Baixa dos Badejos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Baixa dos Badejos localiza-se no oceano Atlântico, a cerca de meia milha náutica do porto da freguesia da Vila do Porto, no concelho da Vila do Porto, na costa sudoeste da ilha de Santa Maria, nos Açores.

Formação geológica[editar | editar código-fonte]

Esta formação geológica constitui-se num afloramento rochoso marítimo, em um local de fortes correntes marítimas, onde os fundos marinhos são constituídos por acumulações de escoadas de lava de natureza basáltica, que formaram blocos e superfícies de morfologia irregular com algumas zonas planas. Nestas zonas surgem por vezes sulcos paralelos com 1,5 m de largura por 1 m de profundidade, com várias dezenas de metros de comprimento. As formações lávicas, deram, neste fundo marinho, forma a curiosas formações em arco.

Nos locais mais próximos da costa da ilha as escoadas de lava encontram-se grandemente fracturadas, associadas a acidentes tectónicos, dando origem a paredes verticais e sub-verticais, apresentando uma profundidade variável que ronda os 35 a 40 metros.

Mergulho[editar | editar código-fonte]

É uma zona utilizada para a realização de mergulho de observação das espécies presentes utilizando o escafandro, sendo o mergulho predominantemente diurno.

Geralmente a descida inicial é efectuada até à plataforma rochosa, que se encontra mais perto da superfície, a 12 metros de profundidade, sendo depois o percurso do mergulho realizado de laje em laje. Cada etapa funcionando como ponto de apoio para a observação de diferentes espécies. Em linguagem corrente de mergulho, a este tipo de local, dá-se o nome de "janela".

Na vertente Norte, a segunda plataforma encontra-se a 24 metros de profundidade, local ideal para a observação de diferentes espécies de pelágicos e de grandes exemplares de Peixes-cão.

Entre a primeira e a segunda plataforma de mergulho observam-se grandes cardumes de bicudas, encharéus, patruças, írios, serras, bogas, podendo observar-se a interacção entre estas espécies e densos cardumes de chicharro ("Trachurus pictuíatusi").

Flora e fauna[editar | editar código-fonte]

As espécies dominantes nesta baixa são as Garoupas ("Serranus atricauda"), Salemas ("Sarpa salpa"), Vejas ("Spansoma cretense"), Peixes-balão ("Sphoeroldes marmoratus"), Castanhetas-amarelas ("Chromis limbata"), Peixes-rei ("Coris julis") e Peixes-rainha ("Thalassoma pavo"), o que caracteriza uma riqueza biológica bastante grande.

Além das espécies mencionadas é ainda possível encontrar-se toda uma enorme variedade de fauna e flora marinha em que convivem cerca de 86 espécies diferentes, sendo 9.6 o Índice de Margalef. Entre elas incluem-se:

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Guia de Mergulho dos Açores, Dep. Legal nº 251773/06.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]