetos, no rio Psina.

Estende-se por uma área de 11,9 km², com 2 845 habitantes, segundo o censo de 31 de dezembro de 2021, com uma densidade de 239,1 hab./km².[1]

Baborów recebeu o foral de cidade antes de 1340, perdeu o estatuto antes de 1575 e o recuperou em 1718.[2]

Nome[editar | editar código-fonte]

O nome de Baborów vem do nome Bawor, que é um sinônimo etimológico de Bawara, ou seja, o bávaro.[3]

Na lista alfabética de cidades da Silésia, publicada em 1830 em Breslávia por Johann Knie, a cidade aparece sob o nome alemão Bauerwitz e o nome polonês Baborow.[4] O censo geográfico e topográfico de cidades da Prússia de 1835 menciona o nome polonês da cidade de Baborow e o nome alemão de Bauerwitz.[5]

O nome polonês de Baborów no livro "Um breve esboço da geografia da Silésia para a ciência inicial" publicado em Głogówek em 1847 foi mencionado pelo escritor silesiano Józef Lompa.[6]

O nome atual foi aprovado administrativamente em 12 de novembro de 1946.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Idade Média[editar | editar código-fonte]

Praça principal

O rio Psina, correndo por Baborów, tornou-se um rio de fronteira entre a Polônia e a Morávia, talvez já como parte da Paz de Kłodzko em 1137, ou talvez mais tarde, mas antes do final do século XII. Inicialmente, a margem esquerda norte estava do lado polonês (Racibórz). A aldeia de Lichan, mencionada em 1223, deveria ficar aqui, na área da posterior Baborów. O príncipe Vladislau de Opole perdeu um pedaço de terra na margem esquerda do rio Psina em seu curso superior e médio em 1253, após uma expedição malsucedida contra o futuro rei tcheco Otacar II da Boêmia.[8] Provavelmente após este evento, os tchecos construíram um novo assentamento no lugar de Lichania, cujo primeiro proprietário conhecido seria o magnata e dignitário tcheco, que morreu em 1291, Otacar II da Boêmia Bawor II ze Strakonic[8] (também conhecido pela história como Bavor III). A primeira menção da própria cidade vem de um documento datado de 1296. Jaroslau (Jeroslaum advocatum de Baurwitz) é mencionado nele. A menção do administrador da comuna pode indicar um local segundo a lei alemã. Inicialmente, a maioria dos cerca de 200 a 300 habitantes da cidade era de origem eslava.[8] A localização de Baborów foi um dos elementos da ampla política tcheca no planalto de Glubczyce. Ao mesmo tempo, os joanitas de Grobniki fundariam Jaroniów (em alemão: Jernau) na margem sul. Em 1337, o Ducado de Opava, que havia sido separado da Morávia, foi fundido com o Ducado de Racibórz da Silésia. Isso abriu caminho para a expansão de Racibórz nas proximidades de Baborów. No século XIV, a cidade foi comprada pelo convento das irmãs dominicanas do Espírito Santo em Racibórz. A igreja paroquial mencionada em 1386 foi provavelmente construída na época da sua fundação. O pároco foi o padre Leerbeth, de origem alemã, sucedido por um certo Vaclau.[8] Em 1405 Baborów já era uma cidade administrada pelo município.

Séculos XVI a XX[editar | editar código-fonte]

Rua Ratuszowa

No século XVIII, Baborów foi submetida a fiscalização tributária em Prudnik.[9] Após as Guerras da Silésia, Baborów ficou dentro das fronteiras da Prússia e do condado de Głubczyce. Em 1750, existiam guildas de sapateiros, peleteiros, tecelões e ferreiros. Mesmo na primeira metade do século XIX, a influência tcheca se intensificou na cidade, havia missas nessa língua (o sermão alemão era realizado uma vez a cada 6 semanas) e era ensinado nas escolas, enquanto nas aldeias vizinhas os morávios locais usavam o dialeto sulkoviano, que pertence ao dialeto polonês da Silésia. A construção da ferrovia foi decisiva para o florescimento da cidade. A inauguração cerimonial da linha ferroviária Głubczyce - Racibórz ocorreu em 15 de outubro de 1856. No final do século XIX, uma fábrica de açúcar e uma fábrica de cimento foram construídas aqui: em 1909, 3 olarias, 2 moinhos a vapor, uma casa de malte, uma fábrica de laticínios e uma fábrica de telhas foram inauguradas em Baborów. Uma comunidade judaica surgiu na cidade, o que também acelerou o processo de assimilação à cultura alemã até que a cidade fosse totalmente germanizada na década de 1920.[10]

Em fevereiro de 1919, na Conferência de Paz de Paris, a Tchecoslováquia reivindicou a aquisição territorial de Baborów.[11]

Em 1928, a vila de Jaroniów, foi incorporada a Baborów.[12]

