Base Aérea de Manaus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Airport symbol fighter2.png
Base Aérea de Manaus
Aeroporto Ponta Pelada
Base aerea Manaus.jpg
Brasão da BAMN
ICAO: SBMN
Características
Tipo Militar
Administração Força Aérea Brasileira
Serve Região de Manaus
Localização Brasil Manaus, AM
Inauguração 31 de março de 1970 (46 anos)
Coordenadas 3° 08' 45" S 59° 59' 06" O
Altitude 81 m (266 ft)
Esquadrões
  • Base Aérea de Manaus
  • 1º Esquadrão do 9º Grupo de Aviação
  • 2º Grupo de defesa antiaérea
  • 1º Esquadrão do 4º Grupo de Aviação
  • 7º Esquadrão de Transporte Aéreo
  • 7º Esquadrão do 8º Grupo de Aviação
  • Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Manaus
  • Prefeitura Aeronáutica de Manaus
Website oficial Página oficial
Mapa
SBMN está localizado em: Brasil
SBMN
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
09 / 27 2 168 m (7 113 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[1]

A Base Aérea de Manaus - BAMN - (IATA: PLLICAO: SBMN) é uma base da Força Aérea Brasileira localizada na cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas.

Ativados em 31 de março de 1970, a BAMN e o 1º/9ºGAv são organizações militares que se destacam no cenário nacional por seu desempenho na região amazônica. A BAMN, por representar a principal organização logística da Força Aérea Brasileira na Amazônia Ocidental.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Com o objetivo de permitir a expansão das linhas do Correio Aéreo Nacional e criar mais um ponto de apoio para as aeronaves da FAB em trânsito pela amazônia, foi criado em 8 de dezembro de 1953 o Destacamento de Base Aérea de Manaus.

Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Manaus – BINFAE-MN.

Em 24 de março de 1970, o destacamento foi desativado e em seu lugar foi criada a Base Aérea de Manaus - BAMN. Na mesma data foi ativado o 1º/9º GAv Esquadrão Arara, ativados em 31 de março do mesmo ano. Ambas organizações vêm se destacando no cenário nacional, a primeira, por representar a principal organização logística da Força Aérea Brasileira na Amazônia Ocidental, comportando além do Primeiro Esquadrão do Nono Grupo de Aviação - 1º/9ºGAv, o Sétimo do Oitavo Grupo de Aviação – 7º/8º GAv, o Sétimo Esquadrão de Transporte Aéreo – 7º ETA, o Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Manaus – BINFAE-MN e o Destacamento de Suprimento e Manutenção de Manaus – DSM-MN; a segunda, pelo valioso trabalho desenvolvido nas asas do C-115 Búfalo, desativado há dois anos, substituído pelo C-105 Amazonas, no cumprimento de missões de transporte e de evacuação aeromédica junto às comunidades mais longínquas da Amazônia, aos Pelotões de Fronteira do Exército Brasileiro (PEF), à Fundação Nacional de Saúde, à Polícia Federal e demais órgãos governamentais.[2]

O trabalho desempenhado pela BAMN e por suas Unidades sediadas tem destaque por suas missões diárias em prol da vigilância e soberania do espaço aéreo e as missões do Correio Aéreo Nacional (CAN), cruzando os céus da Amazônia e levando assistência médico-odontológico para as comunidades mais isoladas da região.

Em 9 de janeiro de 1981, a BAMN passou a sediar também o 7°/8° GAv - Esquadrão Harpia e, em 4 de julho de 1983, o 7°ETA - Esquadrão Cobra.

A Base Aérea de Manaus abriga ainda o 4º Batalhão de Aviação do Exército Brasileiro, que utiliza helicópteros Eurocopter AS.565 Pantera (HM-1), AS 532 UE - Cougar (HM-3) (versão do Eurocopter AS-332 Super Puma) e Sikorsky UH-60 Blackhawk (HM-2).

Unidades[editar | editar código-fonte]

  • 1° Esquadrão do 9° Grupo de Aviação (1º/9º GAv), o Esquadrão Arara, o último esquadrão da FAB a utilizar os C-115 (De Havilland DHC-5 Buffalo), sendo que já recebeu as primeiras aeronaves CASA/EADS C295, fabricados na Espanha, aqui denominados C-105 Amazonas, tendo recebido até 15 de outubro de 2007 um total de oito aeronaves.[3] O esquadrão é reconhecido pelo valioso trabalho desenvolvido nas asas do C-115 Búfalo, desativado em 2008, substituído pelo C-105 Amazonas, no cumprimento de missões de transporte e de evacuação aeromédica junto às comunidades mais longínquas da Amazônia, aos Pelotões de Fronteira do Exército Brasileiro (PEF), à Fundação Nacional de Saúde, à Polícia Federal e demais órgãos governamentais.[4]
  • 1º Esquadrão do 4º Grupo de Aviação – (1º/4ºGAv), o Esquadrão Pacau, marca para a Base Aérea de Manaus o início de uma nova empreitada, pois soma esforços às demais unidades aéreas sediadas, no sentido de cumprir com mais eficácia a missão de manter a soberania do espaço aéreo nacional com vistas à defesa da Pátria, em consonância com a Estratégia Nacional de Defesa.
  • Hospital de Aeronáutica de Manaus
  • Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Manaus – BINFAE-MN
  • Esquadrão de Material Bélico (EMB)
  • Destacamento de Suprimento e Manutenção de Manaus – DSM-MN

Dados Técnicos[editar | editar código-fonte]

Altitude: 81 metros

Pistas

  • Cabeceiras: 09/27
  • Comprimento: 2318 x 45 metros
  • Superfície: Asfalto

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Arquivado desde o original (PDF) em 1 de outubro de 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. 
  2. a b «Home». Força Aérea Brasileira. Consultado em 2016-05-13. 
  3. [1]
  4. «Home». Força Aérea Brasileira. Consultado em 2016-05-13. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]