Baborów foi ocupada em 29 de março de 1945 por unidades do 60.º Exército e do 5.º Corpo Mecanizado do 4.º Exército Panzer da Primeira Frente Ucraniana. Durante as lutas com os nazistas, cerca de 200 soldados soviéticos foram mortos.[13]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Baborów está subordinada ao Gabinete de Estatística em Opole, sucursal em Prudnik.[14] De acordo com os dados da Agência Central de Estatística da Polônia (GUS) de 31 de dezembro de 2021, Baborów tinha 2 845 habitantes, uma área de 11,9 km² e uma densidade populacional de 239,1 hab./km².[1]

Descrição Total Mulheres Homens
unidade hab. % hab. % hab. %
população 2 845 100 1 482 52,1 1 363 47,9
densidade populacional

(hab./km²)

239,1 124,6 114,5

Pirâmide etária dos habitantes de Baborów em 2014[editar | editar código-fonte]

Piramida wieku Baborow.png[1]

Monumentos históricos[editar | editar código-fonte]

Igreja paroquial da Natividade da Bem-Aventurada Virgem Maria, de meados de século XIX

Estão inscritos no registro provincial de monumentos:[15]

  • Cidade Velha
  • Igreja paroquial da Natividade da Bem-Aventurada Virgem Maria, de meados de século XIX, 1922
  • Cemitério da igreja de São José, barroco, de madeira de 1700-1702 - século XVIII
  • Capela do Sagrado Coração de Jesus, rua Opawska 17, de 1889
  • Prefeitura, do início do século XIX, segunda metade do século XIX
  • Casa, rua Kozielska 15, de 1820
  • Casas, rua Raciborska 12, d. 97, 15 d. 88, do século XIX
  • Casas, praça principal 13, 17, meados do século XIX
  • Casa, rua Wiejska 7, início do século XIX
  • Celeiro, rua Wiejska 3.

Transportes[editar | editar código-fonte]

A cidade de Baborów é acionista da Poviat-Commune Transport Association "Pogranicze", que organiza o transporte público de passageiros nos condados de Prudnik e Głubczycki.[16]

Panorama de Baborów (vista norte)

Referências

  1. a b c d «Baborów (Opole) mapas, imóveis, Escritório Central de Estatística, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, salário, desemprego, ganhos, tabelas, educação, jardins de infância, demografia». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 26 de abril de 2022 
  2. Robert Krzysztofik, Lokacje miejskie na obszarze Polski. Dokumentacja geograficzno-historyczna, Katowice 2007, p. 18-19.
  3. Magdalena Janus, Iwona Kopaniecka, Monika Prześlakiewicz, Tomasz Duchnowski, Dagmara Duchnowska (2013). Analiza kulturowo-historyczna gminy Baborów. Baborów: Starostwo Powiatowe. p. 10 
  4. Knie 1830, p. 898.
  5. Kwiatek & Lijewski 1998, p. 12.
  6. Józef Lompa, „Krótki rys jeografii Śląska dla nauki początkowej”, Głogówek 1847, p.33.
  7. «Rozporządzenie Ministrów: Administracji Publicznej i Ziem Odzyskanych z dnia 12 listopada 1946 r. o przywróceniu i ustaleniu urzędowych nazw miejscowości.». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 23 de outubro de 2021 
  8. a b c d Magdalena Janus, Iwona Kopaniecka, Monika Prześlakiewicz, Tomasz Duchnowski, Dagmara Duchnowska (2013). Analiza kulturowo-historyczna gminy Baborów. Baborów: Starostwo Powiatowe. pp. 8–10 
  9. «Historia Powiatu Prudnickiego - Starostwo Powiatowe w Prudniku». www.powiatprudnicki.pl. Consultado em 23 de outubro de 2021 
  10. Analiza..., 2015, p. 20, 23
  11. Franz Choholatý Gröger (19 de fevereiro de 2010). «Připojení Hlučínska k ČSR 4. 2. 1920» (em checo). Consultado em 23 de outubro de 2021 
  12. Analiza..., 2015, s. 23
  13. Przewodnik po upamiętnionych miejscach walk i męczeństwa : lata wojny 1939-1945 4.ª ed. Varsóvia: Wydawn. "Sport i Turystyka". 1988. OCLC 20723006 
  14. Andrzej Dereń (8 de dezembro de 2004). «Polska bardziej polska». Prudnik: Spółka Wydawnicza ANEKS. Tygodnik Prudnicki. 49 (732). ISSN 1231-904X 
  15. «Rejestr zabytków nieruchomych woj. opolskiego» (PDF). Narodowy Instytut Dziedzictwa. p. 19. Consultado em 23 de outubro de 2021 
  16. Opole, Radio (2 de dezembro de 2021). «Samorządowcy podzielili między siebie funkcje w związku celowym, obejmującym przygraniczne powiaty». Samorządowcy podzielili między siebie funkcje w związku celowym, obejmującym przygraniczne powiaty (em polonês). Consultado em 2 de fevereiro de 2022 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]